Interlagos ganha força na tentativa de permanecer no calendário da F1

Autódromo recebeu grande impulso da Câmara de Vereadores na tentativa de ficar na categoria, após a abertura de possibilidade de que GP do Brasil será transferido para o Rio de Janeiro

Interlagos ganha força na tentativa de permanecer no calendário da F1
Carregar reprodutor de áudio

No início deste mês, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o GP do Brasil irá para um novo circuito a ser construído no Rio de Janeiro já a partir do próximo ano.

No entanto, isso foi recebido com ceticismo, dada a sugestão de que a nova pista seria construída este ano, e o fato de São Paulo ter um contrato com a F1 que termina após a corrida de 2020.

O Autódromo de Interlagos recebe o GP do Brasil continuamente desde 1990, passou por um trabalho de desenvolvimento nos últimos anos e as autoridades continuam negociando com os chefões da F1 para estender o negócio.

Leia também:

No entanto, o desejo de privatizar algumas instalações públicas da cidade, incluindo o circuito, colocou em risco o futuro do local, mesmo antes do plano de levar a F1 ao Rio.

Crucialmente para Interlagos, a prefeitura de São Paulo aprovou a concessão do circuito em vez de se comprometer com a privatização em uma votação nesta semana.

Isso ainda precisa ser aprovado pelo prefeito Bruno Covas, mas é um impulso para as chances da cidade de manter a prova em Interlagos.

As autoridades da cidade expressaram apoio à permanência da F1 em São Paulo, na esteira da declaração do presidente na semana passada.

Um documento de apoio está sendo preparado e as autoridades de São Paulo visaram o encontro do presidente Bolsonaro e do ministro do turismo do país, Marcelo Alvaro.

Covas disse: "Não há dúvida de que São Paulo pode continuar a sediar o GP. Temos segurança, organização e realizamos trabalhos anuais para manutenção nos boxes e paddocks".

Além disso, segundo a Rede Globo, Covas pediu tratamento igualitário do presidente para o Rio e São Paulo, na disputa pela F1.

Covas disse em uma coletiva de imprensa que seu entendimento era de que o presidente havia sido informado de que o GP do Brasil deixaria o calendário se não fosse para o Rio.

No entanto, em São Paulo, espera-se que a decisão da câmara de vereadores reforce o apoio local da corrida.

O vereador da oposição, Antonio Donato, pediu à autoridade para explicar por que mudou de ideia sobre a privatização, e a câmara acredita que evitar a privatização elimina dúvidas e especulações sobre o futuro da área.

 

compartilhar
comentários
Após testes na F1, Pietro Fittipaldi diz que se adapta rápido a qualquer carro
Artigo anterior

Após testes na F1, Pietro Fittipaldi diz que se adapta rápido a qualquer carro

Próximo artigo

Racing Point trará "quase um carro novo" ao GP da Alemanha de F1

Racing Point trará "quase um carro novo" ao GP da Alemanha de F1