Kubica diz que experiência difícil na Williams não fecha porta para possível retorno à F1 no futuro

compartilhar
comentários
Kubica diz que experiência difícil na Williams não fecha porta para possível retorno à F1 no futuro
Por:
, NobleF1
Co-autor: Ronald Vording

Mas polonês afirma que, caso a oportunidade não apareça, ele está feliz por ter conseguido voltar à F1

Depois de um ano muito complicado pilotando pela Williams na Fórmula 1, Robert Kubica perdeu sua vaga em 2020 para Nicholas Latifi, indo parar na Alfa Romeo mas apenas como piloto de testes. Mas o polonês não descarta a ideia de voltar ao grid no futuro, desde que a oportunidade certa apareça.

O polonês fez um dos retornos mais aguardados do esporte no ano passado, voltando à F1 oito anos após seu grave acidente de rali que o deixou com grandes lesões no braço direito.

Leia também:

Mas a temporada de 2019 com a Williams se mostrou muito frustrante, com a equipe sofrendo no fundo do grid e Kubica tendo ao seu lado o jovem George Russell, visto como uma das estrelas do futuro da F1.

Kubica mudou para a Alfa Romeo em 2020, assumindo os postos de piloto reserva e de teste e já participou de alguns treinos livres de sexta ajudando no desenvolvimento do carro.

Falando com o AutosportMotorsport.com sobre suas ambições na F1, Kubica disse que um retorno como piloto titular não estava totalmente descartado por ele, mas que não é algo que desejaria sem a oportunidade ideal.

"A minha história e a situação dos últimos anos mostraram que nunca podemos dizer nunca. Não posso excluir isso, é algo que a vida me ensinou. Mesmo depois de um acidente grave e um retorno complicado, não posso fechar a porta para a possibilidade".

"Ao mesmo tempo, você tem que ser realista. Se eu tiver outra chance, eu vou avaliar a oportunidade. Se não tiver, esse é o esporte".

Kubica disse que sente uma sensação de dever cumprido em sua carreira após a volta, com a sua primeira participação, de 2006 a 2010, tendo encerrado de modo abrupto.

"Eu estive na F1 duas vezes. Estreei em 2006 e consegui voltar de algum modo, e essa chance de 2019 foi especial para mim. Claro, foi eclipsada pela situação difícil da Williams. Mas, mesmo assim, quando você olha minha carreira, e não os resultados, é especial estar na F1 duas vezes".

"Para o futuro, não posso dizer que não porque é difícil de prever. Mas não será o fim do mundo se eu não tiver uma nova chance. E se tiver a chance, vou avaliar a situação. Não quero voltar e ser novamente o último sempre. Não faz sentido para mim. Vamos esperar para ver".

Alfa Romeo C39 (Temporada 2020)
Alfa Romeo Racing-Ferrari C39
Motor: Ferrari
Combustível: Shell
Pneus: Pirelli

Pilotos:

7 - Kimi Raikkonen

99 - Antonio Giovinazzi

Entenda como Max Verstappen pode sair da Red Bull antes do fim de seu contrato

PODCAST: Após 'comemorar' GP 1000, qual é o tamanho da crise da Ferrari?

 

.

F1: Abiteboul explica motivo de frustração e indiretas a Ricciardo após anúncio de ida à McLaren

Artigo anterior

F1: Abiteboul explica motivo de frustração e indiretas a Ricciardo após anúncio de ida à McLaren

Próximo artigo

Diretor defende que F1 não precisa de "drama dos pneus" como em Silverstone

Diretor defende que F1 não precisa de "drama dos pneus" como em Silverstone
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Jonathan Noble