Fórmula 1
25 set
Treino Livre 3 em
15 Horas
:
05 Minutos
:
55 Segundos
R
GP de Portugal
23 out
Próximo evento em
27 dias
04 dez
Próximo evento em
69 dias
R
GP de Abu Dhabi
11 dez
Próximo evento em
76 dias

Mercedes rebate críticas: "A previsibilidade não é culpa de quem se esforçou para estar na ponta"

compartilhar
comentários
Mercedes rebate críticas: "A previsibilidade não é culpa de quem se esforçou para estar na ponta"
Por:

Segundo Toto Wolff, a equipe não pode ser culpada por seu esforço em fazer um ótimo carro e espera melhoras das rivais visando competitividade

Até agora, a Mercedes dominou a temporada 2020 da Fórmula 1, com três poles e três vitórias em três corridas e, no GP da Hungria, seus carros foram 1s3 e 1s4 mais rápidos que as melhores Ferrari e Red Bull, respectivamente. Com isso, muitos têm criticado a F1 por estar muito previsível. Mas a Mercedes se defendeu, afirmando que, se o mundial não está excitante, a culpa não é inteira da equipe alemã: os rivais também têm sua parcela.

Apesar de reconhecer que pode usar estratégias alternativas em algumas provas desse ano para promover competição entre seus pilotos, o chefe da equipe Toto Wolff, disse que não há muito que pode ser feito para melhorar se os rivais estão para trás.

Leia também:

"Se tomássemos essa temporada de 2020 como garantida, um passeio, basicamente tendo que se esforçar apenas para receber o troféu em Paris em dezembro, não teríamos vencido todos esses mundiais", disse Wolff.

"Não há uma fibra em nós que acha que esse campeonato está ganho. É algo que pode te atrapalhar".

"Por outro lado, domínio de uma única equipe, seja nós, ou a Red Bull no começo dos anos 2010 ou a Ferrari nos anos 2000, é algo que sempre será estranho para o campeonato".

"Mas a previsibilidade do campeonato não é culpa da equipe que se esforçou para estar na ponta".

Wolff disse que a Mercedes gostaria de uma disputa mais próxima com seus rivais, mas depende deles melhorarem.

"Nós queremos disputar com nossos rivais fantásticos, gostamos de estar correndo contra Red Bull e Ferrari, queremos que equipes como a Racing Point estejam no jogo e que McLaren e Renault estejam buscando voltar ao topo".

"Uma competição forte é o que eu mais gostaria, com resultados diferentes desde o início da sexta, no TL1, mas é difícil para nós, nessa posição, termos uma mudança na ordem nessa altura".

"Temos um objetivo, e é terminar todos os finais de semana nas melhores posições possíveis, pontuando o máximo possível, correndo pelo campeonato. Não há nada mais que podemos fazer".

Wolff destacou que os rivais podem reduzir a diferença na pontuação se a Mercedes errar.

"Vocês viram que a Red Bull sofreu todo o final de semana e depois teve um carro decente para a corrida, um carro que quase nem conseguiu largar, mas os mecânicos fizeram um trabalho fantástico ali".

"As distâncias não significam nada se você olhar na pontuação do mundial de pilotos. Lewis e Max estão separados por apenas 30 pontos depois de 3 corridas. Então se você abandona uma prova, essa vantagem acaba".

Live com Ricardo Zonta: relação com Villeneuve, Ron Dennis e mais histórias

PODCAST: O debate de fãs e 'haters' sobre domínio de Hamilton

 

Vettel lamenta como lidou com saída da Red Bull em 2014, mas não se arrepende de ida à Ferrari

Artigo anterior

Vettel lamenta como lidou com saída da Red Bull em 2014, mas não se arrepende de ida à Ferrari

Próximo artigo

Reginaldo Leme lista corridas favoritas e detona Mônaco: “Detesto”

Reginaldo Leme lista corridas favoritas e detona Mônaco: “Detesto”
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Mercedes
Autor Adam Cooper