Fórmula 1
24 out
-
27 out
Evento encerrado
01 nov
-
03 nov
Evento encerrado
14 nov
-
17 nov
Evento encerrado
28 nov
-
01 dez
Evento encerrado

Renault quer “excelência operacional” no Bahrein após GP ruim na Austrália

compartilhar
comentários
Renault quer “excelência operacional” no Bahrein após GP ruim na Austrália
Por:
25 de mar de 2019 14:14

Time francês faz autocrítica depois da abertura do mundial e chefe diz que esperava mais performance

A equipe Renault precisa ser dura consigo mesma se quiser se recuperar da decepção do GP da Austrália, avalia seu diretor, Cyril Abiteboul.

A fabricante francesa tem planos de reduzir a diferença para as três equipes grandes nesta temporada, mas sofreu algumas frustrações em Melbourne, já que nunca mostrou o potencial em seu carro. O melhor piloto do time foi Nico Hulkenberg, saindo de 11º e chegando em sétimo.

Leia também:

Abiteboul afirma que a Renault esperava mais do GP da Austrália, e é por isso que ele quer que as atualizações do carro e um fim de semana melhor permitam que sua equipe melhore no Bahrein neste fim de semana.

"Nas temporadas passadas, estaríamos satisfeitos com o sétimo lugar na primeira corrida da temporada, mas neste ano ficamos um pouco decepcionados", disse ele.

"Sentimos que o nosso carro é capaz de lutar no topo do meio do grid. No entanto, isso não foi mostrado quando realmente contava: na qualificação e durante a corrida.”

"Estamos determinados a mostrar mais no Bahrein. Temos que sublinhar o passo que demos no lado do motor, e o segundo GP de 2019 é uma oportunidade para mostrar isso. Vamos trazer algumas atualizações aerodinâmicas, como faremos em todas as corridas.”

"Também precisamos direcionar a consistência ao longo de todo o final de semana, oferecendo um carro equilibrado e confiável em todas as sessões para permitir que os pilotos extraiam o máximo de desempenho. Igualmente, precisamos atingir a excelência operacional em todas as áreas.”

"Ter os dois carros dentro dos pontos é o alvo, e queremos mostrar as qualidades de nossa equipe. Temos que ser duros com nós mesmos se quisermos seguir nosso caminho."

O diretor técnico Nick Chester disse que as atualizações do carro da equipe estão ligadas ao resfriamento, bem como aos desenvolvimentos mecânicos e aerodinâmicos.

Ele tem fé, no entanto, que há mais ritmo no carro do que no Albert Park.

"Nós não nos qualificamos onde os carros mereciam estar em termos de ritmo e isso foi devido a algumas áreas e a um problema de confiabilidade que agora compreendemos", explicou ele.

"Isso mostra que o meio do grid está muito próximo e que qualquer pequeno erro ou queda no desempenho significa que você perderá posições no grid. Infelizmente, nós sentimos isso diretamente."

"A realidade é que, quanto mais atrás você se qualifica, maiores são as chances de danificar o carro. Em outros lugares durante o fim de semana, testamos algumas peças novas, jogamos com configurações diferentes e aprendemos uma quantidade razoável.

"Está bem claro, porém, que temos algum trabalho a fazer para sair do meio do grid, que e o que queremos."

Próximo artigo
Villeneuve ataca volta de Kubica à F1: “alguém com deficiência” não deve correr

Artigo anterior

Villeneuve ataca volta de Kubica à F1: “alguém com deficiência” não deve correr

Próximo artigo

GALERIA: 10 coisas que você precisa saber sobre a estreia de Senna na Fórmula 1, há 35 anos

GALERIA: 10 coisas que você precisa saber sobre a estreia de Senna na Fórmula 1, há 35 anos
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Renault F1 Team
Autor Jonathan Noble