Fórmula 1
29 ago
-
01 set
Evento encerrado
05 set
-
08 set
Evento encerrado
19 set
-
22 set
Evento encerrado
26 set
-
29 set
Evento encerrado
10 out
-
13 out
Evento encerrado
31 out
-
03 nov
Próximo evento em
12 dias
14 nov
-
17 nov
R
GP de Abu Dhabi
28 nov
-
01 dez
Próximo evento em
40 dias

Ricciardo: minha equipe e eu ficamos de “coração partido” em 2018

compartilhar
comentários
Ricciardo: minha equipe e eu ficamos de “coração partido” em 2018
Por:
12 de dez de 2018 09:39

Australiano explica que sequência de abandonos no fim da temporada lhe tirou horas de sono e afetou bastante a rotina de seus mecânicos

Daniel Ricciardo revelou que estava perdendo o sono na segunda metade da temporada de 2018 da F1, quando sua campanha foi afetada pela má sorte.

O australiano, que trocará a Red Bull pela Renault no ano que vem, estava em terceiro no campeonato após sua vitória em Mônaco, mas terminou em sexto na tabela.

Sua temporada foi afetada por uma quantidade de problemas mecânicos desproporcional, o que o tornou no piloto com mais abandonos em 2018 e constantemente perdendo posições no grid por punições.

Ricciardo, que ficou cada vez mais frustrado com o aumento dos problemas, admite que o estresse causou impacto além de seus resultados.

“Com certeza muita coisa aconteceu neste ano e eu seria ingênuo se dissesse que isso não me afetou em alguns momentos”, disse.

“Não é que eu consiga apontar uma única corrida e dizer ‘essa corrida foi ruim, porque eu tinha muita coisa na cabeça’.”

“Quando sua cabeça está a milhão, às vezes, em vez de dormir oito horas, você dorme por seis, e o acúmulo disso pode te deixar mais lento nas reações ou nos seus reflexos.”

“Eu definitivamente não quero que isso soe como uma desculpa, mas tenho certeza de que houve um efeito em certo grau.”

“Mas isso também é parte da experiência do crescimento, e tenho certeza de que não será a última vez em que estarei nessa posição em que tenho muitos problemas mecânicos, ou que pensar em outro contrato e assinar.”

“Tentarei aprender com isso e refletir, desvendar o que eu poderia ter feito melhor.”

Depois dos abandonos consecutivos nos Estados Unidos e no México, Ricciardo chegou a dizer que estava ansioso para abrir espaço em sua vaga na equipe.

Em podcast preparado pela Red Bull para analisar a temporada, Ricciardo disse que seus mecânicos e engenheiros também tiveram dificuldades para lidar com os dramas.

“Eu fiquei nos holofotes e estou no carro, mas todos que estavam trabalhando, especialmente os caras da garagem, ficaram de coração partido assim como eu. Eles trabalharam por muitas horas, mais do que eu, durante o fim de semana de corrida.”

“Às vezes eu queria sair de lá e me esconder. Mas, felizmente, na maioria das vezes, ainda sei onde está meu coração e pensava neles.”

“O México foi duro. Foram duas em sequência e bem brutais. Nos sentimos como se estivéssemos todos na mesma posição e que precisávamos nos abraçar.”

“Não era como ‘vá se ferrar, você não fez isso para mim!’. Estávamos todos feridos e não era culpa de ninguém. Havia alguns homens crescidos com lágrimas, simplesmente com o coração partido.”

Reportagem adicional de Edd Straw

Daniel Ricciardo, Red Bull Racing

Daniel Ricciardo, Red Bull Racing

Photo by: Mark Sutton / Sutton Images

Próximo artigo
Bottas faz estreia em ralis na Finlândia, em janeiro

Artigo anterior

Bottas faz estreia em ralis na Finlândia, em janeiro

Próximo artigo

McLaren anuncia parceria com time de ciclismo

McLaren anuncia parceria com time de ciclismo
Carregar comentários