F-E: Rowland vence prova 5 em Berlim de ponta a ponta; 13º, Massa é o melhor colocado em dia ruim para brasileiros

compartilhar
comentários
F-E: Rowland vence prova 5 em Berlim de ponta a ponta; 13º, Massa é o melhor colocado em dia ruim para brasileiros
Por:
, Repórter

Resultados da prova complicaram a disputa pelo vice-campeonato, que ficou para a última prova

Depois de um treino classificatório doido, que terminou com os quatro campeões da Fórmula E sem marcar tempo, largando do fundo do grid, a categoria fez a quinta de seis etapas em Berlim nesta quarta. E a vitória acabou ficando com o pole position Oliver Rowland, em um dia difícil para os brasileiros da F-E.

No primeiro grupo da classificação, António Félix da Costa, Lucas di Grassi, Jean-Éric Vergne e Sébastien Buemi não souberam gerenciar o tempo da sessão e passaram pela linha de chegada para abrir a volta rápida somente depois que o cronômetro havia zerado.

Leia também:

Com isso, tivemos uma Super Pole com diversas "zebras" e a posição de honra ficando com Oliver Rowland e a Nissan. Já Felipe Massa e Sérgio Sette Câmara tiveram boas classificações, saindo em oitavo e nono, respectivamente.

Essa é a primeira corrida da última rodada dupla da F-E, usando uma versão estendida do traçado do aeroporto Tempelhof, com curvas a mais no segundo setor da pista.

A largada foi tranquila na frente, mas muito movimentada a partir da terceira fila. Enquanto Massa se manteve em oitavo, Sette caiu para décimo. Já entre os campeões, Da Costa subiu para 16º, Di Grassi, 19º e Vergne e Buemi, 21º e 22º. Sam Bird e Max Günther se envolveram em um toque e caíram para as últimas posições. Günther acabou abandonando na volta seguinte.

 

Enquanto na frente Frijns começava a pressionar Rowland pela liderança, Sette começou a sofrer com o ataque de Sims, da BMW, e Mortara conseguia abrir vantagem. Já o campeão Da Costa teve sua escalada interrompida quando chegou em Vandoorne e sua Mercedes, ocupando a 14ª posição.

Com oito minutos, Rowland seguia na ponta, seguido de Frijns, Jani, Lotterer e Lynn fechando o Top 5. Massa e Sette Câmara continuavam em 8º e 10º, e, entre os campeões, Da Costa era o 15º e Di Grassi estava em 18º.

Já na sequência, Neel Jani foi o primeiro dos ponteiros a ativar o modo ataque, o primeiro de dois que os pilotos são obrigados a usar durante a corrida. No giro seguinte, Frijns acionou a potência extra, permitindo que Rowland abrisse mais de dois segundos de vantagem, permitindo que fizesse a trajetória do modo ataque sem perder a ponta.

Da Costa e Di Grassi ativaram o modo ataque, mas não conseguiram subir na classificação, ficando presos atrás de Vandoorne e Müller, permanecendo em 15º e 16º, respectivamente. Enquanto isso, na marca de 30 minutos para o fim da prova, mais problemas para o bicampeão Vergne, que recebeu um drive through por refrigeração extra na bateria.

O brasileiro Di Grassi reclamou de um furo no pneu traseiro direito e começou a perder posições. A possível razão para o furo foi a tentativa de ultrapassagem em cima de Da Costa, quando os dois acabaram se tocando. Problemas para dois dos campeões. Di Grassi foi punido em cinco segundos por causar a colisão.

 

Na frente, uma corrida tranquila, sem novas modificações. Mas Felipe Massa também começou a apresentar problemas na metade da prova, caindo de oitavo para 15º em questão de duas voltas, perdendo posições para Da Costa, Vandoorne, Buemi e Sims.

Ainda em décimo, Sette Câmara tentava reduzir a diferença para Evans, mas ela permanecia em torno de 1s7, mas acabou perdendo a posição para Sims, caindo para 11º após Blomqvist recuperar o terreno perdido na ativação do modo ataque. Algumas voltas depois, perdeu mais posições, caindo para 14º.

Na ponta, com Rowland e Frijns usando o modo ataque, o piloto da Virgin conseguiu reduzir boa parte da diferença, de 2s1 para 1s1, chegando até a 0s8. Porém, assim que acabou o modo ataque, Rowland conseguiu abrir vantagem novamente.

Com o modo ataque ativado, Buemi conseguiu ultrapassar Da Costa com 10 minutos para o fim da prova. Logo em seguida, perdeu a posição também para Sims, que também estava com a potência extra. Assim, o campeão passou a ocupar a 13ª posição. Pouco atrás, Massa e Sette Câmara disputavam a 16ª colocação, com o piloto da Venturi levando a melhor.

Lotterer e Rast protagonizaram uma boa luta pela última posição do pódio. O piloto da Audi conseguiu se aproximar com o modo ataque e tentou fazer alguns avanços, mas sem sucesso, com o alemão da Porsche levando a melhor.

No final, Oliver Rowland não foi muito desafiado e venceu liderando de ponta a ponta com a Nissan. Robin Frijns, René Rast, Andre Lotterer e Alex Lynn completaram o Top 5. Entre os campeões, Sébastien Buemi fez a melhor prova de recuperação, terminando em 10º. O campeão Da Costa foi apenas o 21º por falta de bateria. 

Entre os brasileiros, um dia para esquecer. Felipe Massa foi o melhor colocado, em 13º, seguido de Sérgio Sette Câmara, em 15º, enquanto Lucas di Grassi foi apenas o 21º.

A Fórmula E volta à pista já nesta quinta (13) para a última etapa da temporada 2019/20, com uma grande disputa pelo vice-campeonato. O treino classificatório está marcado para 9h e a corrida, às 14h, com transmissão do Fox Sports.

Cla Piloto Equipe Voltas Dif. Líder Dif.
1 United Kingdom Oliver Rowland France DAMS 36    
2 Netherlands Robin Frijns United Kingdom Virgin Racing 36 1.903 1.903
3 Germany René Rast Germany Team Abt 36 7.490 5.587
4 Germany Andre Lotterer Germany Porsche Team 36 7.863 0.373
5 United Kingdom Alex Lynn India Mahindra Racing 36 11.441 3.578
6 Switzerland Neel Jani Germany Porsche Team 36 12.922 1.481
7 New Zealand Mitch Evans United Kingdom Jaguar Racing 36 14.106 1.184
8 Switzerland Edoardo Mortara Monaco Venturi 36 17.134 3.028
9 Belgium Stoffel Vandoorne Germany Mercedes 36 18.949 1.815
10 Switzerland Sébastien Buemi France DAMS 36 19.731 0.782
11 United Kingdom Alexander Sims United States Andretti Autosport 36 23.331 3.600
12 United Kingdom Tom Blomqvist United Kingdom Jaguar Racing 36 24.807 1.476
13 Brazil Felipe Massa Monaco Venturi 36 27.775 2.968
14 Netherlands Nyck de Vries Germany Mercedes 36 28.723 0.948
15 Brazil Sergio Sette Camara United States Dragon Racing 36 31.132 2.409
16 Belgium Jérôme d'Ambrosio India Mahindra Racing 36 31.524 0.392
17 Switzerland Nico Müller United States Dragon Racing 36 34.140 2.616
18 France Jean-Eric Vergne China Techeetah 36 34.986 0.846
19 United Kingdom Oliver Turvey United Kingdom NIO Formula E Team 36 44.377 9.391
20 United Kingdom Sam Bird United Kingdom Virgin Racing 36 46.591 2.214
21 Brazil Lucas di Grassi Germany Team Abt 36 1'15.119 28.528
22 Germany Maximilian Gunther United States Andretti Autosport 4 32 Voltas 32 Voltas
  Portugal Antonio Felix da Costa China Techeetah 35 1 Volta  
  Germany Daniel Abt United Kingdom NIO Formula E Team 33 3 Voltas 2 Voltas

TELEMETRIA: Os bastidores quentes do GP da Espanha com participação de Rico Penteado

PODCAST: O que aconteceria em um duelo Hamilton X Verstappen em igualdade de condições?

 

F-E: Rowland é pole em Berlim; Di Grassi, Da Costa e líderes repetem GP da Itália da F1 de 2019 e não marcam tempo

Artigo anterior

F-E: Rowland é pole em Berlim; Di Grassi, Da Costa e líderes repetem GP da Itália da F1 de 2019 e não marcam tempo

Próximo artigo

Vandoorne coloca Mercedes na pole pela primeira vez na F-E; 9º, Sette Câmara é o melhor dos brasileiros

Vandoorne coloca Mercedes na pole pela primeira vez na F-E; 9º, Sette Câmara é o melhor dos brasileiros
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula E
Autor Guilherme Longo