Líder, Félix da Costa ainda considera Vergne como melhor piloto da equipe

Piloto português se mostrou grato por ter dia perfeito em Berlim, bem diferente do que já teve que experimentar em temporadas passadas

Líder, Félix da Costa ainda considera Vergne como melhor piloto da equipe

Antonio Félix da Costa admitiu que Jean-Eric Vergne, companheiro de equipe na DS Techeetah, ainda é "melhor" do que ele e diz que sua vitória em Berlim significa muito, devido à sua experiência anterior de guiar "o pior carro do grid".

Da Costa iniciou a primeira de seis corridas no Aeroporto de Tempelhof com uma vitória e aumentou sua vantagem no campeonato sobre o piloto da Jaguar, Mitch Evans, para 41 pontos.

Vergne reclamou durante a corrida que da Costa não havia respeitado as instruções pré-acordadas da equipe para gerenciar o ritmo na frente. O português cruzou a linha de chegada a 5.4s sobre Andre Lotterer, no limite de sua energia.

Leia também:

O atual campeão Vergne, entretanto, sofreu uma queda de rendimento, do segundo para o 20º lugar, causado pelo alto consumo de energia na fase inicial da corrida, ditada pelo ritmo acelerado. Mas da Costa, que ingressou na DS Techeetah no início da temporada 2019-2020, calculou que Vergne ainda era melhor no gerenciamento do carro.

“Para ser honesto, Vergne me ajudou muito a acelerar esse carro e ele ainda o domina um pouco melhor do que eu. Ele está mais ciente do que está acontecendo. Temos um milhão de números aparecendo em nossa corrida toda vez que cruzamos a linha, e estou me tornando cada vez melhor com isso."

Da Costa acrescentou que sua capacidade de gerenciar a corrida foi aprimorada a partir de sua experiência no meio de grid da F-E.

"A primeira coisa é que estou muito agradecido porque alguns pilotos aqui, sem tirar nenhum crédito de ninguém, estão em um carro vencedor desde o dia zero", disse ele. "Eu provavelmente já tive o pior carro do grid, então nunca levarei um dia como esse como garantido. Eu sei o quão difícil é tê-lo”, se referindo aos dias de Andretti.

“Provavelmente temos um dos melhores carros do grid. O trem de força DS é tão rápido e eficiente e a equipe colocou muito peso atrás de mim e de [Vergne]. A maneira como eles nos pressionam é inacreditável.”

“Ter essa experiência me ajudou a entender. Estamos falando de pequenos detalhes ao longo da corrida, o que te dá uma vantagem."

Polêmica Racing Point, Silverstone e tudo o que você sempre quis saber de F1 com Rico Penteado

PODCAST: Qual é o tamanho da 'sorte' de Hamilton ao vencer com três rodas?

 

compartilhar
comentários
F-E: Gunther é desclassificado e di Grassi herda 8º lugar em Berlim

Artigo anterior

F-E: Gunther é desclassificado e di Grassi herda 8º lugar em Berlim

Próximo artigo

Presidente da Fórmula E, Alejandro Agag testa positivo para Covid-19

Presidente da Fórmula E, Alejandro Agag testa positivo para Covid-19
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula E
Evento Berlin E-Prix I
Pilotos Antonio Felix da Costa , Jean-Eric Vergne
Autor Matt Kew