Série Pensamento dos líderes
Assunto

Série Pensamento dos líderes

Montoya: Corridas de curta distância são o caminho para a F1

Em entrevista exclusiva, colombiano com sucesso na F1 e Indy falou sobre o atual momento das duas categorias, além de exaltar os eSports

Juan Pablo Montoya iluminou a Fórmula 1 há vinte anos, foi campeão da IndyCar e vencedor da Indy 500, e ainda hoje compete na Indy e em Le Mans. Seu filho, Sebastian, está agora na nas F4 Italiana e Alemã. Juan Pablo hoje passa muito tempo pensando na educação dos pilotos e em como o esporte precisa se adaptar para atrair os fãs mais jovens. Ele também acredita que o eSports desempenha um papel vital no futuro do esporte e na aproximação da comunidade automobilística.

Leia também:

Juan Pablo, vamos começar observando as duas categorias que você está mais associado: Fórmula 1 e Indy. Como você as vê hoje?

Acho que elas estão bem. A F1 tem sido muito interessante desde que a Liberty entrou e tem havido muitas mudanças e, honestamente, quando você vai para o paddock, é chocante o quão melhor é hoje em dia do que costumava ser.

Você quer dizer menos político?

É apenas mais legal, as pessoas são muito mais amigáveis. É um lugar muito melhor para se estar. Com a Indy, acho que Roger (Penske) assumir o controle no ano passado foi muito bom, especialmente com a pandemia. Se Roger não estivesse lá, a categoria estaria em grande perigo. Roger tem uma grande paixão pela Indy, pela Indy 500 e por suas tradições. Ele encontrará maneiras de manter as tradições, mas tornar o lugar ainda melhor. A atenção aos detalhes com Roger é incrível.

 

Photo by: Richard Dole / Motorsport Images

A Fórmula 1 está fazendo algumas grandes mudanças nas regras para aproximar o grid, coisas que nunca poderiam ter sido imaginadas durante o seu tempo, como o fundão ganhando mais tempo para o desenvolvimento aerodinâmico em comparação com as equipes principais e limites orçamentários que eram um sonho quando você corria na lá. Mas agora é uma realidade. Você acha que essas coisas colocam a F1 no caminho certo para o futuro?

Sim, desde que eles possam controlar. Tenho certeza que as pessoas encontrarão brechas como sempre, mas com o passar do tempo isso vai ficar melhor. As melhores equipes realmente não têm limites, elas fazem o que for preciso para vencer. Fazer com que todos fiquem mais próximos será melhor para o show. Acredito que as melhores equipes ainda vencerão; os rapazes com as melhores ideias, se você lhes der metade do tempo, eles provavelmente farão um trabalho ainda melhor, esse é o problema. Vai ser interessante com Liberty Media e F1.

Outra coisa é que você percebe que a capacidade de atenção das pessoas fica menor, então você não pode esperar que as pessoas se sentem e assistam uma corrida na TV por duas horas. Pessoas como nós que amam o esporte, tudo bem. As gerações mais jovens vão ter dificuldade. Acho que o que a F1 está fazendo, com corridas de curta distância, esse é o caminho a seguir.

A IndyCar tem um desafio ligeiramente diferente, pois eles avaliam para onde vão no futuro, porque o DNA da Indy é que qualquer número de pilotos pode competir por vitórias, pequenas equipes podem competir com as equipes maiores e é uma corrida roda a roda. Como você gostaria de vê-los desenvolver o produto IndyCar para o futuro?

Acho que a Indy está no caminho certo. As duas coisas sobre as quais eles estão realmente falando é o sistema híbrido que eu acredito que está chegando e eles estão procurando muito mais potência. Eu acho que isso é obrigatório na Indy. Uma das principais atrações da era CART era a quantidade de potência. Porque hoje em dia é um carro divertido de guiar, mas falta aquela assinatura de um IndyCar que quando você entrava no acelerador era tipo, "Meu Deus!", Entende o que quero dizer? Então, acho que isso definitivamente ajudará.

 

Photo by: Richard Dole / Motorsport Images

Seu filho Sebastian está competindo nas F4 na Itália e na Alemanha. A educação de uma criança no mundo das corridas mudou sua visão sobre o desenvolvimento de jovens pilotos?

Isso abriu meus olhos para muitas coisas, como por que muitos dos caras mais jovens agora lutam para entender o que o carro precisa e em qual direção conduzir uma equipe, porque eles são educados até mesmo no kart para ouvir: ‘Isso é uma configuração, é assim que você precisa para fazer com o chassi, é assim que fazemos.’ E isso é uma coisa muito ruim. Para a equipe é a maneira mais fácil dizerem: ‘Rapaz, você é o problema, não o carro.’ Mas o maior problema com isso é que você pode ter um talento realmente bom que odeia o carro. E se você ajustasse o carro para esse talento, ele provavelmente venceria todos os outros. Mas com o que você está dando a ele, ele nunca terá sucesso. Eu fiz testes de Indy e WEC este ano, e você pode ver isso. Todo mundo que é jovem vai guiar tudo o que lhes é dado e eles podem guiar terrivelmente. Mas como uma equipe ser capaz de ir de lá para ganhar corridas quando você está enfrentando uma Penske ou uma Ganassi ou uma Andretti, isso torna muito difícil, porque eles têm caras experientes que cresceram com a mesma teoria que eu, você tem que fazer o carro correr melhor. E as pessoas que fazem o carro correr melhor são as que ganham as corridas.

Os adolescentes de hoje nunca conheceram um mundo que não fosse digital. Eles nunca conheceram um mundo que não tivesse iPhones. E a maneira como eles resolvem os problemas é muito diferente. Como isso se manifesta com os pilotos em termos da maneira como resolvem problemas, quando você vê como a mente de Sebastian funciona e alguns dos outros jovens pilotos que você está ajudando?

É interessante porque eles são muito jovens e entendem de dados e telemetria; você mostra a uma criança de 10 ou 12 anos um gráfico de dados, eles entendem. Eles sabem exatamente o que estão olhando. E isso é inacreditável. Você sabe, a primeira vez que vi um gráfico de dados foi em 1995, na minha primeira vez na Europa, eu tinha 20 anos. Portanto, o tempo muda.

 

Photo by: Sutton Images

Então, como você treina jovens pilotos nas coisas que são importantes em termos de física, transferência de peso e assim por diante?

Sou um grande crente na simplicidade. Simplifique as coisas. Não há necessidade de plano de fundo. Conforme você envelhece, você começa a compreender a física. Se eu disser aos 10 anos: ‘não saia com o nível de combustível assim, porque você está transferindo o peso para os pneus dianteiros’, eles não ligam. Para mim, os vídeos parecem uma grande ajuda. Porque quando eles são muito novos e você mostra a telemetria, eles veem a velocidade e tudo, mas é muito difícil relacionar a telemetria e a velocidade a um determinado ponto da pista. Sempre fiz isso, então posso passar dois minutos olhando a telemetria e encontrarei as mesmas coisas como se passasse uma hora. Para eles, é muito importante relacionar que parte da curva é e como você o faz. Então, nós olhamos para que eles entendam. Então você vê os vídeos e diz: ‘Aqui está o problema’. Isso torna muito mais fácil.

 

Photo by: Steven Tee / Motorsport Images

A outra coisa que existe agora que não existia quando você estava começando são os eSports como uma plataforma própria, ou seja, você pode ter toda uma carreira de corrida paralela nos esportes eletrônicos, como vemos com Lando Norris e Max Verstappen. Você é muito ativo, Fernando Alonso é muito ativo. Mas também é muito atraente como funil para novos talentos nas corridas e também para novos fãs. Então, como você avalia os esportes eletrônicos?

Acho que os eSports abrem as portas para quem não tem condições de correr porque hoje em dia, se você for correr direito, vai gastar muito dinheiro. Com o que você gasta em uma corrida de kart, você provavelmente terá o melhor simulador disponível. E a partir daí, você não precisa de mais nada. Em um ano, você vai gastar cerca de 100 dólares em jogos, talvez comprar mais algumas pistas, mas é isso. Mas para uma família normal onde o pai trabalha o dia todo, eles não têm tempo para levar as crianças a uma pista de kart ou talvez não acreditem que correr é uma carreira, acho que os eSports são um bom caminho. Quando você corre, você percebe quanto tempo tem que gastar em um simulador, quanta dedicação você tem que colocar, e como isso realmente treina a mente para ser consistente, para estar no tempo, para estar no alvo, para fazer tudo dessa forma precisa ser feito. Uma das coisas mais importantes nas corridas é garantir que tudo seja feito da maneira certa e que você possa repetir. Ir rápido em uma volta é simples; ir rápido em 10 voltas e fazer a mesma coisa é mais difícil porque sua mente divaga. Você chega ao ponto de ruptura e pensa: ‘Foi fácil, talvez eu possa tentar um pouco mais’ e sua mente começa a pregar peças em você e é aí que vem o erro. Quando você está sob pressão, você sempre procura onde encontrar mais. E os eSports são uma boa base para treinar tudo isso.

 

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

Você competiu no ano passado em muitos daqueles eventos virtuais durante a paralisação. O que eu realmente apreciei foram as situações únicas como Le Mans Virtual, em que você tinha combinações de pilotos que nunca poderia reunir no mundo real porque suas equipes não permitiriam, mas também as relações que você pode ter com outros pilotos e também com players e fãs.

O que eu achei muito interessante é que você cria uma relação muito próxima com muitos pilotos que nunca conheceu antes e acaba conversando com eles e depois os encontra na vida real e ri disso e é é realmente bom. Acho que aproxima a comunidade do automobilismo muito mais. Muitos caras como Leclerc ou Lando ou Max são grandes jogadores e muitos dos caras mais jovens correm contra eles e começam a ter relacionamentos com esses caras que nunca conheceriam de outra forma e podem ser seus heróis. Portanto, torna as corridas muito mais acessíveis para o mundo.

ENTENDA em DETALHES como regras de 2021 PUNEM Mercedes e Aston Martin na F1 e saiba o que é o RAKE

PODCAST – Quais são os pilotos mais carismáticos da F1, mas sem grandes resultados?

 

compartilhar
comentários
Motorsport Games recebe Gérard Neveu como novo Conselheiro de Automobilismo

Artigo anterior

Motorsport Games recebe Gérard Neveu como novo Conselheiro de Automobilismo

Próximo artigo

Autodromo Nazionale Monza terá conteúdo dedicado na Motorsport.tv

Autodromo Nazionale Monza terá conteúdo dedicado na Motorsport.tv
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Geral