Extreme E: Loeb e Gutierrez colocam equipe de Hamilton na liderança da classificação no xPrix do Oceano, no Senegal

Etapa do Senegal é a segunda de cinco na temporada, com uma passagem pelo Pará marcada para outubro deste ano

Extreme E: Loeb e Gutierrez colocam equipe de Hamilton na liderança da classificação no xPrix do Oceano, no Senegal

Nove vezes campeão do Campeonato Mundial de Rally, Sébastien Loeb e a espanhola Cristine Gutiérrez voaram neste sábado para garantir a liderança no combinado das duas sessões de classificação, colocando a equipe do heptacampeão de Fórmula 1, Lewis Hamilton, a X44, no topo da tabela da segunda etapa da Extreme E, o xPrix do Oceano, no Senegal.

A dupla chegou para a sessão da tarde com mais de 4s de vantagem para os demais no circuito de 6,5 quilômetros na praia de Lac Rose.

Leia também:

Os tempos acabaram sendo mais lentos na parte da tarde, com as dunas de areia ficando cada vez mais fundas. Com isso, Loeb e Gutierrez entregaram um stint de 10min57s567, cerca de 10s acima do ritmo da manhã, mas foram a única dupla a marcar tempo abaixo dos 11 minutos.

Quinto de nove equipes a ir à pista, Gutierrez entregou o carro para Loeb e o francês mostrou estar bem confortável atrás do volante. Ele cruzou a linha de chegada com uma diferença massiva, de 27s58 de vantagem para a Rosberg X Racing, do campeão de 2016 da F1, garantindo para a equipe a posição interna no grid para a primeira semifinal, na manhã do domingo.

Vencedores do evento inaugural, na Arábia Saudita, a RXR conseguiu recuperar a segunda posição no combinado, se beneficiando de uma punição dada pela manhã à Abt Cupra quando a piloto reserva oficial da categoria, Jutta Kleinschmidt entrou na área oficial de mudança de pilotos antes de que seu companheiro de equipe, Mattias Ekström tivesse parado o carro.

A dupla da RXR, Johan Kristoffersson e Molly Taylor garantiram a posição apesar de um momento complicado para Taylor, quando o eixo traseiro foi levantado no ar e o carro despencou, forçando ela a desviar-se bem da linha para recuperar o controle.

A Abt Cupra garantiu a última posição na primeira semifinal com Ekström e Kleinschmidt, vencedora do Rally Dakar em 2021 (substituindo Claudia Hurtgen, doente), que registraram o segundo melhor tempo da tarde. A dupla acabou caindo de posição por conta da punição.

Jutta Kleinschmidt /Mattias Ekstrom, ABT CUPRA XE

Jutta Kleinschmidt /Mattias Ekstrom, ABT CUPRA XE

Photo by: Sam Bloxham / Motorsport Images

Kleinschmidt foi outra forçada a fazer uma manobra evasiva quando a traseira do carro levantou e o Odyssey 21 bateu de volta em um dos batentes de colisão. Ela também perdeu um pouco de tempo na troca de piloto devido a uma travada de seu dispositivo HANS.

Com Kevin Hansen substituindo Jenson Button, a JBXE foi a primeira equipe na segunda semifinal graças às saídas tranquilas dele e de sua companheira, Mikaela Ahlin-Kottulinsky.

Um problema cedo na etapa da Arábia, quando o piloto da Veloce Racing Stéphane Sarrazin rolou e danificou terminalmente a gaiola do carro, fez com que o ritmo do francês e de sua companheira, Jamie Chadwick, fosse apenas moderado.

Uma estratégia de "baixo risco", optando por uma linha diferente, assim como na manhã, fez com que eles terminassem em quinto, mas apenas em sétimo na parte da tarde.

A equipe com apoio da ART Grand Prix também fará parte da segunda semifinal como a nova "Xite Energy Racing", com um dia sem problemas mas sem esforços notáveis de Oliver Bennett e Cristina Giampaoli Zonca.

O início torrído da Chip Ganassi na Extreme E seguiu, com a equipe americana perdendo a semifinal devido a um problema com o carro na saída de Kyle LeDuc.

O americano foi o primeiro no carro e voou desde o início, indo com tudo para extrair uma margem de 6s3 em cima de qualquer piloto naquele momento. Mas uma aterrisagem pesada fez com que o carro desligasse totalmente e LeDuc foi forçado a sair do carro. A resetagem externa manual custou a eles quase quatro minuros.

Sara Price, Kyle Leduc, Chip Ganassi Racing

Sara Price, Kyle Leduc, Chip Ganassi Racing

Photo by: Colin McMaster / Motorsport Images

Ele finalmente deu continuidade com a mesma velocidade, recuperando 12s, mas ele e sua companheira, Sara Price, já estava efetivamente eliminados das semifinais.

Enquanto isso, a Andretti United teve ainda mais problemas. A resetagem do carro de Timmy Hansen na manhã foi marcada por alterações nos ajustes que não ajudaram nem ele nem sua companheira Catie Munnings, deixando ambos em oitavo.

O bicampeão mundial de rally Carlos Sainz e a equipe Acciona Sainz saiu em último após uma problema pela manhã no pacote de resfriamento da unidade de potência.

O carro foi consertado para a tarde, onde ele e Laia Sanz tiveram o sexto melhor tempo, mas sem voltas pela manhã, a dupla não teve chances.

CONHEÇA a SAGA da roda de BOTTAS que causou MAIOR 'pit stop' da HISTÓRIA da F1 e envolveu FERRARI

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: O que a liderança inédita de Verstappen representa na F1?

 

compartilhar
comentários
Porsche Cup: Paludo relata drama antes de vitória no Velocitta

Artigo anterior

Porsche Cup: Paludo relata drama antes de vitória no Velocitta

Próximo artigo

Porsche Cup: Salles admite erro em largada e paciência para chegar à vitória

Porsche Cup: Salles admite erro em largada e paciência para chegar à vitória
Carregar comentários