Fórmula 1
25 mar
Próximo evento em
62 dias
06 mai
Próximo evento em
104 dias
20 mai
Próximo evento em
118 dias
R
GP do Azerbaijão
03 jun
Próximo evento em
132 dias
10 jun
Próximo evento em
139 dias
24 jun
Próximo evento em
153 dias
R
GP da Áustria
01 jul
Próximo evento em
160 dias
R
GP da Grã-Bretanha
15 jul
Próximo evento em
174 dias
29 jul
Próximo evento em
188 dias
R
GP da Bélgica
26 ago
Próximo evento em
216 dias
02 set
Próximo evento em
223 dias
09 set
Próximo evento em
230 dias
23 set
Próximo evento em
244 dias
R
GP de Singapura
30 set
Próximo evento em
251 dias
07 out
Próximo evento em
258 dias
21 out
Próximo evento em
272 dias
28 out
Próximo evento em
279 dias
05 nov
Próximo evento em
287 dias
R
GP da Austrália
18 nov
Próximo evento em
300 dias
R
GP da Arábia Saudita
03 dez
Próximo evento em
315 dias
R
GP de Abu Dhabi
12 dez
Próximo evento em
324 dias
Análise técnica de Giorgio Piola
Assunto

Análise técnica de Giorgio Piola

Análise: A inovação que ajudou na velocidade da Toro Rosso

compartilhar
comentários
Análise: A inovação que ajudou na velocidade da Toro Rosso
Por:
, Especialista
Co-autor: Matt Somerfield

A Toro Rosso nunca foi uma equipe com medo de fazer algo diferente, e o GP da Itália destacou um desenho que ajudou no seu desempenho de velocidade nas retas

Tal como a equipa irmã Red Bull, a Toro Rosso tem consciência de que o déficit de energia que sofre significa que tem de fazer tudo o que puder com suas asas para tentar ajudar a melhorar o seu desempenho de velocidade nas retas.

Embora não tenha sido tão agressiva quanto a Red Bull em termos de níveis de downforce em Monza, a equipe novamente optou por um elemento único de design do DRS que desempenhou um papel fundamental em ajudar a mantê-la na luta este ano.

O acionador do DRS (indicado na seta) é diferente de outras equipes, pois possui um arco personalizado sob ele. Aqui está um exemplo de uma solução que é mais comumente usada em outro lugar.

Ferrari SF71H waste exhausts

Ferrari SF71H waste exhausts

Photo by: Giorgio Piola

O objetivo do projeto da Toro Rosso é garantir que, quando o DRS for ativado e a aba da asa se solte, ela não possa ultrapassar um determinado nível.

Um dos riscos, que a Sauber descobriu com o acidente de Marcus Ericsson no fim de semana, é que se a aba levantada estiver acima de certo ponto, ela pode realmente começar a gerar sustentação e não fechará quando os pilotos quiserem desativá-la.

O design da Toro Rosso significa que a equipe pode ter mais confiança de que a asa vai ficar exatamente no ponto desejado, então isso significa que ela pode ser mais agressiva porque sabe que há muito pouco risco de um problema.

Você também notará que a asa apresentava três persianas de estilo aberto na placa final em que a equipe foi pioneira em 2016 e que foram subsequentemente copiadas por todo o grid em algum momento.

Mudanças no assoalho

Não é apenas nas asas que a Toro Rosso fez algumas mudanças interessantes.

A parte da frente do pneu traseiro se tornou uma área de intenso desenvolvimento para todo o grid nos últimos anos, com uma infinidade de ranhuras, furos, abas, riscos e várias geometrias de superfície usadas para manipular o fluxo de ar antes que chegue ao pneu, alterando o seu efeito no difusor.

Mais recentemente, a borda do assoalho da Toro Rosso foi colocada para cima e apresenta uma parte traseira que influencia de forma abrupta no fluxo de ar, alterando a circulação ao redor do pneu.

Mercedes sugere 3º carro para dar chance a jovens pilotos

Artigo anterior

Mercedes sugere 3º carro para dar chance a jovens pilotos

Próximo artigo

Norris: Estreia na F1 é "muito diferente" em comparação a Hamilton

Norris: Estreia na F1 é "muito diferente" em comparação a Hamilton
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes AlphaTauri
Autor Gorgio Piola