Fórmula 1
19 mar
-
22 mar
Próximo evento em
23 dias
02 abr
-
05 abr
Próximo evento em
37 dias
30 abr
-
03 mai
Próximo evento em
65 dias
07 mai
-
10 mai
Próximo evento em
72 dias
21 mai
-
24 mai
Próximo evento em
86 dias
R
GP do Azerbaijão
04 jun
-
07 jun
Próximo evento em
100 dias
11 jun
-
14 jun
Próximo evento em
107 dias
25 jun
-
28 jun
Próximo evento em
121 dias
R
GP da Áustria
02 jul
-
05 jul
Próximo evento em
128 dias
R
GP da Grã-Bretanha
16 jul
-
19 jul
Próximo evento em
142 dias
30 jul
-
02 ago
Próximo evento em
156 dias
R
GP da Bélgica
27 ago
-
30 ago
Próximo evento em
184 dias
03 set
-
06 set
Próximo evento em
191 dias
R
GP de Singapura
17 set
-
20 set
Próximo evento em
205 dias
24 set
-
27 set
Próximo evento em
212 dias
08 out
-
11 out
Próximo evento em
226 dias
R
GP dos Estados Unidos
22 out
-
25 out
Próximo evento em
240 dias
29 out
-
01 nov
Próximo evento em
247 dias
12 nov
-
15 nov
Próximo evento em
261 dias
R
GP de Abu Dhabi
26 nov
-
29 nov
Próximo evento em
275 dias

Brawn: morte de presidente teve “grande impacto” na Ferrari

compartilhar
comentários
Brawn: morte de presidente teve “grande impacto” na Ferrari
9 de out de 2018 18:59

Atual diretor técnico da F1 e ex-membro da Ferrari aconselha a equipe italiana a permanecer unida: “Pilotos, engenheiros e chefia vencem e perdem juntos”

Diretor técnico da F1, Ross Brawn acredita que a morte de Sergio Marchionne, presidente da Ferrari, teve grande interferência no desempenho da equipe durante a temporada de 2018.

Marchionne faleceu no fim de julho, após sofrer complicações durante uma cirurgia realizada no ombro. Dali para frente, Lewis Hamilton ampliou sua vantagem sobre Sebastian Vettel no Mundial de 17 para 67 pontos, enquanto que, entre os construtores, a Mercedes aumentou a diferença de oito para 78.

Brawn, que também ocupou o cargo de diretor técnico da Ferrari no passado, considera que a tragédia do dirigente teve seu peso na disputa.

“É óbvio, mesmo por uma análise breve de como o carro da Ferrari se comporta, que se trata de um conjunto técnico muito forte, graças aos esforços dos últimos anos que viram a equipe reduzir a diferença que a Mercedes criou desde a introdução das unidades de potência híbridas, em 2014”, analisou.

“Em comparação ao ano passado, a confiabilidade da Ferrari melhorou. Então, onde está o problema? Não há dúvidas de que a chocante morte de seu líder, Sergio Marchionne, que era uma forte referência na equipe, tem um grande impacto, e isso é totalmente compreensível.”

No entanto, Brawn considera que o momento para a Ferrari é de ter sobriedade e evitar fazer mudanças emocionais para sair da fase difícil.

“Tendo vivenciado muitas crises durante minha época na Ferrari, o que sei é que este é o momento de se juntar, permanecer unidos e olhar para a frente, sem recorrer a recriminações e jogar o jogo da culpa”, comentou.

“Pilotos, engenheiros e chefia vencem e perdem juntos, o que é uma regra não-escrita de qualquer esporte, não só da F1. Todos em Maranello sabem disso. Agora é a hora de tentar dar a volta por cima e tentar terminar com estilo uma temporada que tem muitos pontos positivos.”

Próximo artigo
McLaren adota estratégia de pneus conservadora no GP dos EUA

Artigo anterior

McLaren adota estratégia de pneus conservadora no GP dos EUA

Próximo artigo

RÁDIOS: As reações dos pilotos com os incidentes no Japão

RÁDIOS: As reações dos pilotos com os incidentes no Japão
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Ferrari Compre Agora