Fórmula 1
29 ago
-
01 set
Evento encerrado
05 set
-
08 set
Evento encerrado
19 set
-
22 set
Evento encerrado
26 set
-
29 set
Evento encerrado
10 out
-
13 out
Evento encerrado
31 out
-
03 nov
Próximo evento em
13 dias
14 nov
-
17 nov
R
GP de Abu Dhabi
28 nov
-
01 dez
Próximo evento em
41 dias

Chefe da Mercedes: Experiência passada com pneus não ajuda tanto em 2019

compartilhar
comentários
Chefe da Mercedes: Experiência passada com pneus não ajuda tanto em 2019
Por:
Co-autor: Roberto Chinchero
2 de mai de 2019 12:30

Toto Wolff pondera que mudanças nas características dos compostos da Pirelli dificultam gestão das gomas na atual temporada da F1

Apesar do começo arrasador na temporada 2019, com direito a quebra de recorde (entenda na galeria abaixo), o chefe de equipe da Mercedes na Fórmula 1, Toto Wolff, acredita que os pneus mais finos introduzidos para esta temporada fizeram com que os conhecimentos adquiridos com os compostos do ano passado se tornassem menos importantes em 2019. “O aprendizado não é mais tão relevante”, disse o dirigente.

Em 2018, a Pirelli introduziu pneus com bandas ligeiramente mais finas para as corridas de Espanha, França e Grã-Bretanha, para evitar bolhas. Neste ano, a fornecedora decidiu fazer disso a especificação padrão.

Leia também:


A Ferrari, que tem sido menos agressiva em seus pneus do que a Mercedes, está sofrendo com a nova goma. Sebastian Vettel descreveu-a como o "fator mais dominante" nas performances da equipe até agora este ano.

Já Wolff disse: "Eu acho que há realmente uma janela operacional mais ampla com os pneus de 2019, mas a adaptação é natural. Quando você tem um pneu há muito tempo, todos os seus dados e todas as suas simulações são baseadas em um certo composto e uma certa estrutura”.

"Então, de repente, a banda muda de um ano para o outro e todo o seu aprendizado não é mais tão relevante. É também sobre a adaptabilidade, a equipe que aprende mais rápido a entender as novas circunstâncias."

Toto Wolff, Executive Director (Business), Mercedes AMG

Toto Wolff, Executive Director (Business), Mercedes AMG

Photo by: Steve Etherington / LAT Images

A Mercedes conquistou quatro dobradinhas consecutivas no início da temporada de 2019, mas a Ferrari foi o carro mais rápido do Bahrein e teve vantagem no Azerbaijão até a temperatura cair no treino classificatório. Isso fez com que a Mercedes tivesse um grande ganho de rendimento, conquistando a primeira fila e mantendo a Ferrari à distância na corrida.

Questionado sobre o que a Mercedes estava fazendo para ser tão eficaz com os compostos, Wolff relembrou que a equipe também sofreu nos treinos livres: "Não fizemos nada diferente. Antes, não tínhamos o pneu na janela certa de temperatura. Então tivemos que procurar o equilíbrio certo entre a qualificação e a corrida”.

"No GP, Max Verstappen foi o cara mais rápido na pista no final, mas então houve um carro de segurança virtual, seu pneu não voltou à temperatura certa e ele teve de lutar para colocar calor na goma e gerar aderência. Ele disse no rádio que não tinha aderência”, relembrou Wolff. "Essa é a ciência em que cada equipe gradualmente progride e tenta melhorar”.

Veja qual recorde a Mercedes bateu em 2019 e quais são os próximos alvos:

Galeria
Lista

Valtteri Bottas e Lewis Hamilton ajudaram a Mercedes a quebrar um novo recorde em Baku, ao se tornar a primeira equipe na história a conseguir quatro dobradinhas seguidas para abrir uma temporada

Valtteri Bottas e Lewis Hamilton ajudaram a Mercedes a quebrar um novo recorde em Baku, ao se tornar a primeira equipe na história a conseguir quatro dobradinhas seguidas para abrir uma temporada
1/11

Foto de: Glenn Dunbar / Motorsport Images

O recorde anterior era da Williams, que em 1992 começou a temporada com três dobradinhas

O recorde anterior era da Williams, que em 1992 começou a temporada com três dobradinhas
2/11

Foto de: Sutton Motorsport Images

Mercedes está a uma dobradinha de igualar o recorde de cinco consecutivas na história, feito em outras quatro ocasiões. A primeira foi da Ferrari em 1952, do GP da Bélgica até o da Holanda.

Mercedes está a uma dobradinha de igualar o recorde de cinco consecutivas na história, feito em outras quatro ocasiões. A primeira foi da Ferrari em 1952, do GP da Bélgica até o da Holanda.
3/11

Foto de: LAT Images

A Ferrari também conseguiu cinco dobradinhas seguidas entre Hungria e Japão em 2002

A Ferrari também conseguiu cinco dobradinhas seguidas entre Hungria e Japão em 2002
4/11

Foto de: Sutton Motorsport Images

A própria Mercedes fez isso na era moderna, da Malásia até Mônaco em 2014 e dos EUA 2015 até Austrália 2016.

A própria Mercedes fez isso na era moderna, da Malásia até Mônaco em 2014 e dos EUA 2015 até Austrália 2016.
5/11

Foto de: Sutton Motorsport Images

Para bater o recorde de dobradinhas, a Mercedes precisaria ter 13 no total em 2019, sendo que ela teve 12 em 2015.

Para bater o recorde de dobradinhas, a Mercedes precisaria ter 13 no total em 2019, sendo que ela teve 12 em 2015.
6/11

Foto de: Alastair Staley / Motorsport Images

A vitória em Baku foi a sexta seguida da Mercedes, mas ainda falta muito para igualar o recorde de 11 consecutivas da McLaren, que em 1988 venceu todos os GP's do Brasil até a Bélgica.

A vitória em Baku foi a sexta seguida da Mercedes, mas ainda falta muito para igualar o recorde de 11 consecutivas da McLaren, que em 1988 venceu todos os GP's do Brasil até a Bélgica.
7/11

Foto de: Sutton Motorsport Images

O recorde da McLaren é mais impressionante porque foram as 11 primeiras corridas do ano de 1988. A sequência terminou quando Ayrton Senna bateu no retardatário Jean-Louis Schlesser em Monza.

O recorde da McLaren é mais impressionante porque foram as 11 primeiras corridas do ano de 1988. A sequência terminou quando Ayrton Senna bateu no retardatário Jean-Louis Schlesser em Monza.
8/11

Foto de: LAT Images

A McLaren não chegou perto do recorde de dobradinhas, já que Senna teve problemas no câmbio no Brasil em 1988 e depois foi desclassificado por trocar de carro.

A McLaren não chegou perto do recorde de dobradinhas, já que Senna teve problemas no câmbio no Brasil em 1988 e depois foi desclassificado por trocar de carro.
9/11

Foto de: Sutton Motorsport Images

A Mercedes chegou perto das 11 vitórias seguidas da McLaren, tendo vencido 10 consecutivas do Japão 2015 até a Rússia 2016 e de Mônaco a Singapura 2016.

A Mercedes chegou perto das 11 vitórias seguidas da McLaren, tendo vencido 10 consecutivas do Japão 2015 até a Rússia 2016 e de Mônaco a Singapura 2016.
10/11

Foto de: Sutton Motorsport Images

A Mercedes teve um início perfeito, mas terá trabalho para igualar o recorde de 2016, quando venceu 19 das 21 provas, só sendo interrompida por Max Verstappen (Espanha) e Daniel Ricciardo (Malásia).

A Mercedes teve um início perfeito, mas terá trabalho para igualar o recorde de 2016, quando venceu 19 das 21 provas, só sendo interrompida por Max Verstappen (Espanha) e Daniel Ricciardo (Malásia).
11/11

Foto de: Andrew Hone / Motorsport Images

Próximo artigo
Red Bull planeja pacote de atualização sutil para GP da Espanha

Artigo anterior

Red Bull planeja pacote de atualização sutil para GP da Espanha

Próximo artigo

Sainz diz que McLaren ainda precisa melhorar em "todas as áreas"

Sainz diz que McLaren ainda precisa melhorar em "todas as áreas"
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Mercedes Compre Agora
Autor Scott Mitchell