Cosworth prepara retorno à F1 para temporada de 2021

compartilhar
comentários
Cosworth prepara retorno à F1 para temporada de 2021
Por:

Diretor executivo da empresa garante que fornecedora estaria pronta para iniciar projeto caso haja mudanças na tecnologia da categoria

A Cosworth está s preparando para um retorno à F1 em 2021, já que se comprometeu a ajudar no desenvolvimento nas novas regras de motores para a categoria, apurou o Motorsport.com.

A fabricante, que já venceu 176 GPs na F1 e competiu pela última vez em 2013, com a Marussia, recentemente participou das reuniões para definir os rumos do regulamento de motores após 2020.

Apesar de não haver a confirmação oficial dos planos, a ideia de um motor V6 turbo híbrido mais simples e barato é suficiente para que a Cosworth se sinta pronta para voltar à F1.

Hal Reisiger, diretor executivo da Cosworth, confirmou que o otimismo com os rumos das regras, além de conversas positivas com equipes da F1, o deixaram convencido de que é preciso separar recursos para o projeto.

“Acho que temos apoio suficiente das equipes existentes, com conversas com algumas delas, o que nos permite ter o comprometimento para poder continuar”, disse Reisiger, em entrevista exclusiva ao Motorsport.com.

“Quanto mais equipes comprometidas em longo prazo, sempre é melhor. Mas temos alguns acordos verbais para parcerias com equipes existentes e futuras, o que nos permitiria ser um fornecedor sustentável.”

Novas regras

A Cosworth concordou em desempenhar um papel significativo no desenvolvimento das regras de 2021 e acredita que o que está sendo proposto é factível para uma empresa como ela.

Contudo, Reisiger acredita que a F1 precisa se afastar dos elementos de recuperação de calor das atuais unidades, o que se provou tão problemático para as fabricantes.

“Nós gostamos de estar envolvidos no processo. Acho que estamos prontos para voltar à F1 se o regulamento de motor mudar, e a mudança atrativa tem de ser com a recuperação de calor [do turbo] – esse é o elemento mais caro e que dá mais trabalho.”

“Se a F1 quiser uma nova fornecedora para 2021, deveria haver algumas mudanças nesse sentido. Fomos convidados a participar da reunião, e estamos felizes por isso, então estamos comprometidos com o processo e ansiosos para isso.”

Ligação com a Red Bull

Um cenário que pode funcionar para a Cosworth seria na ajuda da criação e fabricação do motor, para que uma nova fabricante se una para mais suporte e direito de nome. 

Pelo fato da Cosworth fornecer o motor para o Aston Martin Valkyrie, desenvolvido por Adrian Newey, já há especulações de que a Red Bull seria uma óbvia parceira.

Reisiger afirmou que nenhuma decisão precisa ser tomada até o ano que vem, mas, se o retorno à F1 de fato acontecer em 2021, seria necessário iniciar a criação do motor com 12 meses de antecedência.

“Nós iniciaremos normalmente em 2018. Sei que há algumas conversas para adiantar isso em um ano, e isso faria com que os trabalhos começassem logo.”

“Acho que uma de nossas foi vista no motor de LMP1, quando fomos da criação aos testes em dinamômetro em 11 meses. Nós somos muito velozes no que diz respeito a esse tipo de capacidade. Não sei se há muitas empresas que podem ser rápidas desse jeito, mas nós temos isso.”

Sainz admite que aprendeu lição após confusão com Red Bull

Artigo anterior

Sainz admite que aprendeu lição após confusão com Red Bull

Próximo artigo

Mercedes e Ferrari rejeitam parceria com a McLaren em 2018

Mercedes e Ferrari rejeitam parceria com a McLaren em 2018
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Jonathan Noble