Mercedes e Ferrari rejeitam parceria com a McLaren em 2018

Segundo apurou o Motorsport.com, equipe inglesa se vê com poucas alternativas para motores após a falta de interesse das líderes do campeonato

Mercedes e Ferrari rejeitam parceria com a McLaren em 2018
Jonathan Neale, Managing Director, McLaren, Zak Brown, Executive Director, McLaren Technology Group
Zak Brown, Executive Director, McLaren Technology Group
Fernando Alonso, McLaren MCL32
Fernando Alonso, McLaren
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32
Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team RS17
Fernando Alonso, McLaren MCL32
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32, Daniel Ricciardo, Red Bull Racing RB13
Carregar reprodutor de áudio

Mercedes e Ferrari não estão interessadas em fornecer motores para a McLaren na próxima temporada da F1, apurou o Motorsport.com.

A McLaren está considerando um divórcio com sua atual parceira técnica, a Honda, após mais uma temporada problemática, na qual marcou apenas dois pontos nas primeiras dez corridas do ano.

O diretor executivo da equipe, Zak Brown, indicou que Mercedes e Ferrari estão tendo prazer ao ver o time sofrendo no fundo do grid.

“Somos uma ótima equipe. A McLaren já mostrou habilidade de vencer corridas e campeonatos. Mas acho que muitas outras equipes estão gostando de nos ver onde estamos hoje”, disse, em entrevista à emissora Sky Sports.

“Eles temem que nós possamos voltar a ser uma ameaça, o que é um medo compreensível.”

Levando em conta a posição de Mercedes e Ferrari, a McLaren, caso de fato rompa com a Honda, teria apenas a Renault como única alternativa.

O Motorsport.com compreende que um acordo com a Renault, mesmo que não seja impossível, é improvável, já que a fabricante francesa não pretende expandir seu número de parcerias para que isso não afete a confiabilidade do projeto.

Brown disse que a McLaren precisa tomar uma decisão final durante o verão europeu, já que Fernando Alonso está pressionando a equipe a tomar um rumo rapidamente.

“Falamos com a Honda acerca de uma variedade de cenários. No fim das contas, achamos que a Honda consegue cumprir a missão, como já conseguiram no passado.”

“Precisamos garantir que o desenvolvimento venha em uma velocidade mais rápida. Estamos começando a trabalhar em nosso carro de 2018 e só conseguimos avançar até certo ponto até que saibamos a arquitetura daquilo que estamos fazendo.”

“Então, acho que em torno do verão [europeu], o que não está tão distante, precisamos finalizar o que estamos fazendo com a Honda e seguir em frente.”

“Não podemos continuar sendo pouco competitivos – não é para isso que a McLaren corre. Já são três anos, então precisamos ver alguns ajustes drásticos sendo feitos para chegarmos lá.”

“Nós, assim como Fernando, queremos ganhar corridas e estar no pódio, mas, na situação atual, não conseguimos fazer isso. Então, algumas coisas precisam mudar.”

compartilhar
comentários
Cosworth prepara retorno à F1 para temporada de 2021
Artigo anterior

Cosworth prepara retorno à F1 para temporada de 2021

Próximo artigo

Após dez etapas, F1 atinge marca rara de equilíbrio em 2017

Após dez etapas, F1 atinge marca rara de equilíbrio em 2017