Fórmula 1 GP da Bélgica

Domenicali: F1 não precisa de novas equipes como Andretti

CEO da categoria reiterou que novas organizações que querem estar na F1 precisam obedecer protocolos

Michael Andretti, Chief Executive Officer & Chairman Andretti Autosport

O CEO da Fórmula 1, Stefano Domenicali, insiste que o esporte não precisa de novas equipes – lançando dúvidas sobre os esforços de Michael Andretti para ganhar uma futura entrada.

Andretti deixou clara sua frustração com o aparente progresso lento em sua tentativa de ingressar na categoria com uma nova equipe, tendo falhado em seus esforços para comprar a Sauber.

Leia também:

Domenicali sugeriu que está feliz com o número atual de 10 participantes e que um novato não é obrigado a agregar valor ao esporte.

Ele também destacou que, junto com a Andretti, outros partidos demonstraram interesse em entrar, mas até agora mantiveram um perfil mais baixo.

Um processo de avaliação de inscrições está em andamento, mas não há detalhes de como está progredindo ou o cronograma para qualquer decisão, que será tomada pela FIA sob seu presidente, Mohammed ben Sulayem.

“Acho que hoje, no status real da F1, não é um problema de quantidade, em que podemos ver um passo para aumentar o valor da F1”, disse Domenicali quando perguntado pelo Motorsport.com sobre o status da oferta de entrada da Andertti.

“É uma questão de entender realmente, não apenas aqueles que têm uma voz maior ou mais alta, mas haverá outras pessoas, porque Andretti foi bastante vocal sobre seu pedido. Há outros que fizeram o mesmo, de uma maneira diferente.

“Então a avaliação não é só com a Andretti, a avaliação é com outros que estão respeitando o silêncio de tentar ser mais produtivos em provar quem são e respeitando o protocolo que estabelecemos.

“Como sempre disse, não acredito que seja hoje o problema de ter mais equipes que darão mais valor ao campeonato.

“Mas há um protocolo que tem que ser cumprido. E todos, incluindo Andretti, estão seguindo isso. Então essa é a situação hoje. Não vejo nenhuma mudança. E eu não quero dizer sim ou não.”

Quando perguntado na Hungria sobre os planos de Andretti, o chefe da Mercedes, Toto Wolff, sugeriu que ele seria mais favorável se um novo fabricante planejasse entrar em uma equipe de fábrica, dizendo que isso adicionaria mais ao esporte do que o nome Andretti.

Posteriormente, o pai de Michael Andretti, Mario, sugeriu nas redes sociais que Wolff tinha muita influência no esporte.

Questionado sobre os comentários do Andretti mais velho, Domenicali defendeu Wolff.

"Bem, eu acredito que Toto tem uma posição como chefe de equipe", disse ele. "Ele é um acionista de 30% da Mercedes, ele tem a reputação de ganhar oito títulos seguidos. Então, quero dizer, sua credibilidade, não há nada a adicionar.

“Mario, eu o conheço muito, desde muito tempo. Ele está tentando apresentar sua ideia de uma maneira que ele pensou ser a maneira certa de fazer.

“Mas acredito que, como você sabe, existe uma governança em vigor. E a decisão tem que seguir o protocolo que está em vigor. E Mario é muito vocal, Michael também. E falei com eles com bastante frequência, como você pode imaginar. E precisamos respeitar isso.

“Podemos ter opiniões diferentes, no final das contas, é uma questão de seguir o protocolo. E há alguém que deve tomar a decisão final. Como eu disse, hoje não vejo fraqueza no número de equipes na F1. Essa é a minha opinião."

Sobre a sugestão de que um fabricante poderia entrar na F1 com uma nova equipe, ele disse: “Hoje estamos falando sobre os novos regulamentos, 2026. E todos os fabricantes envolvidos nisso, os titulares ou talvez os novos que veremos, estão dizendo que o tempo está correndo muito rápido, quatro anos para fazer outra unidade de energia.

“Precisamos ser prudentes porque quando estamos falando de F1, precisamos ter uma entidade ou uma equipe ou um fabricante que seja realmente sólido, muito forte e tenha total compromisso com um futuro incrível a longo prazo.

“Como eu disse hoje, não vejo honestamente a necessidade desse aumento, para ter um grande benefício para o esporte da F1.”

Domenicali também minimizou a sugestão de que a entrada deve ser ampliada de 10 para proteger o esporte da potencial perda de equipes no futuro, já que os fabricantes têm um histórico de idas e vindas.

Em vez disso, ele sugeriu que o interesse externo era bom para as titulares, na verdade aumentando seu valor.

"Acho que hoje isso não é um problema. Temos o contrário. Temos a mesma situação, mais pessoas que querem entrar, de longe, do que pessoas que querem sair.

“Como há o interesse de muitos fabricantes, mas também de muitas equipes, os atuais podem discutir, comercializar e negociar com eles, se sentirem que são fracos ou se sentirem que não há futuro para eles.

“Então, acho que também é outro valor para os que estão aqui, sabendo que ao seu redor existem fabricantes ou outras equipes que querem estar no negócio, então é um fato que, na minha opinião, obviamente reforçará o valor da F1. "

Podcast #192 – Sequência de corridas decidirá campeonato da F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Domenicali diz que Spa pode permanecer no calendário em 2023
Próximo artigo F1: Eau Rouge segue uma curva pé embaixo após reforma que tornou Spa "mais rápida"

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil