Fórmula 1 GP do Azerbaijão

Entenda o novo formato das corridas sprint da F1, que faz sua estreia no GP do Azerbaijão, em Baku

Após reunião da Comissão da F1, já existe um novo formato definitivo e confirmado para finais de semana de sprint, com estreia no meio da Eurásia; confira

A Fórmula 1 aprovou o novo formato de fim de semana de sprint do GP do Azerbaijão de 2023, com novos horários e uma qualificação para a sprint mais curta.

Após reunião da Comissão da F1, já existe um novo formato definitivo e confirmado para os finais de semana de sprint, com estreia em Baku. Será composto por apenas uma sessão de treinos livres, dois classificatórios e duas corridas, uma curta e uma longa. O Motorsport.com explica.

O editor recomenda:

A principal novidade é que, enquanto antes havia uma qualificação que decidia a ordem de partida da corrida sprint, cujo resultado por sua vez decidia a ordem de partida da corrida principal, agora haverá duas sessões de qualificação.

Uma será disputada na tarde de sexta-feira, no formato usual, e decidirá a ordem de largada do GP no domingo. Depois, na manhã de sábado, a F1 fará uma qualificação mais curta para definir o grid para a corrida sprint no sábado, com o nome 'sprint shootout'. 

A qualificação de sexta-feira em Baku terá Q1, Q2 e Q3 com duração habitual e decidirá o grid para a corrida principal de domingo.

Na classificação do sábado (será composta por Q1, Q2 e Q3, mas mais curta), será definido o grid para a corrida sprint disputada no mesmo dia em Baku, uma prova reduzida de apenas 17 voltas.

Como é o formato de sprint com duas sessões de qualificação? Quanto dura?

A F1 decidiu realizar duas sessões de qualificação separadas, com a principal mudança sendo a duração da qualificação no sábado. Mas ambas as sessões serão compostas pelas mesmas rodadas eliminatórias (no caso da disputa de sábado, haverá um 'S' de sprint na frente do 'Q', para diferenciar), ou seja, SQ1 (disputada por todos), SQ2 (os 15 mais rápidos do Q1) e SQ3 (os 10 mais rápidos do Q2), mas com menor duração.

  • SQ1: A primeira rodada da qualificação sprint terá duração de 12 minutos. Os 20 pilotos participam e ao final desses 12 minutos os 15 mais rápidos acessam o SQ2 e os cinco mais lentos são ordenados do 16º ao 20º para a corrida sprint no sábado.
  • SQ2: A segunda rodada da qualificação sprint terá duração de 10 minutos. Os 15 pilotos mais rápidos no SQ1 participam e ao final desses 10 minutos os 10 mais rápidos vão para o SQ3 e os cinco mais lentos são ordenados do 11º ao 15º para a sprint.
  • SQ3: A terceira e última rodada da qualificação sprint terá duração de 8 minutos. Participam os 10 pilotos mais rápidos do SQ2 e ao final desses 8 minutos é definido todo o grid, ordenado do 1º (pole position) ao 10º para a corrida sprint.

O que a F1 quer é que cada piloto faça apenas um stint em cada uma das partes do quali de sábado, mas parece que será possível fazer duas tentativas no Q3, embora com pouco tempo para trocas de pneus ou voltas de aquecimento.

O uso de pneus em um fim de semana de sprint foi objeto de muito debate, visto que apenas 12 jogos estão disponíveis em vez de 13, e que o TL2 foi substituído pela qualificação. Nesse sentido, foi decidido que em Baku cada piloto terá 2 jogos de pneus duros, 4 jogos de médios e 6 jogos de macios. E que terão de guardar três jogos de pneus novos para os utilizar nas três sessões do sprint shootout, em que os médios serão obrigatórios para SQ1 e SQ2, e os macios para o SQ3.

A questão das penalidades foi outra das discussões da Comissão da F1, dada a tentativa de tornar a corrida sprint independente da corrida principal. Assim, foi acordado entre categorias e equipes que:

  • As penalidades de grid acumuladas no TL1 ou classificação (ou seja, na sexta-feira) serão aplicadas à corrida de domingo
  • Uma penalidade de grid por uma ação durante a sprint shootout será aplicada à corrida sprint
  • Uma penalidade de grid por uma ação durante a corrida sprint será aplicada à corrida de domingo
  • Ignorar o parque fechado forçará o piloto a largar do pitlane tanto na corrida sprint quanto na corrida principal no domingo

Como de praxe, as penalidades por trocas de componentes na caixa de câmbio e na unidade de potência, processadas em qualquer momento do fim de semana, são aplicadas no GP em si, domingo.

A distribuição de pontos na corrida sprint continuará a ser a seguinte:

  • 8 pontos para o vencedor da prova curta
  • 7 pontos para o 2º colocado
  • 6 para o 3º
  • 5 para o 4º
  • 4 para o 5º
  • 3 para o 6º
  • 2 para o 7º
  • 1 para o 8º

Por que a F1 está mudando o formato do fim de semana sprint?

Desde que o formato sprint foi introduzido e testado na F1 em três corridas de 2021, o foco tem sido aprimorar o sistema e fazer as mudanças necessárias para torná-lo mais emocionante. E esse é o objetivo principal: dar mais emoção ao evento e gerar mais espetáculo.

Além disso, em todos os dias do fim de semana há pelo menos uma sessão importante: na sexta-feira, a classificação principal; no sábado, a classificação sprint e a corrida sprint; no domingo, o GP. Por outro lado, com apenas um treino livre, as equipes terão pouco tempo para configurar seus carros antes que seus acertos fiquem 'congelados' em parque fechado para o restante das sessões, então há uma chance maior de erros, o que pode promover uma 'desordem' no grid.

Com essas últimas mudanças no formato sprint, foi eliminada uma sessão de treinos livres, o TL2 de sábado, que era muito inútil e tedioso tanto para as equipes/pilotos quanto para os torcedores nas sprints de 2021 e 2022. Agora, haverá uma emocionante qualificação sprint.

Com o formato que a F1 tinha para a sprint até agora, a corrida de sábado forçava os pilotos a arriscar muito pouco. Não valia a pena arriscar um acidente que geraria posição de largada ruim para a corrida principal de domingo, quando há muito mais pontos em jogo (25 pontos para o vencedor). Agora, na teoria, você pode arriscar mais porque o resultado de sábado não afeta a posição inicial de domingo, que já estará definida na sexta. Porém, há preocupação orçamentária.

Podcast #226 – Galvão Bueno faz falta no atual momento da F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Podcast #227 - Quem tem mais a ganhar e a perder após 'miniférias' da F1?
Próximo artigo F1 - Chefe da Haas dispara sobre futuro de Hamilton: "Equipes não estão olhando para ele"

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil