F1: Andretti diz que controle, e não dinheiro, matou compra da Alfa Romeo

CEO da Andretti Autosport esclareceu o que deu errado em aquisição de equipe e que Liberty não ajudou no processo

F1: Andretti diz que controle, e não dinheiro, matou compra da Alfa Romeo

Michael Andretti refutou rumores de que seus planos de entrar na Fórmula 1 com a Alfa Romeo atingiram um obstáculo financeiro e, em vez disso, disse que era sobre o controle da equipe.

Falando no anúncio de que Devlin DeFrancesco completará a escalação de quatro entradas da equipe na IndyCar em 2022, o CEO da Andretti Autosport disse: "Eu gostaria apenas de pôr fim a alguns desses rumores de que o negócio fracassou por causa de problemas financeiros. Isso não poderia estar mais longe da verdade. Não tinha nada a ver com isso.”

Leia também:

“Basicamente, tudo se resumia à questão do controle nas horas finais das negociações. Foi isso que matou o negócio.”

"Eu sempre disse que se o negócio não fosse certo, não o faríamos e, no final, não estava certo. Por isso, continuamos em busca de outras oportunidades."

Andretti acrescentou mais tarde: "Infelizmente, em cima da hora, questões de controle mudaram e foi um acordo do qual tivemos de nos afastar porque não podíamos aceitá-lo. Eu sempre disse que só o faríamos se estiver certo para nós, e no final não estava certo para nós."

Questionado pela agência de notícias AP para esclarecer se ele queria dizer que se esperava que Andretti Autosport "comprasse e não controlasse", Andretti acenou com a cabeça e disse: "Basicamente."

Andretti, que tem 42 vitórias na IndyCar, confirmou publicamente pela primeira vez que a transferência de Colton Herta para a Fórmula 1 realmente fazia parte de seu plano de expansão.

"Obviamente, se conseguirmos uma equipe, [Herta] abrirá caminho para nós em termos de querer trazer um piloto americano", disse ele. "Ele seria o cara perfeito para fazer isso. Quer dizer, nós definitivamente íamos tentar colocá-lo no assento porque eu acredito que ele poderia ser um piloto competitivo na Europa. Eu realmente acredito.”

Ele concordou que havia muito entusiasmo na F1 por um americano e o retorno do nome Andretti, mas que a Liberty não havia se envolvido ativamente na tentativa de fazer isso acontecer.

"Liberty? Não", ele comentou. "Acho que eles gostariam, obviamente, porque estão realmente pressionando o mercado americano, mas não estavam fazendo nada para nos ajudar. Acho que teria sido uma grande história. É uma pena que não deu certo, mas eu não desisto...”

"Nossos olhos sempre ficarão abertos. Sempre procuraremos oportunidades lá, não apenas lá, mas em outras categorias, também, em outros tipos de corrida. É isso que fazemos. Estamos no negócio de corridas, e estamos sempre em busca de oportunidades de expansão.”

"Mas quando expandimos, temos que ter certeza de que é um negócio adequado, que sabemos que podemos ser competitivos porque isso é muito importante para nossa marca - sermos competitivos em tudo o que fazemos."

Andretti também confirmou que se Herta tivesse mudado para a Fórmula 1, o campeão da Indy Lights de 2021, Kyle Kirkwood, teria tomado seu lugar na equipe da Indy.

F1 2021: O que MERCEDES e HAMILTON precisam fazer para reverter FAVORITISMO da RED BULL no México | TELEMETRIA

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #142 – Verstappen e Hamilton vão bater como Senna e Prost?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 
compartilhar
comentários
F1: Entenda por que a Red Bull é beneficiada pelo ar rarefeito do México
Artigo anterior

F1: Entenda por que a Red Bull é beneficiada pelo ar rarefeito do México

Próximo artigo

F1 está perto de entrar em 'era de ouro' lucrativa e atraente para investidores; entenda

F1 está perto de entrar em 'era de ouro' lucrativa e atraente para investidores; entenda
Carregar comentários