Fórmula 1
25 mar
Próximo evento em
27 dias
06 mai
Próximo evento em
69 dias
20 mai
Próximo evento em
83 dias
R
GP do Azerbaijão
03 jun
Próximo evento em
97 dias
10 jun
Próximo evento em
104 dias
24 jun
Próximo evento em
118 dias
R
GP da Áustria
01 jul
Próximo evento em
125 dias
R
GP da Grã-Bretanha
15 jul
Próximo evento em
139 dias
29 jul
Próximo evento em
153 dias
R
GP da Bélgica
26 ago
Próximo evento em
181 dias
02 set
Próximo evento em
188 dias
09 set
Próximo evento em
195 dias
23 set
Próximo evento em
209 dias
R
GP de Singapura
30 set
Próximo evento em
216 dias
07 out
Próximo evento em
223 dias
21 out
Próximo evento em
237 dias
28 out
Próximo evento em
244 dias
R
GP da Arábia Saudita
03 dez
Próximo evento em
280 dias
R
GP de Abu Dhabi
12 dez
Próximo evento em
289 dias

F1: Apesar de domínio, Mercedes ainda é assombrada por “pessimismo”, diz Wolff

Chefe da Mercedes relata que equipe de F1 tem mentalidade paranoica antes dos resultados começarem a aparecer

compartilhar
comentários
F1: Apesar de domínio, Mercedes ainda é assombrada por “pessimismo”, diz Wolff

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, disse que sua equipe continua a ser assombrada por "ceticismo e pessimismo", apesar do recorde de sete títulos mundiais – de pilotos e construtores – seguidos na Fórmula 1.

A montadora alemã é dominante desde o início da era híbrida em 2014, e estava um passo à frente dos rivais no ano passado, derrotada apenas três vezes.

Leia também:

Wolff disse que a escala de vantagem que tinha em 2020 o pegou de surpresa, com a Red Bull ficando aquém e o ritmo da Ferrari diminuindo.

No entanto, Wolff disse em uma entrevista exclusiva ao Motorsport.com que a chave para seu sucesso contínuo é uma mentalidade paranoica na equipe que a faz temer que sua corrida de domínio acabe cedo.

“Todos os anos, atuações semelhantes às que tivemos [em 2020] nos surpreendem, porque, por natureza, somos pessoas céticas”, disse Wolff.

“Isso nos mantém alerta para as metas que nos propomos e estamos sempre um pouco atrasados.”

“Nesse aspecto, todos ficamos agradavelmente surpresos quando vemos que estamos em uma boa posição. Mas aquele ceticismo e pessimismo em torno de nosso próprio nível de desempenho continua a nos assombrar durante todas as temporadas.”

“Nunca temos certeza de que vamos conseguir, até que esteja realmente feito. E não estamos procurando elogios aqui. É simplesmente a atitude que temos.”

Wolff disse que não tem resposta sobre porque rivais fortes como Red Bull e Ferrari não conseguiram ser fortes o suficiente nos últimos anos, embora ele sugira que alguns pontos fortes da Mercedes ajudaram.

“Respeitamos nossos rivais e temos muito respeito pelas pessoas dessas equipes”, disse ele. “Vejo esses caras no paddock e sei que estão dando tudo, da mesma forma que a gente está dando tudo.”

“Não posso realmente olhar para outras organizações e é por isso que é muito difícil para mim identificar onde estão seus pontos fracos ou onde temos vantagens.”

“Só sei que somos um bom lugar para trabalhar, somos um lugar divertido, mas também somos um lugar que nos pressiona.”

“Você precisa capacitar. Você precisa ser um lugar seguro para os funcionários. Você precisa permitir que eles falem, cometam erros e tenham os valores certos. E tudo isso só pode ser construído com o tempo.”

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

Top-7: Veja os nomes mais importantes para a construção da dinastia Mercedes na F1

PODCAST: Quem ou quais foram os maiores fiascos da F1 em 2020?

 

F1: GP da Austrália deve ser adiado por causa da Covid-19; entenda

Artigo anterior

F1: GP da Austrália deve ser adiado por causa da Covid-19; entenda

Próximo artigo

Marko diz que fracasso de Vettel na Ferrari foi causado por "insegurança" desde GP da Alemanha de 2018

Marko diz que fracasso de Vettel na Ferrari foi causado por "insegurança" desde GP da Alemanha de 2018
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Jonathan Noble