Últimas notícias

F1: Briatore revela que ficou perto de ir para Ferrari duas vezes

Dirigente italiano diz que esteve perto do time de Maranello nos anos 1990 e na época de Montezemolo

Flavio Briatore
Flavio Briatore talks, Fernando Alonso, Renault Sport F1 Team R25
Max Verstappen, Red Bull, meets Flavio Briatore
Race winner Fernando Alonso celebrates with Flavio Briatore
Il vincitore della gara Michael Schumacher, Benetton, Flavio Briatore
Podio: il terzo classificato David Coulthard, Red Bull Racing, Flavio Briatore, Managing Director Renault F1
Flavio Briatore si congratula con Michael Schumacher, Benetton
Flavio Briatore e Fernando Alonso, McLaren
Fernando Alonso, McLaren, con Flavio Briatore, in griglia di partenza

Flavio Briatore foi um pilar da Fórmula 1 por anos. Entre Benetton e a Renault, venceu quatro campeonatos de construtores e de pilotos, divididos igualmente entre Michael Schumacher e Fernando Alonso, duas joias descobertas pelo dirigente italiano.

Desde de 2009, após investigações realizadas pela FIA pelo esquema que beneficiou Alonso no GP de Singapura de 2008, a Renault decidiu retirá-lo da equipe e, desde então, Briatore não voltou à F1. Foi banido, teve a decisão revertida, mas continuou fora da categoria.

Leia também:

Em entrevista para a Autosprint, Briatore voltou a discutir seu período na categoria máxima do automobilismo, revelando: "Havia duas equipes que me amariam. A Ferrari me procurou pela primeira vez entre 1994 e 1995".

"Conversei seriamente com Umberto Agnelli, mas estava muito ocupado com a Benetton, com quem também tinha uma participação de 30%. Mais recentemente, conversei com Montezemolo quando ele era presidente, mas não conseguimos acertar”.

"A Mercedes é um encouraçado invencível. Pelo menos 5 ou 6 pilotos, incluindo Alonso, teriam conquistado o título com o carro de 2019. Mas não tiro mérito de Hamilton, porque você também precisa derrotar seu companheiro de equipe. Já na Ferrari, Leclerc e Vettel seguirão em igualdade de condições, mas após cinco corridas você terá que decidir em quem apostar”, disse o empresário, marcado pela amizade com Alonso. Relembre os carros do espanhol na F1:

Minardi M01 (1999)
Teste na Fórmula 1.
Benetton B200 (2000)
Teste na Fórmula 1.
Minardi PS01 (2001)
Fórmula 1.
Renault B201 (2002)
Teste na Fórmula 1.
Renault R22 (2002)
Teste na Fórmula 1.
Renault R23 (2003)
Fórmula 1.
Jaguar R3 (2002)
Teste na Fórmula 1.
Renault R24 (2004)
Fórmula 1.
Renault R25 (2005)
Fórmula 1.
Renault R26 (2006)
Fórmula 1.
McLaren MP4-21 (2006)
Teste na Fórmula 1.
McLaren MP4-22 (2007)
Fórmula 1.
Renault R28 (2008)
Fórmula 1.
Renault R29 (2009)
Fórmula 1.
Ferrari F10 (2010)
Fórmula 1.
Ferrari 150° Italia (2011)
Fórmula 1.
Ferrari F2012 (2012)
Fórmula 1.
Ferrari F138 (2013)
Fórmula 1.
Ferrari F14-T (2014)
Fórmula 1.
McLaren MP4-30 Honda (2015)
Fórmula 1.
McLaren MP4-31 (2016)
Fórmula 1.
McLaren MCL32 (2017)
Fórmula 1.
McLaren MCL33 (2018)
Fórmula 1
McLaren MCL34   (2019)
Teste de F1
24

Briatore também abordou a questão delicada de Vettel. Segundo o dirigente italiano, o alemão tem um problema psicológico, mas, com um carro competitivo, o tetracampeão lutaria “facilmente” pelo título.

Por fim, o ex-chefe da Renault focou nos jovens talentos da F1: "Eu realmente gosto de Verstappen, ele está no topo, é forte e consegue fazer a criação de espetáculos. Mas ele deve aprender a calar a boca".

“A declaração sobre a Ferrari, que ele disse estar trapaceando, poderia ter sido evitada por dois motivos. Primeiro: não era para ele dizer isso. Segundo, não era verdade”, ponderou o polêmico Briatore.

“Se eu tivesse que formar meu próprio time, levaria Leclerc e Max, dois fenômenos, a fim de vencer todo o GP e o campeonato pelos próximos 10 anos. Como carro, eu escolheria o motor da Ferrari, que é o melhor, e o chassi da Mercedes”, completou.

Jordan, Benetton de Briatore, Ferrari e Mercedes; relembre carros de Schumi na F1:

1991: Jordan/Benetton - 14º lugar, 4 pontos, 6 GPs
1991: Jordan/Benetton - 14º lugar, 4 pontos, 6 GPs
1992: Benetton - 3º lugar, 1 vitória, 53 pontos, 16 GPs
1993: Benetton - 4º lugar, 1 vitória, 52 pontos, 16 GPs
1994: Benetton - Campeão, 8 vitórias, 92 pontos, 16 GPs
1995: Benetton - Campeão, 9 vitórias, 102 pontos, 17 GPs
1996: Ferrari - 3º lugar, 3 vitórias, 59 pontos, 16 GPs
1997: Ferrari - Desclassificado (2º lugar), 5 vitórias, 78 pontos, 17 GPs
1998: Ferrari - 2º lugar, 6 vitórias, 86 pontos, 16 GPs
1999: Ferrari - 5º lugar, 2 vitórias, 44 pontos, 10 GPs
2000: Ferrari - Campeão, 9 vitórias, 108 pontos, 17 GPs
2001: Ferrari - Campeão, 9 vitórias, 123 pontos, 17 GPs
2002: Ferrari - Campeão, 11 vitórias, 144 pontos, 17 GPs
2003: Ferrari - Campeão, 6 vitórias, 93 pontos, 16 GPs
2004: Ferrari - Campeão, 13 vitórias, 148 pontos, 18 GPs
2005: Ferrari - 3º lugar, 1 vitória, 62 pontos, 19 GPs
2006: Ferrari - 2º lugar, 7 vitórias, 121 pontos, 18 GPs
2010: Mercedes - 9º lugar, 72 pontos, 19 GPs
2011: Mercedes - 8º lugar, 76 pontos, 19 GPs
2012: Mercedes - 13º lugar, 49 pontos, 20 GPs
20

Siga o Motorsport.com Brasil no Twitter, Facebook, Instagram e Youtube.

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Chefe da Red Bull: Hamilton terá que aguentar Verstappen e Leclerc
Próximo artigo Todt cita populações carentes para defender mais corridas na F1

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil