F1: Circuito das Américas renova contrato por mais cinco anos

Pista do Texas receberá GP dos Estados Unidos até a temporada de 2026

F1: Circuito das Américas renova contrato por mais cinco anos
Carregar reprodutor de áudio

O GP dos Estados Unidos permanecerá no Circuito das Américas (COTA) pelos próximos cinco anos, depois que a Fórmula 1 anunciou uma extensão de contrato nesta sexta-feira (18).

O COTA tem sido um dos pilares do calendário da F1 desde que a categoria retornou aos Estados Unidos em 2012, e desfrutou de um aumento de interesse graças ao crescimento da base de fãs.

Leia também:

A F1 relatou um público de 400.000 pessoas para o fim de semana de corrida de outubro no COTA, que foi a última corrida sob o contrato anterior.

Um novo acordo para o GP dos Estados Unidos no COTA sempre foi esperado, com um anúncio oficial sendo feito nesta sexta-feira para garantir que a pista permaneça no calendário até pelo menos o final da temporada de 2026.

“Estamos empolgados em anunciar a extensão com o Circuito das Américas antes da emocionante nova temporada de 2022”, disse o CEO e presidente da F1, Stefano Domenicali.

“Quero agradecer ao promotor por sua dedicação e entusiasmo contínuos pela Fórmula 1, em que juntos continuamos a aumentar o entusiasmo em torno do nosso esporte nos EUA após o enorme sucesso da Netflix, o trabalho da ESPN e a incrível temporada que tivemos em 2021.

“Austin é uma ótima cidade, e a pista é a favorita de todos os pilotos, e mal podemos esperar para voltar em outubro para mais ação e entretenimento.”

A série Drive to Survive da Netflix tem sido fundamental para impulsionar o crescimento da F1 nos Estados Unidos, que sediará dois GPs pela primeira vez desde 1984 este ano. O GP de Miami está programado para maio. Também permanece o interesse de Las Vegas em potencialmente sediar uma corrida incorporando sua famosa avenida Strip.

O COTA foi construído especificamente para a F1 antes do renascimento do GP dos Estados Unidos há 10 anos. A corrida saiu do calendário após a corrida de 2007 em Indianápolis, dois anos após o desastre do pneu que viu seis carros começarem a corrida.

“O GP dos Estados Unidos de Fórmula 1 se tornou um dos maiores eventos do mundo”, disse Bobby Epstein, sócio fundador do COTA.

“Obrigado a todos na comunidade da Fórmula 1 por apoiar nossos esforços e recompensar nosso trabalho duro. Estamos felizes por termos renovado nossos compromissos e esperamos muitos mais anos de corridas, entretenimento e diversão no campeonato mundial”.

Masi DEMITIDO (e quem substitui), Ferrari REVOLUCIONÁRIA e NOVO CHEFE da Alpine: dia de BOMBAS na F1

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #162: Quais outras rivalidades podem implodir na F1 em 2022?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
Hamilton diz que demissão de Masi ainda não é suficiente para recuperar confiança na F1
Artigo anterior

Hamilton diz que demissão de Masi ainda não é suficiente para recuperar confiança na F1

Próximo artigo

F1: Russell faz ‘estreia’ com W13 da Mercedes em Silverstone

F1: Russell faz ‘estreia’ com W13 da Mercedes em Silverstone