F1 - Desolado, Hamilton 'perde as esperanças' no Mundial: obviamente, não estamos lutando pelo campeonato

Na classificação de sexta-feira, a Mercedes não avançou para o Q3 pela primeira vez desde o GP do Japão de 2012

F1 - Desolado, Hamilton 'perde as esperanças' no Mundial: obviamente, não estamos lutando pelo campeonato
Carregar reprodutor de áudio

Desolado, Lewis Hamilton perde as esperanças de brigar pelo Mundial na temporada de 2022 da Fórmula 1

Durante a classificação de sexta-feira, a Mercedes não avançou para o Q3 pela primeira vez desde o GP do Japão de 2012, com George Russell se classificando em 11º e Lewis Hamilton em 13º. 

Mas enquanto a Mercedes esperava se beneficiar da corrida extra de sábado para subir no grid e obter uma posição melhor para o GP de domingo, ficou surpresa ao descobrir que não fez nenhum progresso durante a sprint de 21 voltas. 

Leia também:

Em entrevista após a 'mini corrida', Hamilton disse que ele e a Mercedes têm "trabalhado duro" para entender e 'acertar' o W13.

"Bem, nós temos dados. Muito trabalho está sendo feito em segundo plano, mas é isso que é, é isso que temos. Em última análise, não acertamos este ano e todos estão trabalhando duro para corrigi-lo", disse o britânico.

Apesar de estar empenhado em extrair o melhor desempenho da Mercedes em 2022, Hamilton 'perdeu as esperanças' de brigar pelo Mundial: "Obviamente não está lutando pelo campeonato".

"A equipe passou por muitos, muitos anos ruins, a maioria das pessoas com quem estou trabalhando está com a equipe há 20 anos, então eles passaram por isso. Não foi o melhor dos anos em 2013, mas tivemos ótimos anos desde então", disse Hamilton.

"Nós nos mantemos juntos, tentamos motivar todos e esta é a situação que enfrentamos, mas todos estão de cabeça baixa e todos estão trabalhando o máximo que podem. Obviamente, não estamos lutando pelo campeonato, mas estamos lutando para entender o carro e melhorar, e progredir ao longo do ano, é tudo o que podemos esperar agora."

Seu companheiro na Mercedes, George Russell, explicou que a equipe alemã também não tinha a velocidade máxima para aproveitar ao máximo as zonas de DRS de Ímola. 

"É complicado, essas corridas sprint", disse Russell. “Eu não sei como foi o resto da corrida, mas parecia uma procissão de onde estávamos. A corrida não é longa o suficiente para causar alguma degradação dos pneus e algumas diferenças entre os pilotos e os carros, temos trabalho a fazer."

“Acho que o carro está mais rápido, mas ainda não temos velocidade na reta para avançar e aqui você tem pequenas torções na reta para limitar as oportunidades de ultrapassagem, o que interrompeu nosso progresso."

"Foi claramente um fim de semana difícil para nós e provavelmente superamos as primeiras corridas e neste fim de semana provavelmente ficamos atrás de onde merecemos estar. Acho que sabemos o motivo, o aquecimento dos pneus foi muito difícil e ontem estava muito frio, apenas 13 graus, então acho que é por isso que você viu a Haas e a McLaren, que geralmente têm ritmo de corrida difícil, mas são muito bom em uma volta, então foi difícil aquecer os pneus". disse Russell.

"Queremos tentar encontrar o equilíbrio de alguma forma, mas não há nada que possamos realmente fazer para amanhã, então vamos tentar ficar no topo e capitalizar quando for possível", concluiu.

F1 AO VIVO: Verstappen PASSA Leclerc no fim e vence Sprint em Ímola; Hamilton termina APENAS em 14º

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast debate classificação para o GP da Emilia Romagna, com Verstappen na pole

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1- Pérez espera dobradinha da Red Bull no GP da Emilia Romagna: não é bom para os tifosi
Artigo anterior

F1- Pérez espera dobradinha da Red Bull no GP da Emilia Romagna: não é bom para os tifosi

Próximo artigo

F1: Sainz acredita que ainda pode vencer em Ímola após batida "dolorosa" de sexta

F1: Sainz acredita que ainda pode vencer em Ímola após batida "dolorosa" de sexta