F1: Entenda como a introdução de um novo pneu pode afetar a temporada de 2021

Pirelli aplicará a mudança na 10ª etapa da campanha, no GP da Inglaterra

F1: Entenda como a introdução de um novo pneu pode afetar a temporada de 2021

Os pneus desempenharam um papel fundamental ao longo da temporada de 2021 da Fórmula 1, especialmente na luta acirrada entre a Mercedes e a Red Bull. Portanto, a mudança que a Pirelli fará para a 10ª etapa da campanha, no GP da Inglaterra, pode retirar todo o conhecimento anterior e ter um grande impacto.

A partir de agora, ninguém, nem a Pirelli ou as equipes, sabe como será a mudança. Os novos pneus só serão testados na sexta-feira do GP da Áustria.

Leia também:

Mudar para uma banda lateral mais rígida pode fazer pouca ou nenhuma diferença, mas também pode ter um impacto no equilíbrio da competitividade dentro e fora da pista, pelo menos até que as escuderias aprendam a administrá-la.

Os novos pneus serão estreados na classificação para a primeira corrida de sprint em Silverstone, com todas as equipes dando um passo rumo ao desconhecido em um novo formato de fim de semana.

Eles serão usados no TL1 na sexta-feira ao meio-dia, então irão direto para a classificação, com muito pouca oportunidade de ajustar seus carros.

Questionado pelo Motorsport.com sobre o impacto dos novos pneus, o chefe da Mercedes, Toto Wolff, disse:  “Ninguém sabe realmente em qual cabeça ela explodirá. Você pode estar do lado da sorte ou do lado do azar. Vamos testá-los na próxima semana e ver como eles se saem. Mas ninguém sabe."

“Afeta muito, porque só temos 60 minutos de treinos livres, então temos um tempo limitado e agora você também tem que experimentar outro pneu. Mas podemos enfrentar desde que seja igual para todos nós. Assumiremos o desafio e tentaremos descobrir o que aprender com estes pneus e que feedback dar à Pirelli, isso é bom."

O novo pneu é parte da resposta da fabricante italiana às falhas sofridas por Max Verstappen e Lance Stroll no Azerbaijão. O primeiro passo foi a Diretriz Técnica que restringiu possíveis manobras para o GP da França, junto com pressões de largada mais altas.

Daños del neumático en el coche de Max Verstappen, Red Bull Racing RB16B

Daños del neumático en el coche de Max Verstappen, Red Bull Racing RB16B

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

Como Silverstone é um circuito conhecido por problemas de pneus, a Pirelli queria dar um passo além.

A possibilidade de mudar a construção traseira foi discutida nas últimas duas semanas, e o plano foi confirmado em uma reunião dos chefes de equipes na Áustria na tarde de sexta-feira, presidida pelo diretor esportivo da categoria, Ross Brawn. Na ocasião, o chefe da Pirelli na F1, Mario Isola, teve a oportunidade de apresentar o projeto da empresa italiana.

A presença de Brawn como presidente da reunião indicou a grande mudança que representa e como é importante evitar a repetição dos fracassos de Baku. 

"É uma evolução", disse Brawn ao Motorsport.com após a reunião. “A Pirelli quer dar mais margens para as equipes trabalharem. E é uma mudança sensata. Eu acho que é algo que todas as equipes apoiam e um movimento lógico."

"Acho que as mudanças que foram feitas com a restrição de pressão teriam sido suficientes para controlar a situação. Mas queremos dar um pouco mais de margem."

Questionado se tal mudança poderia levar a reclamações de times que inicialmente não conseguissem se adaptar ao novo pneu, o britânico respondeu: "Bem, a F1 é muito competitiva, então alguém vai encontrar um problema! Mas eu acho que não. Acho que as equipes nos apoiam muito e estou otimista de que não haverá problemas."

As escuderias receberam apenas informações básicas sobre as borrachas novas e receberão detalhes mais completos na terça-feira. Então, na próxima sexta-feira, cada piloto terá dois jogos para usar no TL1 ou TL2, além da alocação usual de um fim de semana de corrida. Esse teste é essencial e, sem um resultado positivo, os novos pneus não poderão ser usados no GP da Inglaterra.

"Estamos falando de uma construção que nunca testamos antes na pista", admitiu Isola. “Essa construção foi uma ideia que tivemos no ano passado, quando estávamos desenvolvendo os pneus de 13 polegadas para 2021. Se você se lembra, testamos diferentes construções em Portimão. E aí tínhamos um prazo para respeitar a aprovação da nova construção de 2021."

“Mas depois de Portimão também tivemos outras ideias sobre como tornar o pneu traseiro mais duro. E fazemos alguns protótipos. Normalmente executamos vários testes internos para avaliar o nível de integridade do pneu. E a nova construção foi positiva nesse aspecto.”

“A construção de 2021 é sem dúvida um passo melhor do que a de 2020. Mas o novo que queremos propor é mais um passo claro na direção de termos um pneu mais robusto do que o atual."

Neumáticos Pirelli en Azerbaiyán

Neumáticos Pirelli en Azerbaiyán

Photo by: Steven Tee / Motorsport Images

“Por que queremos testá-lo e por que queremos apresentá-lo? É verdade que, com a nova diretriz técnica, temos agora uma situação muito melhor. O tipo e a quantidade de verificações que a FIA faz agora estão nos dando uma boa garantia de como as equipes estão fazendo os pneus funcionar."

“Mas também está claro que ainda não temos um sensor de pressão padrão. E até 2022 é impossível introduzir um sensor padrão. Portanto, a situação melhorou enormemente em comparação com algumas corridas atrás, mas ainda temos a impossibilidade de controlar a pressão durante a corrida. E temos um ano agitado pela frente. É por isso que acreditamos que ter esta solução ao nosso alcance e não utilizá-la não é a decisão certa.”

O novo pneu também permite que a Pirelli teste algumas ideias para o próximo ano, como Isola explicou: "Esta nova construção tem alguns conceitos que estamos planejando introduzir no pneu de 18 polegadas também."

“Então, quando descobrimos que essa integridade melhorou no protótipo, que testamos no final do ano passado, esses conceitos foram adaptados para o pneu de 18 polegadas. E agora, se o introduzirmos, também estarão nos atuais de 13 polegadas. É um bom teste para o pneu de 18 polegadas também, porque a ideia será nos dois pneus."

Assim como Brawn, Isola minimizou o potencial impacto nas equipes e explicou que o perfil do novo pneu é igual ao atual.

“Obviamente, é uma construção diferente em termos de geometria e desenho de pneus. Não vamos mudar o perfil externo, porque senão afeta o design do fundo plano e o downforce na parte traseira do carro", disse.

"Portanto, não vai mudar esses elementos. Mas é mais robusto. Em termos de manuseio, não estou esperando uma grande mudança no equilíbrio ou algo assim. Mas temos que testá-lo na pista para confirmar isso."

Apesar do que Isola disse sobre manter a forma estática, em alta velocidade uma banda lateral mais rígida se flexiona de maneira diferente. Essa mudança de movimento terá inevitavelmente um impacto aerodinâmico, principalmente no que diz respeito à interação entre o pneu e o fundo plano, uma área crítica para todos os carros em 2021.

Outra coisa a ser considerada nos monoposto: o aspecto geral da dinâmica do carro. Os pneus são considerados parte da suspensão da F1. Com uma banda lateral mais rígida, isso introduziria uma taxa maior de efeito mola e também afetaria outros parâmetros dinâmicos como força nas curvas e deslizamento. No entanto, se a Pirelli compensou isso com o resto da construção, então pode acontecer que as forças laterais aplicadas ao pneu sejam quase uniformes.

Lance Stroll, Aston Martin

Lance Stroll, Aston Martin

Photo by: Glenn Dunbar / Motorsport Images

"No papel, as mudanças não são grandes em termos de comportamento esperado. Portanto, não acho que afetem a ordem competitiva das equipes", disse Isola.

“Eles têm que testá-los e obviamente vão tentar entender o novo pneu o mais rápido possível. Isso é normal, sempre há uma curva de aprendizado."

“Obviamente, não estamos falando de um pneu completamente diferente. Isso significa que não espero que a curva de aprendizado seja muito longa."

As equipes não tiveram voz na decisão de estrear um novo pneu, mas Isola explicou que aceitaram a mudança como algo que vai melhorar a segurança.

Um aspecto intrigante da modificação é se permitirá à Pirelli aliviar um pouco as pressões, que aumentaram nas corridas da França e Áustria.

“A nova construção foi projetada para trabalhar com uma pressão mais baixa em comparação com a atual”, disse Isola. 

“Por ser mais robusto, pode ser levado a uma pressão mais baixa. E obviamente a pressão é sempre definida nas simulações que recebemos, e também considerações sobre o nível de pressão de operação em que se estabilizam”.

A Pirelli já fez pneus novos suficientes para Silverstone, e no caso deles não poderem ser usados, há estoque suficiente do pneu atual como plano 'B'.

Isola insiste que, apesar dos problemas do ano passado, a fabricante não está preocupada em ir para a etapa britânica com o pneu atual caso seja necessário: “Não, porque mudamos a construção este ano. A frente é diferente não só na construção, também o perfil. Aí tivemos a possibilidade de dar mais um passo na nova construção de 2021, alterando também o perfil, passo que não era possível na retaguarda."

“Mas com as novas condições, não estamos preocupados com a integridade do pneu atual. Se queremos apresentar o novo é porque está disponível e porque pensamos que temos mais margem, não porque me preocupa os que estamos usando."

Neumáticos Pirelli
Neumáticos Pirelli
1/1

Foto de: Steve Etherington / Motorsport Images

E o que as equipes pensam?

“No final das contas, o mais importante é a segurança”, disse o chefe da McLaren, Andreas Seidl. 

"E, portanto, também apoiamos fortemente a iniciativa da Pirelli junto com a FIA para testá-los na próxima semana e, em seguida, possivelmente usar a nova construção de Silverstone daqui para frente."

“Junto com a diretriz técnica que foi lançada em Paul Ricard, em termos de quais são as expectativas, em termos de gerenciamento da pressão dos pneus, acho que essas são duas iniciativas muito importantes para garantir que nossos pilotos estejam seguros na pista."

“É claro que, diante de uma mudança de pneus ou de fabricação no meio da temporada, sempre há a possibilidade de haver vencedores e perdedores com essa alteração. Mas acho que é importante em tal situação deixar de lado nossa visão oportunista, a segurança deve ser uma prioridade. E é por isso que a apoiamos."

A Aston Martin é uma dos melhores times de gerenciamento de pneus em 2021 e, portanto, sem dúvida, tem mais a perder do que a maioria. O chefe da equipe Otmar Szafnauer admitiu que uma mudança no meio do ano pode ter consequências complicadas.

"Já aconteceu antes, acho que fizemos há alguns anos", disse ao Motorsport.com. "E eu me lembro que a nova construção não nos serviu de forma alguma. E regredimos em competitividade. Portanto, espero que desta vez também possamos recuperar o novo pneu."

“Acho que teremos informações na próxima terça-feira. Com sorte, usaremos 40 jogos de pneus no próximo fim de semana no GP da Áustria [em todas as equipes] e coletaremos muitos dados da pista lá. Assim que tivermos esses dados, vamos tomar uma boa decisão."

"É uma grande diferença para Silverstone. Novos pneus, mais a corrida sprint. Mas vamos fazê-lo, faremos um bom trabalho."

Sebastian Vettel, Aston Martin AMR21

Sebastian Vettel, Aston Martin AMR21

Photo by: Charles Coates / Motorsport Images

Então, o que os pilotos pensam? Obviamente, a segurança deve ser a prioridade e, como tal, eles acolhem a mudança.

"Não acho que o pneu velho era inseguro", disse George Russell ao Motorsport.com.

“Obviamente, sabemos a causa das explosões. Mas se há algo um pouco mais seguro, não há razão para não introduzi-lo."

"Então, vamos ver o que acontece conosco. Eu ficaria surpreso se houvesse uma diferença tão grande, acho que apenas a integridade será um pouco melhor."

"Se fizermos isso por razões de segurança, acho que não podemos reclamar", disse Esteban Ocon.

"Vimos estouros de pneus, portanto, é muito bom encontrarmos algumas soluções para corrigir esses problemas, especialmente no que diz respeito a Silverstone. Acho que isso vai ser muito importante."

“Até eu tentar, eu não posso dizer como será. Vai ser interessante, porque vai restaurar um pouco do conhecimento que todos têm sobre ser algo novo, e o problema dos pneus geralmente é algo bem difícil de acertar."

Alguns pilotos esperam que o novo pneu seja benéfico: "É positivo para ver se a tendência muda um pouco", disse Carlos Sainz. 

"Pode ajudar. Quem sabe? Acho que o nosso problema são os dianteiros, mas vamos ver", concluiu o espanhol da Ferrari.

EXCLUSIVO: Entenda o que há de REAL no discurso da MERCEDES de ABANDONAR temporada e pensar em 2022

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Sequência de corridas até férias da F1 será chave para campeonato?

 

compartilhar
comentários
F1 - Patrocinador da Aston Martin quer rosa de volta: "Mudança foi errada"

Artigo anterior

F1 - Patrocinador da Aston Martin quer rosa de volta: "Mudança foi errada"

Próximo artigo

F1 - Ocon: "Pequenas mudanças no carro podem ter causado queda de rendimento"

F1 - Ocon: "Pequenas mudanças no carro podem ter causado queda de rendimento"
Carregar comentários