F1: Entenda o que dizem as regras de relargada após safety car

Luta do campeonato em Abu Dhabi terminou em circunstâncias polêmicas

F1: Entenda o que dizem as regras de relargada após safety car
Carregar reprodutor de áudio

A luta do campeonato mundial da Fórmula 1 em Abu Dhabi terminou em circunstâncias polêmicas, com a Mercedes protestando contra a maneira como o reinício após o safety car foi conduzido pela FIA.

Com Lewis Hamilton se aproximando do seu oitavo título na categoria, a corrida mudou quando o piloto da Williams, Nicholas Latifi, bateu na volta 53 da corrida de 58 voltas, acionando um safety car.

Leia também:

Era do interesse da Red Bull relargar, e sem a intervenção dos carros que estavam na pista entre Verstappen e Hamilton.

Então, quando Masi emitiu um aviso dizendo que 'carros retardatários não poderão ultrapassar', parecia a escuderia austríaca ficaria sem esperanças.

No entanto, a situação mudou dramaticamente na penúltima volta, quando Masi sentiu que a pista era segura o suficiente para permitir a ultrapassagem de alguns retardatários.

No entanto, a maneira como isso foi tratado e a relargada imediata incomodou a Mercedes .

Regras do Safety Car

Lewis Hamilton, Mercedes W12

Lewis Hamilton, Mercedes W12

Foto por: Charles Coates / Motorsport Images

O protesto da Mercedes é baseado em dois regulamentos: Artigo 48.12 e Artigo 48.8 do Regulamento Esportivo de F1.

O Artigo 48.12 diz que "quaisquer carros que tenham sido ultrapassados pelo líder serão obrigados a ultrapassar os carros na volta inicial e no safety car".

Inicialmente, Masi tinha o direito de afirmar que 'carros retardatários não terão permissão para ultrapassar' - o que significava que Verstappen ficaria preso atrás de cinco carros.

Porém, na penúltima volta, na descida para a curva 9, Masi mandou uma mensagem dizendo que cinco carros - Lando Norris , Fernando Alonso , Esteban Ocon , Charles Leclerc e Sebastian Vettel poderiam se desvencilhar.

A decisão de permitir apenas alguns carros é incomum, pois o Artigo 48.12 sugere que a mensagem deve ser enviada a todos os competidores.

O regulamento é então explícito sobre quando a corrida pode ser reiniciada.

Ele afirma: “A menos que o oficial considere que a presença do safety car ainda é necessária, assim que o carro da última volta passar pelo líder, o safety car voltará aos boxes no final da volta seguinte."

“Se for considerado que as condições da pista são inadequadas para ultrapassagem, a mensage  'A ultrapassagem não será permitida" será enviada a todos os competidores através do sistema de mensagens oficial"

Esta cláusula sugere que o reinício só poderia vir no final da 'volta seguinte' - então a volta 58, que foi o fim da corrida.

O Artigo 48.8 diz que "nenhum piloto pode ultrapassar outro carro na pista, incluindo o safety car, até que ele passe a linha (ver Artigo 5.3) pela primeira vez após o safety car ter retornado aos boxes."

Durante a fase de reinício, enquanto Hamilton e Verstappen se preparavam para começar a correr novamente, parecia que a Red Bull havia se colocado à frente da Mercedes por um breve momento.

A regra afirma que "nenhum piloto pode ultrapassar outro carro na pista, incluindo o safety car, até que ele passe a linha (ver Artigo 5.3 - que é a linha do safety car) pela primeira vez após o safety car ter retornado aos boxes."

Na primeira decisão dos comissários na noite de domingo, o protesto por ultrapassagem atrás do safety car foi indeferido. 

A FIA ainda não anunciou qualquer decisão relativa ao segundo protesto da Mercedes.

F1 AO VIVO: VERSTAPPEN PASSA HAMILTON NO FIM E É CAMPEÃO EM ABU DHABI; MERCEDES PROTESTA CONTRA MAX

Assine o canal do  Motorsport.com  no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no  canal do Motorsport.com.  Veja-se já, dê o  like  ('joinha') nos vídeos e ativos como notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast # 151: Hamilton x Verstappen é a maior decisão da história da F1?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Verstappen admite nervosismo por decisão e elogia "incrível" Hamilton
Artigo anterior

F1: Verstappen admite nervosismo por decisão e elogia "incrível" Hamilton

Próximo artigo

F1: FIA rejeita primeiro protesto da Mercedes contra vitória de Verstappen

F1: FIA rejeita primeiro protesto da Mercedes contra vitória de Verstappen
Carregar comentários