F1: Entenda por que Pirelli manterá distribuição fixa de pneus para equipes nos GPs

Chefe de automobilismo da marca italiana, Mario Isola, revelou que as próprias equipes pediram para manter distribuição em 2022

F1: Entenda por que Pirelli manterá distribuição fixa de pneus para equipes nos GPs
Carregar reprodutor de áudio

A Pirelli, fornecedora oficial de pneus da Fórmula 1, está cética de que as equipes voltem a ter uma escolha livre de compostos para cada fim de semana de corrida.

Desde 2016, em uma tentativa de adicionar variabilidade a cada GP, as equipes podiam escolher o quão agressivas queriam ser com sua seleção de pneus para os eventos.

Leia também:

Embora estivessem limitados ao número total de conjuntos disponíveis, as equipes puderam variar a distribuição de compostos dentro disso – optando por borracha mais macia ou mais dura, dependendo de suas escolhas de estratégia para cada pista.

Mas, como parte das medidas emergenciais de economia introduzidas após a pandemia em 2020, essa livre escolha foi interrompida e, em vez disso, a Pirelli distribuiu a mesma seleção de compostos para cada equipe.

Essa regra permaneceu a mesma no ano passado e agora também será transferida para 2022, quando a Pirelli apresentará seus novos pneus de 18 polegadas pela primeira vez.

Embora a possibilidade de abrir as opções de compostos continue sendo algo que a Pirelli está feliz em considerar no futuro, parece que as equipes não estão realmente ansiosas para que isso aconteça.

Falando em um lançamento de pré-temporada da Pirelli em Mônaco nesta terça-feira, o chefe de F1 e automobilismo da fabricante italiana de pneus, Mario Isola, explicou por que ele acha que os dias de livre escolha podem ter acabado.

“Tivemos que encontrar essa solução durante a pandemia”, explicou Isola. “Mas então as equipes disseram para nós dizendo que, na verdade, o sistema é muito bom. Que queriam mantê-lo para o futuro. Portanto, não foi nossa decisão, continuar com essa alocação fixa.”

Pirelli tyre on the car George Russell, Mercedes W10 Mule

Pirelli tyre on the car George Russell, Mercedes W10 Mule

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

Isola explicou que as equipes se sentiram muito mais à vontade ao saber quais pneus estavam sendo escolhidos para elas do que dedicar recursos para descobrir a melhor opção.

“Eles nos disseram que se eles têm uma alocação fixa, e é igual para todos, então não há vantagem para um ou outro, eles podem começar a planejar essa alocação fixa em vez de gastar tempo e recursos e pessoas para pensar um conjunto a mais de médio ou um conjunto a menos de macio. Eles têm essa alocação e precisam contornar isso.

“Então, em 2020, eles disseram que queriam continuar em 2021. Em 2021, com o novo produto para 2022, ninguém estava confiante em decidir sobre os compostos e querem continuar [por enquanto]."

TELEMETRIA DE FÉRIAS: RICO PENTEADO fala tudo sobre NOVO CARRO DA F1 que estreia em 2022

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #157 - Sucesso da F1 na Band e destaques de 2021: entrevista com editor Fred Sabino

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 

 

 

 

compartilhar
comentários
F1: Aston Martin e Red Bull entram em acordo sobre chefe de aerodinâmica após disputa
Artigo anterior

F1: Aston Martin e Red Bull entram em acordo sobre chefe de aerodinâmica após disputa

Próximo artigo

Podcast #158 – TELEMETRIA DE FÉRIAS: Rico Penteado explica novo carro da F1 e aponta favoritos

Podcast #158 – TELEMETRIA DE FÉRIAS: Rico Penteado explica novo carro da F1 e aponta favoritos
Carregar comentários