F1: Ferrari diz que gastos com acidentes indicam déficit de teto orçamentário

Escuderia teve que desembolsar mais de R$ 15 milhões no primeiro semestre, incluindo despesas não esperadas, como danos ao motor de Leclerc na Hungria

F1: Ferrari diz que gastos com acidentes indicam déficit de teto orçamentário

A Ferrari diz que uma conta de danos de 2,5 milhões de euros (cerca de R$ 15,2 milhões) até agora nesta temporada mostra por que a Fórmula 1 precisa ser repensada sobre os limites de custo. As principais equipes da categoria enfrentaram uma grande dor de cabeça tentando cortar seus gastos para ficar abaixo do recente teto orçamentário de US$ 145 milhões (aproximadamente R$ 754 milhões).

Tanto Mercedes quanto Red Bull falaram sobre as dificuldades que tiveram que enfrentar durante o inverno para demitir funcionários que não podiam mais manter, mas com o passar de 2021, surgiram mais preocupações sobre as complicações que as escuderias enfrentam quando se trata de pagar por danos inesperados.

Leia também:

O acidente de Valtteri Bottas em Ímola levou a equipe alemã a temer que teria que reduzir as atualizações de desenvolvimento, enquanto a rival austríaca estava insatisfeita com uma conta de reparos de US$ 1,8 milhão (cerca de R$ 9,3 milhões) que enfrentou com o acidente de Max Verstappen no GP da Grã-Bretanha.

O chefe da Ferrari, Mattia Binotto, sugeriu após a etapa de Budapeste, quando Charles Leclerc foi derrubado por Lance Stroll na primeira curva, que os times cujos pilotos são culpados de causar colisões deveriam pagar pelos danos causados. Embora nem todas as escuderias concordem que tal cenário seja realista, o mandatário de Maranello acha que há motivos justificáveis ​​para que pelo menos se reúnam e conversem sobre isso.

Ele diz que uma inspeção das contas do primeiro semestre de 2021 mostra que a equipe italiana teve que desembolsar 2,5 milhões de euros por danos - o que mostra o tipo de margem de manobra que hoje em dia deve ser embutida no orçamento para eventos inesperados.

"Esses são danos gerais e às vezes podemos nos prejudicar, então não são [apenas] outras equipes que nos prejudicam", explicou Binotto. "Agora, obviamente, tem havido muitas discussões que, se houver um acidente, um piloto de outra for culpado e você foi danificado, então isso deveria ser isento do limite de orçamento?"

"Acho que é certamente um ponto importante porque a razão pela qual mencionei os 2,5 milhões de euros é para mostrar que no geral os danos podem ser significativos. Portanto, devemos considerar um tipo diferente de regulamentação nesses casos?"

"Eu acho que certamente há mérito nisso e não há soluções óbvias, mas é algo que sem dúvida vamos discutir com a FIA, F1 e as escuderias nas próximas semanas, possivelmente para resolver isso, para ver se há alguma solução para o futuro", acrescentou.

Além do custo, há também um debate sobre se as equipes devem enfrentar isenções das penalidades de grid caso detectem danos ao motor como resultado das ações de outros pilotos e forem forçadas a implementar uma nova unidade de força.

Leclerc perdeu sua segunda do ano depois de ser danificada por Stroll na primeira curva do GP da Hungria. Binotto acha que há motivos para discutir uma possível mudança também nesse aspecto, embora seja muito complicado de resolver.

"Não há uma solução óbvia", disse ele. "Se perdermos um motor, como no nosso caso na Hungria, era um que ainda tinha o uso pretendido, mas não era novo. Ao substituí-lo, você instala algo não usado, então não faz o mesmo que algo com a mesma quilometragem e vida útil. É complicado."

"Fala-se de uma redução adicional em 2025, de passar de três unidades para duas [por temporada], então está claro que quanto menos houver, mais importante se torna a questão. Vamos discutir com todas as outras equipes e a FIA, porque esse é certamente um assunto atual, trazido à luz de várias fontes e, portanto, merece ser explorado", concluiu.

EXCLUSIVO: BURTI rompe silêncio sobre F1: Hamilton é MAIS LIMPO que campeões como SENNA e SCHUMACHER

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Qual piloto merece uma segunda chance na F1?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Binotto aposta em Hamilton e Mercedes campeões da temporada
Artigo anterior

F1: Binotto aposta em Hamilton e Mercedes campeões da temporada

Próximo artigo

ANÁLISE: Por que mudança para Red Bull é como "nova categoria" para Pérez

ANÁLISE: Por que mudança para Red Bull é como "nova categoria" para Pérez
Carregar comentários