F1: FIA nega pedido da Mercedes e Verstappen não será investigado por manobra de Interlagos

Holandês mantém segunda posição da prova de Interlagos e 14 pontos de vantagem para Hamilton a três provas do fim

F1: FIA nega pedido da Mercedes e Verstappen não será investigado por manobra de Interlagos
Carregar reprodutor de áudio

Fim de mais um capítulo da novela. A FIA anunciou nesta sexta-feira que não acatará o pedido de revisão da Mercedes para abrir uma investigação da manobra defensiva de Max Verstappen contra Lewis Hamilton no GP de São Paulo de Fórmula 1 no último domingo.

Após a apresentação de novas evidências em vídeo pela Mercedes, a equipe solicitou que a FIA analisasse novamente se Verstappen quebrou ou não as regras em sua defesa contra Lewis Hamilton no GP de São Paulo no último fim de semana.

Leia também:

A equipe alemã informou o seguinte nas redes sociais: "A equipe Mercedes-AMG Petronas confirmou que solicitamos hoje um Direito de Revisão nos termos do Artigo 14.1.1 do Código Desportivo Internacional, em relação ao incidente na Curva 4 entre o Carro 44 e o Carro 33 na volta 48 do Grande Prêmio do Brasil de 2021 , com base em novas evidências indisponíveis para os Comissários no momento de sua decisão". Veja o 'lance' no vídeo abaixo:

 

A questão girava em torno da direção defensiva de Verstappen na curva 4 na volta 48, quando o piloto da Red Bull ultrapassou Hamilton na saída da curva.

A Mercedes entrou em ação depois que um novo vídeo da câmera onboard da direção de Verstappen, que não estava disponível para os comissários durante a corrida, foi divulgado, mostrando que o holandês não fez a curva tanto quanto normalmente seria esperado.

O diretor de provas da F1, Michael Masi, disse no Brasil que a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) havia solicitado o vídeo, admitindo que ele poderia ser uma "arma fumegante" ao oferecer novas percepções do 'lance'.

"Não tínhamos acesso a ele (o vídeo). Assim que o detentor dos direitos comerciais fornecer, nós daremos uma olhada", disse Masi. Embora não tenha havido documentação formal publicada pelos comissários da FIA sobre o incidente de Verstappen e Hamilton, uma vez que uma investigação foi descartada pelo controle de corrida, o livro de regras explicita que os comissários têm de tomar uma decisão quando os incidentes são "anotados".

A audiência foi iniciada na quinta-feira pela tarde no Catar, e após horas reunidos, os comissários divulgaram uma nota oficial confirmando que a decisão seria divulgada apenas na sexta-feira.

“Os comissários não sentam passivamente durante uma corrida e não fizeram isso nesse caso. No momento que o Diretor de Prova perguntou aos Comissários por sua visão e declarou no sistema que o fato havia sido notado, eles já estavam olhando o material disponível. A decisão seguinte de não proceder com a investigação se deu pelo equivalente do automobilismo de ‘segue o jogo’ de outras modalidades”.

“É inegável que o material não estava disponível para o competidor no momento da tomada de decisão dos comissários. Apenas um canal de vídeo de cada carro é disponibilizado para a transmissão e os comissários. No caso do carro 33, era a câmera traseira”.

Os comissários confirmaram que, apesar do vídeo onboard de Verstappen não estar disponível no momento, ele não foi julgado como significativo. E afirmaram que a situação é muito distinta do GP da Áustria de 2020, quando uma câmera de 360 graus entregou uma visão completamente diferente da situação de Hamilton com as bandeiras amarelas.

“Os comissários frequentemente precisam tomar uma decisão rapidamente e com informações limitadas. No momento da decisão, eles sentiam que tinham material suficiente para isso, alinhado com os comentários pós-corrida de ambo os pilotos envolvidos”.

“Se eles sentissem que a onboard era fundamental, eles teriam colocado o caso sob investigação logo após a corrida. Mas os comissários determinaram que as imagens não mostram nada excepcional, particularmente diferente dos outros ângulos que estavam disponíveis no momento”

Com isso, o holandês não passará por uma investigação formal sobre a manobra defensiva para impedir a ultrapassagem de Hamilton na volta 48 do GP de São Paulo, que poderia lhe render inclusive uma punição para a prova deste fim de semana.

Verstappen chega ao Catar com 14 pontos de vantagem para Hamilton no Mundial de Pilotos com 78 ainda em jogo nas três provas restantes de 2021. O holandês iniciou o final de semana bem, com ele superando as Mercedes na primeira sessão de treinos livres da etapa em Losail, que faz sua estreia na F1.

F1 2021: VERSTAPPEN PUNIDO? A POLÊMICA revisão da TRETA em Interlagos e notícias do GP do Catar

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #146: Hamilton teve a maior exibição da carreira no Brasil?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Hamilton descarta teorias sobre "novo DAS" da Mercedes
Artigo anterior

F1: Hamilton descarta teorias sobre "novo DAS" da Mercedes

Próximo artigo

Podcast #147 – TELEMETRIA: O que a Red Bull tem que fazer no Catar? Hamilton favorito?

Podcast #147 – TELEMETRIA: O que a Red Bull tem que fazer no Catar? Hamilton favorito?
Carregar comentários