F1: Horner comemora vitória "saborosa" sobre Mercedes e diz que não esperava que Verstappen segurasse Hamilton

Chefe da Red Bull destacou triunfo em reduto da rival no GP dos Estados Unidos e elogiou administração de pneus do holandês em estratégia arriscada

F1: Horner comemora vitória "saborosa" sobre Mercedes e diz que não esperava que Verstappen segurasse Hamilton

A Red Bull saiu vencedora do GP dos Estados Unidos de Fórmula 1 com Max Verstappen neste domingo (24), mas o triunfo não veio facilmente. O holandês largou da pole, perdeu a posição na primeira curva para Lewis Hamilton e a recuperou nos boxes em uma estratégia arriscada da equipe austríaca de pará-lo antes, defendida pelo chefe Christian Horner.

Isso fez com que o heptacampeão atacasse seu rival pelo título no fim da prova com pneus mais novos e a dupla terminasse a 1s3 um do outro, o que tornou a vitória sobre a Mercedes "saborosa", em um de seus principais redutos.

Leia também:

"Tínhamos um ritmo muito bom e no início da corrida. No primeiro stint, Max foi realmente capaz de colocar pressão em Lewis", comentou Horner sobre as tentativas de ultrapassagem de Verstappen nas primeiras voltas. "Acho que nosso carro era melhor que o deles com aquele pneu, ele dizia que Hamilton escorregava. Estávamos começando a superaquecer os compostos e decidimos segurar a posição na pista e pensar no que fazer."

"Eu realmente não achei que Max fosse conseguir, Lewis tinha compostos oito voltas mais novos. Estávamos convencidos de que estavam pensando em um undercurt no segundo stint, então é por isso que paramos cedo. Lewis estava a três segundos e não queríamos desistir dessa posição da pista. Isso fez com que as últimas cinco a dez voltas fossem cruciais."

Max Verstappen, Red Bull Racing RB16B, 1st position, takes the chequered flag

Max Verstappen, Red Bull Racing RB16B, 1st position, takes the chequered flag

Photo by: Glenn Dunbar / Motorsport Images

Além de Verstappen em primeiro, a Red Bull também foi ao pódio com seu outro piloto, Sergio Pérez, que terminou na terceira colocação. Apesar de não ter lutado pela vitória, o mexicano fez um bom trabalho de segurar quaisquer rivais que 'atrapalhassem' a disputa dos ponteiros e garantiu pontos importantes para a escuderia, mesmo em más condições de saúde.

"Pérez estava um pouco indisposto neste fim de semana, resfriado", revelou Horner. "Você pode ver que sua confiança está crescendo do jeito que controlou a corrida. Essa é a segunda prova consecutiva dele no pódio, com o GP em casa chegando [México]. Ele está encontrando sua forma, o que é fundamental para nós nesta época do ano."

O Circuito das Américas é conhecido como um dos mais fortes da Mercedes. Desde o início da era híbrida, a equipe alemã só não havia vencido lá em 2018 e agora também em 2021. Em um ano de forte rivalidade com a montadora, vencê-la em seu reduto é "saboroso", segundo Horner.

"Foi uma combinação de coisas", comentou. "Acho que o motor está funcionando, o chassi também e toda a equipe tem trabalhado muito bem. De onde começamos na sexta-feira, quando estávamos atrasados, a equipe de engenharia, nos encaixamos com o suporte que recebemos de Milton Keynes. Vencer a Mercedes aqui foi saboroso."

F1 AO VIVO: Verstappen SEGURA Hamilton após GUERRA ESTRATÉGICA e vence em Austin; veja análise do GP | PÓDIO

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #139 – Qual o campeonato da F1 mais emocionante do século?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Pérez diz que GP dos Estados Unidos foi mais difícil "fisicamente"
Artigo anterior

F1: Pérez diz que GP dos Estados Unidos foi mais difícil "fisicamente"

Próximo artigo

F1: Alonso detona comissários do GP dos Estados Unidos por falta de critério

F1: Alonso detona comissários do GP dos Estados Unidos por falta de critério
Carregar comentários