F1- Mercedes: teto de gastos torna acidentes "grande preocupação"

Toto Wolff disse que montadora alemã "sempre temeu uma perda total de um carro" porque está operando muito perto do limite de custos

F1- Mercedes: teto de gastos torna acidentes "grande preocupação"

A Mercedes acredita que grandes acidentes, como o considerável acidente de Valtteri Bottas e George Russel em Ímola, podem afetar o desenvolvimento da equipe devido ao novo teto orçamentário da Fórmula 1.

Este ano, a F1 introduziu um limite de custo anual de $145 milhões (aproximadamente R$ 796 milhões), seguido por uma redução de $5 milhões (R$ 28 milhões) ano a ano nas temporadas subsequentes.

Leia também:

O limite significa que as maiores equipes da categoria tiveram que reduzir o tamanho para operar o mais próximo possível do teto de gastos, com pouca margem para custos imprevistos, como danos causados por acidentes.

Quando as escuderias concordaram em testar três corridas sprint nesta temporada, um limite de orçamento adicional - estimado em cerca de $ 500.000 ( aproximadamente R$ 2.746 milhões) - foi um fator fundamental para fazer o plano ir adiante. 

O acidente no GP da Emilia Romagna envolvendo o piloto da Williams, Russell, e Bottas ilustrou as novas preocupações da Mercedes sobre os danos do acidente que comprometeram o restante do orçamento do time.

"O novo fator para nós este ano é que todos temos um limite de custos", explicou o diretor de engenharia da Mercedes, Andrew Shovlin.

“Este tipo de dano não está realmente no plano. Nossos pilotos têm sido incrivelmente bons em passar as temporadas sem quebrar muito nos últimos anos, e certamente a conta em termos de trabalho com carbono e metal será muito extensa a partir disso."

"Então, vamos analisar o que podemos realmente salvar e levar os carros para Portimão. Mas é uma grande preocupação quando você tem esse tipo de incidente."

O chefe da equipe, Toto Wolff, disse que a montadora alemã "sempre temeu uma perda total de um carro" porque ela está operando muito perto do limite de custo.

Shovlin explicou que acidentes caros significariam que a equipe precisaria cortar gastos em outras áreas, o que poderia afetar seu programa de desenvolvimento de carros.

"Se houver uma série desses tipos de acidentes grandes que estão causando danos significativos, isso certamente excederá nossa alocação para o que temos disponível para gastar com as peças", acrescentou Shovlin.

"Portanto, é realmente um fator do limite de custo e o dinheiro tem que vir de algum lugar."

"No final das contas, se isso se tornar um grande problema, pode começar a atingir o orçamento de desenvolvimento. Portanto, precisamos estar atentos a esse futuro", concluiu. 

Entenda como F1 na BAND liga sinal de ALERTA na GLOBO após “ROUBO” de audiência no GP de Ímola

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Por que temporada de 2021 promete ser a mais equilibrada dos últimos anos?

 

compartilhar
comentários
F1: Red Bull almeja “melhores talentos” para operações de motor; entenda

Artigo anterior

F1: Red Bull almeja “melhores talentos” para operações de motor; entenda

Próximo artigo

Ex-piloto detona limites de pista "artificiais" da F1: "Sempre fui contra"

Ex-piloto detona limites de pista "artificiais" da F1: "Sempre fui contra"
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Valtteri Bottas , George Russell
Equipes Mercedes