F1: Novo chefe diz que não fará da Williams uma “mini-Mercedes”

James Vowles não rejeita colaboração de sua ex-equipe, mas diz que manterá independência de time britânico

Alex Albon, Williams FW44, Lewis Hamilton, Mercedes W13

O recém-nomeado chefe da Williams na Fórmula 1, James Vowles, disse que não pretende transformar a equipe em uma “mini-Mercedes” após sua mudança de Brackley no próximo mês.

A Williams anunciou nesta sexta-feira que Vowles deixaria seu cargo de diretor de estratégia da Mercedes para se tornar o novo chefe da equipe, após a saída de Jost Capito em dezembro.

Leia também:

Vowles se juntará a uma equipe da Williams que busca se recuperar do último lugar no campeonato de construtores de 2022, passando a maior parte da temporada com o carro mais lento. Ele tem sido uma parte fundamental da equipe de gerenciamento sênior de Toto Wolff na Mercedes, desempenhando um papel significativo em seu sucesso ao longo da era híbrida V6.

A Williams é uma equipe cliente da Mercedes, recebendo motor e caixa de câmbio. Também deu a George Russell, um piloto júnior da Mercedes, sua estreia na F1 em 2019 e ajudou seu desenvolvimento por três anos antes de ingressar na Mercedes.

Mas Vowles disse que sua mudança não marcaria uma extensão dos laços entre as duas operações, mesmo que houvesse a necessidade de focar em áreas semelhantes, como cultura de equipe.

“Eu não o consideraria um mini-Mercedes”, disse Vowles. “A Williams é uma equipe incrivelmente independente por direito próprio que formou sua própria história, sua própria herança.

“Quando perguntamos à nossa equipe de liderança sênior qual é o elemento mais importante da equipe, sempre voltamos a duas coisas na Mercedes: pessoas e cultura.

“Agora vamos ver antes de colocar os pés lá, não tenho certeza de onde estamos no momento, mas é a coisa mais alta na minha lista de prioridades, garantir que todos entendam que se trata de trabalhar juntos.

“Trata-se de empoderamento, trata-se de tratar seus colegas com o respeito que você deseja deles, o crescimento que você deseja deles, para que possamos trabalhar juntos em direção a um objetivo final.”

James Vowles, Williams

James Vowles, Williams

Photo by: Williams F1

Vowles acrescentou que a Williams era “uma organização totalmente independente” e que seu sucesso “depende de eu fazer um bom trabalho lá, e isso deve ser independente da Mercedes”.

“Isso não significa que a Mercedes e nós não tenhamos colaboração de uma forma ou de outra, já havia colaboração antes de eu entrar”, disse ele.

“Mas tenho que fazer o que é melhor para a Williams de agora em diante.”

No ano passado, o campeão mundial de F1 de 1978, Mario Andretti, levantou preocupações sobre a influência política exercida na F1 pelo chefe da Mercedes, Wolff, depois que a tentativa da família Andretti de tentar estabelecer uma nova equipe foi recebida com algum ceticismo.

Mas Wolff enfatizou que não colocaria nenhuma pressão sobre Vowles para seguir o exemplo da Mercedes, dizendo que o papel de um chefe de equipe é “defender nosso ponto de vista e nossas equipes e fazer tudo ao nosso alcance para prosperar”.

“Se eu me envolvesse com James e pedisse a ele fazer uma mini-Mercedes, ele me diria para sumir”, disse Wolff.

“Dessa forma, sempre houve a especulação de que a Williams, por causa do motor da Mercedes, era subordinada. Mas nada disso era obviamente verdade.

“Nunca interferimos em algum tipo de situação de pilotos. Sempre entendemos a autoridade da gestão da equipe à sua maneira.

“E é por isso que James vai fazer o que é bom para a equipe, a fim de trazer isso adiante.

“Ele será julgado pelo sucesso da equipe e, se a Mercedes for útil, ele falará sobre isso. Se ele sentir que precisa assumir uma posição diferente, ele se candidatará a essa posição”.

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast #212 – Polêmica: as verdades inconvenientes sobre a F1

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 

 

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Renault quer postura mais dura da FIA ao permitir ajustes de motores em 2023
Próximo artigo F1: Red Bull anuncia data de lançamento de carro de 2023

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil