F1: Ocon faz críticas duras à Renault após bandeirada, mas muda tom e acaba considerando GP "uma boa corrida"

Depois da prova, Ocon criticou a equipe pelo rádio, com o chefe da equipe, Cyril Abiteboul, tendo que interferir

F1: Ocon faz críticas duras à Renault após bandeirada, mas muda tom e acaba considerando GP "uma boa corrida"
Carregar reprodutor de áudio

O francês Esteban Ocon conseguiu colocar sua Renault em oitavo no GP da Itália de Fórmula 1, depois de largar em 12º. Mas, após a prova, a transmissão mostrou uma discussão entre Ocon, seu engenheiro e o chefe da equipe, Cyril Abiteboul. Aos jornalistas, o piloto explicou o que aconteceu e fez uma análise do GP bem diferente do tom usado no rádio.

Depois da bandeirada, seu engenheiro o parabenizou no rádio por ganhar quatro posições, contribuindo para uma boa pontuação para a equipe, mas Ocon respondeu: "Discordo, nos perdemos totalmente nessa corrida. Perdemos uma oportunidade enorme".

Leia também:

Ele ouviu como resposta: "Não pelo rádio, não pelo rádio, vamos falar sobre isso depois. Obrigado". A frase o levou a mandar: "Não, temos que enfrentar a realidade". Cyril Abiteboul, chefe da equipe, teve que intervir nesse momento: "Esse não é o lugar para isso". Depois da bronca de Abiteboul, Ocon não disse nada no trajeto de volta ao parque fechado.

Após a prova, quando perguntado sobre esses comentários, ele disse que não culpava a equipe, sugerindo que as circunstâncias não trabalharam a seu favor.

"Acho que, olhando tudo de novo, a sorte não estava do nosso lado hoje. Acho que, em termos de execução e tomada de decisão, acho que fizemos o certo. Obviamente, se tivéssemos ficado na pista, as coisas poderiam ter sido diferente. Mas se a bandeira vermelha não tivesse sido acionada, teríamos perdido tempo".

"No geral, foi uma boa corrida. É uma pena que paramos naquelas circunstâncias e as coias aconteceram, mas a sorte voltará ao nosso lado".

O francês foi um de três pilotos que mudaram para pneus macios durante a bandeira vermelha, junto com a dupla da Alfa Romeo. Mas Ocon usou esses apenas porque os médios não estavam na temperatura ideal.

Após a relargada, Ocon perdeu performance rapidamente e sofreu para acompanhar com os carros da frente, terminando em oitavo, enquanto Daniel Ricciardo foi o sexto.

"Lógico que tínhamos na mente uma boa largada com esses pneus macios", disse ao Motorsport.com. "Infelizmente, meu conjunto médio não estava pronto, não pude usá-lo. Se não teria sido ele".

"Tive bom ritmo nas duas primeiras voltas, mas ele começou a degradação rapidamente e obviamente não estava feliz com o balanço do carro e como o carro ficou após isso. Se tivéssemos que fazer de novo, eu escolheria o médio, mas eles não estavam prontos".

"Eles perderam temperatura, então houve um problema que precisa ser revisto".

PÓDIO: GP da Itália maluco! Gasly vence, Hamilton punido e Ferrari na maior "draga" em 35 anos

PODCAST: O que será da F1 no Brasil em 2021, sem Globo, pilotos e corrida?

 

compartilhar
comentários
Gasly se sente "pronto" para voltar à Red Bull no futuro: "Bons resultados merecem ser recompensados"
Artigo anterior

Gasly se sente "pronto" para voltar à Red Bull no futuro: "Bons resultados merecem ser recompensados"

Próximo artigo

F1 deve revisitar planos de corridas de classificação com grid invertido para 2021

F1 deve revisitar planos de corridas de classificação com grid invertido para 2021