F1: Pilotos pedem mais conversas sobre futuro do GP da Arábia Saudita

Competidores querem fazer parte da discussão sobre corrida árabe após passagem tumultuada da categoria

Carregar reprodutor de áudio

Pilotos de Fórmula 1 dizem que “precisará haver discussões” para avaliar se a Arábia Saudita terá lugar nos calendários futuros após o ataque com mísseis e as preocupações contínuas com a segurança da pista.

Uma reunião de quatro horas foi realizada pelos pilotos na noite de sexta-feira em Jeddah em meio à ameaça iminente de boicote à corrida após o ataque com mísseis no local da Aramco nas proximidades.

Leia também:

Isso foi seguido por um grande acidente para Mick Schumacher na classificação, que forçará o alemão a perder o GP neste domingo, embora ele tenha sido liberado para retornar ao hotel após exames médicos no hospital.

O acidente colocou novamente as credenciais de segurança do Circuito de Corniche de volta aos holofotes, apesar das modificações feitas para melhorar a visibilidade e ampliar a pista para 2022.

Esses eventos ocorreram nos dias após o CEO da F1, Stefano Domenicali, revelar que o calendário está potencialmente sobrecarregado e teoricamente poderia se expandir para 30 corridas.

O Pacto de Concórdia atualmente dá um limite de 25 corridas, o que sugere uma lista de espera.

Quando perguntado pelo Motorsport.com se o GP deveria ter sua permanência questionada, Carlos Sainz, da Ferrari, calculou que era um assunto que a F1, a FIA e os pilotos tinham que levantar.

Ele disse: “Acho que haverá discussões após esta corrida, porque claramente o que aconteceu nas últimas 24 horas é… definitivamente é um ponto de discussão e consideração que precisamos levar para o futuro”.

Medics and marshals attend the scene after a heavy crash for Mick Schumacher, Haas VF-22, in Q2

Medics and marshals attend the scene after a heavy crash for Mick Schumacher, Haas VF-22, in Q2

Photo by: Sam Bloxham / Motorsport Images

O contrato inicial da F1 com as autoridades sauditas valia £ 500 milhões (mais de R$ 3 bilhões) ao longo de 10 anos. Mas isso provavelmente cobrirá uma mudança no local da corrida, com uma eventual mudança de Jeddah para Qiddiya sendo planejada.

O acordo também foi alvo de extensas críticas que muitos observadores consideraram a mais recente exibição de “lavagem esportiva” para obscurecer o terrível histórico de desrespeito aos direitos humanos da Arábia Saudita.

Sergio Pérez, da Red Bull, que alinhará na pole position no GP desta tarde, calculou: “Acho que definitivamente há algumas considerações que teremos que fazer como grupo e ver o que é melhor para o esporte daqui para frente”.

Charles Leclerc acrescentou: “Sim, eu concordo.

“Não quero entrar muito em detalhes sobre este assunto agora, mas é definitivamente uma discussão que devemos ter depois desta corrida, quando tudo se acalmar e vamos olhar para trás, e veremos.”

Domenicali também alertou que algumas corridas atuais provavelmente cairão do calendário, com circuitos históricos não imunes, em favor de novos locais como Catar e Las Vegas.  

Veja o grid de largada para o GP da Aránbia Saudita, em Jeddah

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #169 - TELEMETRIA: Rico Penteado aponta o que GP na Arábia terá de diferente

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 

 

 

compartilhar
comentários
F1: Wolff diz que desempenho da Mercedes agora é "totalmente inaceitável"
Artigo anterior

F1: Wolff diz que desempenho da Mercedes agora é "totalmente inaceitável"

Próximo artigo

F1 – Steiner: esforço para consertar carro de Schumacher arriscaria corrida na Austrália

F1 – Steiner: esforço para consertar carro de Schumacher arriscaria corrida na Austrália