Análise técnica de Giorgio Piola
Assunto

Análise técnica de Giorgio Piola

F1: Red Bull inicia processo de 'emagrecimento' do RB18 com atualizações na Austrália; entenda

Por ter um dos carros mais pesados do grid, a Red Bull vê um 'pulo do gato' em relação à Ferrari quando tiver em mãos um RB18 mais leve

F1: Red Bull inicia processo de 'emagrecimento' do RB18 com atualizações na Austrália; entenda
Carregar reprodutor de áudio

A Red Bull não esconde o fato de que precisa reduzir a distância de performance que a Ferrari tem na Fórmula 1, que isso não envolve apenas um desenvolvimento aerodinâmico, mas também uma redução de peso.

É sabido que o RB18 é um dos carros mais pesados do grid, e uma série de atualizações são esperadas para as próximas corridas com a chegada de peças mais leves.

Leia também:

A primeira pista desse 'emagrecimento', mesmo que pequena, apareceu no GP da Austrália, com uma nova asa dianteira que contou com uma revisão aerodinâmica e, segundo a explicação oficial da dada à FIA, algumas modificações para redução de peso, que diminuiu também o volume geral do conjunto.

As mudanças na placa final da asa dianteira são bem óbvias quando comparadas à especificação anterior, já que não apenas a ponta superior passou por uma mudança de perfil, como também o plano de mergulho.

A borda de ataque mais angular da placa final deu lugar a uma curvatura muito mais gradual, o que reduz significativamente o comprimento da borda superior, pois a equipe procura ajustar o comportamento do fluxo de ar à frente do pneu dianteiro.

Isso é agravado pela chegada do plano de mergulho em forma de S, que coloca a seção traseira em uma posição mais alta do que a especificação anterior, ao mesmo tempo em que é montado mais próximo da borda.

No entanto, a forma significa que esta seção final do plano de mergulho não é tão agressiva quanto a antecessora. Vale a pena lembrar que as equipes estão restritas com relação ao que podem fazer com o design da placa final e o plano de mergulho para limitar o outwash gerado.

Vale lembrar que não é a primeira vez que vimos uma variante em forma de S empregada, com Alpine e Alfa Romeo também usando algo similar.

Outras atualizações de Melbourne

McLaren MCL36 rear brake winglet comparison

McLaren MCL36 rear brake winglet comparison

Photo by: Uncredited

A McLaren optou por mudanças na cerca final da aleta de freio para a Austrália, que é um componente com o qual as equipes têm muito menos liberdade de design do que no passado. Mas, em vez de retirar material, como tem sido a tendência até agora, a equipe aumentou o tamanho dessa cerca (veja a linha pontilhada na imagem à direita).

Essas aletas são importantes quando consideramos não apenas a distribuição local do fluxo, mas também como elas impactam o pneu e o difusor ao lado, mesmo com as mudanças mínimas sendo capazes de terem um efeito considerável.

A Alpine também investigou o impacto das mudanças nesta região do carro, testando um novo layout de cerca durante os treinos livres, mas sem manter as novidades para classificação e corrida.

No entanto, as alterações feitas nas fendas externas do assoalho foram mantidas, com a equipe já tendo remodelado o design em várias ocasiões durante os testes e as primeiras corridas, a fim de otimizar seu desempenho.

Alpine A522 outer floor strake comparison

Alpine A522 outer floor strake comparison

Photo by: Uncredited

É uma mudança que parece ter um impacto mais abaixo da borda do assoalho também. Embora esteja claro que a linha de limite da fenda foi deslocada para cima e para trás, visando criar uma borda traseira mais definida (linha branca pontilhada), a transição do assoalho também parece ter uma forma mais bulbosa (seta vermelha).

Tal como os bargeboards que ocupavam esta região do carro, o design dessas fendas vai proporcionar uma rica fonte de desempenho, não apenas por si só, mas também quando aliado a eventuais otimizações feitas ao assoalho.

Aston Martin AMR22 rear wing comparison

Aston Martin AMR22 rear wing comparison

Photo by: Uncredited

Pela terceira corrida consecutiva, a Aston Martin trouxe uma asa traseira diferente, com a equipe tentando encontrar um equilíbrio ideal entre downforce e arrasto para as condições do circuito australiano.

Notavelmente, esta asa traseira tem uma forma de borda mais tradicional e plana em relação à placa principal, em vez dos designs em forma de colher que são incitados pelo regulamento.

Isso obviamente caracteriza a transição para a placa final, com um raio menor necessário, dependendo da configuração em mãos.

Leclerc IMITA Rosberg, chega à MARCA DE CAMPEÃO e iguala ALONSO; já MAX tem taxa PIOR que LATIFI

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #173: Qual tamanho dos problemas de Verstappen e Red Bull?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: No Brasil, Hamilton diz que Neymar o convida para vir ao País "todos os anos"; veja destaques da palestra do britânico em SP
Artigo anterior

F1: No Brasil, Hamilton diz que Neymar o convida para vir ao País "todos os anos"; veja destaques da palestra do britânico em SP

Próximo artigo

CEO da Alpine revela plano "intenso" de preparação de Piastri para F1

CEO da Alpine revela plano "intenso" de preparação de Piastri para F1