Fórmula 1 GP da Cidade do México

F1: Red Bull é multada em R$37 mi e perde parte dos testes aerodinâmicos em acordo com FIA sobre teto de 2021

Documento do Acordo de Violação Aceito foi divulgado pela Federação na manhã desta sexta-feira

Max Verstappen, Red Bull Racing RB18

A Federação Internacional de Automobilismo divulgou na manhã desta sexta-feira os detalhes do Acordo de Violação Aceita da Red Bull no caso do excesso de gastos na temporada 2021 da Fórmula 1. No final, a equipe foi multada em R$37 milhões (7 milhões de dólares), além de ter uma redução na cota de testes aerodinâmicos para a próxima temporada.

Após o GP do Japão, a FIA revelou que Red Bull e Aston Martin haviam violado o regulamento financeiro de 2021, colocando ambas sob risco de sanções. Enquanto o caso da Aston era diretamente ligado ao regimento, a Red Bull violou o teto de 145 milhões de dólares, cometendo uma violação minoritária, ou seja, de menos de 5% acima do limite.

Leia também:

A Red Bull vinha negando que havia estourado o teto, mas iniciou negociações com a FIA sobre um Acordo de Violação Aceita para chegar a um acordo.

Christian Horner, chefe da equipe, se encontrou diversas vezes com o presidente da FIA, Mohammed ben Sulayem, em Austin na última semana, para discutir o caso, com um acordo sendo fechado no momento em que o paddock chegava à Cidade do México na quinta-feira.

O acordo implica que a Red Bull aceita a violação do regulamento financeiro, com a FIA dando à equipe uma multa de 7 milhões de dólares, a ser paga nos próximos 30 dias. A equipe também perderá 10% de seus testes aerodinâmicos, virtuais e no túnel de vento, para a próxima temporada.

Segundo a FIA, não há acusação ou evidência de que a Red Bull teria agido de má fé, com desonestidade ou de forma fraudulenta, ou que teria escondido qualquer informação da Administração do Teto Orçamentário.

A notícia da violação da Red Bull levou a pedidos dos rivais por sanções estritas. O CEO da McLaren, Zak Brown, disse que a possibilidade de violação por qualquer equipe "constitui uma trapaça" em uma carta escrita a Sulayem e o CEO da F1, Stefano Domenicali.

A análise do relatório financeiro da Red Bull pela FIA descobriu que, enquanto a submissão de 2021 estava abaixo do teto orçamentário, a equipe cometeu uma violação de procedimentos já que "excluiu de forma incorreta e / ou ajustou gastos no total de £5.607.000".

Com isso, o orçamento total submetido pela Red Bull para o último ano foi de 118.036.000 libras, o que significa que a equipe excedeu o teto orçamentário em 1.864.000 libras, ou 1,6% do teto.

A Red Bull explicou ao longo de conversas com a FIA que um adicional de 5,6 milhões de libras se deu por custos excluídos que cobriam 13 áreas. Estes incluem contribuições de aposentadoria, valores pagos a menores aprendizes, custo das unidades de potência e um erro no cálculo de gastos referente à Red Bull Powertrains, entre outras questões.

"Portanto, a Red Bull Racing aceitou a violação: (i) do Artigo 8.2(e) do Regulamento Financeiro devido à sua falha em protocolar corretamente as Documentações do Ano Completo referente ao período de 2021 e (ii) o Artigo 8.10(b) do Regulamento Financeiro devido à sua falha em manter os Custos Relevantes abaixo do Teto Orçamentário de 2021", diz o documento da FIA.

"A FIA reconhece que a RBR aplicou o tratamento correto com seus Documentos e Relatórios do Ano Completo e os documentos de impostos de sua submissão de 2021 com um valor de £1.431.348, que teria sido considerado correto pela Administração do Teto Orçamentário segundo o Artigo 4.1(b) do Regulamento, o que levaria o excesso dos Custos Relevantes da RBR no período de 2021 para £432.652 (0,37%)".

A redução de 10% nos testes aerodinâmicos será aplicado em relação ao tempo permitido que a equipe terá no túnel de vento, cumprindo a sanção desportiva minoritária prevista no regulamento. Por vencer o Mundial de Construtores, a equipe tem direito a 70% do tempo que a sétima colocada terá, mas agora isso será reduzido a 63%.

Caso Ferrari e Mercedes mantenham segundo e terceiro lugares no Mundial, eles terão 75% e 80% do tempo de testes aerodinâmicos do sétimo colocado.

Com a divulgação do Acordo de Violação Aceita entre FIA e Red Bull, o caso está oficialmente encerrado. E após prometer transparência sobre a submissão dos documentos assim que um acordo fosse assinado, Horner fará uma coletiva às 11h30, horário local (13h30 em Brasília) nesta sexta-feira.

VÍDEO: Dê uma volta virtual no circuito do Autódromo Hermanos Rodríguez, no México

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast Motorsport.com debate: quem poderá parar a Red Bull e Verstappen na Fórmula 1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: FIA retorna Alonso à sétima posição do GP dos Estados Unidos
Próximo artigo Haas terá patrocínio da Oakberry pelo restante da temporada 2022 da F1

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil