F1: FIA retorna Alonso à sétima posição do GP dos Estados Unidos

No final, recurso contra o protesto da Haas acabou sendo vitorioso

Fernando Alonso, Alpine A522

Após um segundo protesto na quinta-feira no México, a Alpine saiu vitoriosa, com Fernando Alonso retomando a sétima posição do GP dos Estados Unidos de Fórmula 1, graças à novas evidências que surgiram sobre o protesto feito pela Haas em Austin.

A Haas apresentou um protesto contra o carro de Alonso após a corrida em Austin no domingo, alegando que o veículo não era seguro devido a um retrovisor direito solto e ausente, em seguida, após danos sofridos no acidente com Lance Stroll.

Leia também:

Os comissários concordaram com a avaliação da Haas e deram a Alonso uma penalidade de 30 segundos após a corrida, derrubando-o do sétimo para o 15º lugar.

A Alpine rapidamente emitiu um protesto, com Alonso dizendo na quinta-feira no México que criaria um “enorme problema” para a F1 se considerasse os carros danificados inseguros que forçariam “50, 60, 70%” dos carros a abandonarem.

O protesto da Alpine alegou que Alonso não havia sido informado pelo controle de corrida de que seu carro estava danificado e também argumentou que a Haas havia apresentado seu protesto 24 minutos após o prazo.

Surgiu na audiência que a Haas foi informada pelo presidente dos comissários via controle de corrida que tinha uma hora para apresentar o protesto após a corrida.

Inicialmente, a FIA decidiu que o protesto da Alpine era inadmissível, devido ao fato do regulamento não permitir um protesto. Isso fez com que a Alpine entrasse com um pedido de revisão, citando evidências novas e significativas, sendo esta o fato de que "não apenas às 20h53 do dia da corrida que a equipe foi notificada que o protesto original foi protocolado 24 horas após o prazo usual de 30 minutos".

A Alpine também argumentou que somente na audiência no domingo a noite em Austin que a equipe descobriu que a Haas havia sido notificada pela direção de prova, criando uma nova evidência.

Com este protesto sendo admitido, outra audiência aconteceu na noite de quinta no México, onde foi descoberto que a Haas poderia ter protocolado o protesto de forma escrita dentro da janela de 30 minutos, não sendo impossível cumprir o regulamento.

Com isso, o protesto inicial da Haas foi considerado inadmissível, tornando-o nulo e retornando Alonso à sétima posição. Em um comunicado, a Alpine "agradeceu os comissários da FIA por atingirem uma conclusão positiva no caso do carro #14".

Como parte da decisão, os comissários disseram que ficaram preocupados com o fato de Alonso ter podido seguir na pista sem um espelho, e "recomendam fortemente que sejam criados procedimentos de monitoramento".

VÍDEO: Dê uma volta virtual no circuito do Autódromo Hermanos Rodríguez, no México

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast Motorsport.com debate: quem poderá parar a Red Bull e Verstappen na Fórmula 1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Horários e previsão do tempo da sexta-feira no México
Próximo artigo F1: Red Bull é multada em R$37 mi e perde parte dos testes aerodinâmicos em acordo com FIA sobre teto de 2021

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil