F1: Renault diz que túneis de vento compartilhados ainda permitirão que equipes trabalhem juntas

compartilhar
comentários
F1: Renault diz que túneis de vento compartilhados ainda permitirão que equipes trabalhem juntas
Por:

Cyril Abiteboul se mostrou preocupado com túneis de vento compartilhados em meio às polêmicas de cópia de projetos na F1 em 2020

As equipes de Fórmula 1 que compartilham túneis de vento continuam sendo o "elefante na sala" quando se trata de impedir que os times sejam totalmente independentes agora, avalia o chefe de equipe da Renault, Cyril Abiteboul.

Como parte da controvérsia sobre a Racing Point ter copiado a Mercedes do ano passado, a FIA está pronta para mudar a regra da F1 para evitar que as equipes criem carros clones no futuro.

Leia também:

Havia temores de várias equipes de que permitir que outros repetissem o que a Racing Point fez abriria as portas para uma F1 de dois níveis, onde as equipes seriam forçadas a formar alianças.

A FIA respondeu à situação deixando claro que deseja que as equipes de F1 continuem a construir seus próprios projetos, pois acredita que isso torna um esporte muito mais saudável.

Embora a Renault tenha apoiado a posição da FIA, Abiteboul ainda acha que as equipes sempre acabarão trabalhando juntas se compartilharem seus túneis de vento - e essas parcerias apenas serão quebradas quando a F1 mudar totalmente para projetos computadorizados.

"Acho que há elementos [de compartilhamento] aos quais não vamos voltar, como o motor, a caixa de câmbio e outros elementos mecânicos muito caros", disse Abiteboul em entrevista exclusiva ao Motorsport.com.

“Mas há um elefante caro na sala, que é o túnel de vento, e que permanecerá enquanto continuarmos fazendo o desenvolvimento aerodinâmico em túneis de vento”.

“Mas talvez uma visão para o futuro seja que possamos ter dez equipes totalmente independentes, e essas dez equipes usarão CFD apenas porque há o suficiente para qualquer pessoa acessar CFD por meio da computação em nuvem”.

“Essa deve ser a visão e acho que a visão é compartilhada por quase todos. Sim, é um avanço em termos de como chegamos lá, que ainda precisa ser resolvido, mas pelo menos sabemos que não há espaço para repetir o que aconteceu este ano”.

A Mercedes divide seu túnel de vento com a Racing Point, enquanto a Red Bull e a AlphaTauri devem compartilhar suas instalações a partir do próximo ano.

Abiteboul disse estar encantado com a forma como a FIA, e em particular seu chefe de monopostos, Nikolas Tombazis, respondeu à polêmica da Racing Point prometendo regras para impedir a cópia extensiva de carros.

“É interessante porque tudo meio que aconteceu ao mesmo tempo, com o Pacto de Concórdia e esse precedente [sobre a cópia de carros]”, acrescentou Abiteboul.

“É bom que o precedente tenha sido aberto neste ano, em um momento em que ainda podíamos decidir ou não se queremos fazer parte do esporte: e essa situação provavelmente deu impulso e encorajou a FIA e a F1 a encontrarem respostas para nossas preocupações”.

“Tivemos a confirmação de que eles compartilham a mesma visão que a nossa. E agora está progressivamente se transformando em regulamentos. Há mais por vir, haverá um DT [diretiva técnica] muito em breve, e isso é resultado do trabalho muito árduo da nossa equipe, com a FIA e com o Nikolas”.

“Demos a ele um pouco do nosso tempo, mas, francamente, tenho que dar um grande crédito a ele pela resposta que ele deu no tempo muito limitado que tivemos”.

Live do Ricardo Penteado (1): histórias de Alonso, Nelsinho, Kubica e muito mais

PODCAST: Qual é o limite de Max Verstappen na Red Bull?

 

Related video

F1: Hamilton diz que FIA ainda não iniciou conversas sobre protesto antirracista no pódio

Artigo anterior

F1: Hamilton diz que FIA ainda não iniciou conversas sobre protesto antirracista no pódio

Próximo artigo

F1: Bottas lidera primeiro treino livre para o GP da Rússia marcado por batidas de Sainz e Latifi; Hamilton é 19º

F1: Bottas lidera primeiro treino livre para o GP da Rússia marcado por batidas de Sainz e Latifi; Hamilton é 19º
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Jonathan Noble