F1: Ricciardo teve que "engolir orgulho" para dar passagem a Norris em Ímola

Piloto australiano admitiu que decisão da McLaren foi justa

F1: Ricciardo teve que "engolir orgulho" para dar passagem a Norris em Ímola

Daniel Ricciardo disse que teve que "engolir seu orgulho" quando a McLaren lhe pediu para dar passagem para o companheiro de equipe Lando Norris em Ímola, mas admitiu que a decisão foi justa.

Norris foi o mais rápido da escuderia de Woking no fim de semana do GP da Emilia Romagna de Fórmula 1, apesar de largar atrás de Ricciardo depois que seu melhor tempo no treino classificatório foi excluído por ter excedido os limites de pista.

Leia também:

Durante os estágios iniciais da corrida, os pilotos da McLaren estavam em quinto e sexto lugares quando Norris informou sua equipe pelo rádio que ainda tinha ritmo, mas não podia usá-lo atrás de seu companheiro de equipe.

O time concordou em trocar de posições, o que acabou valendo a pena, pois o britânico subiu para a terceira posição, enquanto Ricciardo permaneceu na sexta posição até a bandeira quadriculada.

O ex-piloto da Renault, disse que teve que "engolir seu orgulho" ao deixar Norris passar, mas admitiu não ter reclamações sobre a decisão da equipe.

"Acho que foi aí que eu certamente consegui engolir meu orgulho", disse Ricciardo à Sky Sports F1 após a corrida.

“Honestamente, a equipe foi justa. Eles me deram tempo para tentar mostrar meu ritmo."

“Houve algumas voltas em que tive um pouco [de ritmo] e consegui fazer um tempo decente e, para ser honesto, quando acelerei comecei a matar um pouco o [pneu] dianteiro direito."

"Acho que eles me deram o tempo necessário para mostrar o que eu tinha e hoje não foi o suficiente. Então, sim, eu não vou entrar em nenhuma briga, foi justo."

O chefe da equipe, Andreas Seidl, que elogiou Ricciardo por sua condução em uma corrida em que alguns de seus colegas cometeram erros de destaque, explicou a política do time de deixar o piloto mais rápido passar quando necessário.

"Temos um acordo claro com os pilotos e dentro da equipe de que sempre tomaremos decisões que garantam a maximização do resultado para a equipe", disse Seidl.

“Deixamos nossos pilotos correrem, mas digamos que se virmos que eles se cruzam na pista e se julgarmos como um piloto com um ritmo superior naquele momento em comparação com o outro piloto, tomemos a decisão de trocar. Foi o que fizemos hoje."

"Em geral, sempre estaremos certos de que os dois pilotos possam batalhar na pista no final. Mas, novamente, se pensarmos para maximizar o resultado da equipe, uma troca faz sentido", concluiu. 

Entenda como F1 na BAND liga sinal de ALERTA na GLOBO após “ROUBO” de audiência no GP de Ímola

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Por que temporada de 2021 promete ser a mais equilibrada dos últimos anos?

 

compartilhar
comentários
Portugal 1985: Quando Senna passeou na chuva para conquistar primeira vitória na F1

Artigo anterior

Portugal 1985: Quando Senna passeou na chuva para conquistar primeira vitória na F1

Próximo artigo

Análise técnica: Entenda como Mercedes melhorou após pré-temporada da F1

Análise técnica: Entenda como Mercedes melhorou após pré-temporada da F1
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Adam Cooper