F1 - Russell não entende melhora da Mercedes e minimiza P1 na sexta: "Treinos não significam nada"

Mas tanto Russell quanto Hamilton admitem que carro está melhor em comparação a etapas anteriores

F1 - Russell não entende melhora da Mercedes e minimiza P1 na sexta: "Treinos não significam nada"
Carregar reprodutor de áudio

Após sofrer com o porpoising extremo no W13 no começo da temporada 2022 da Fórmula 1, sem ter como igualar o ritmo de Ferrari ou Red Bull, George Russell colocou a Mercedes na ponta no fim da sexta-feira em Miami. Mas o britânico ainda não tem certeza se as atualizações trazidas para a etapa estão por trás da melhora no ritmo, alertando ainda que liderar o TL1 "não significa nada".

A Mercedes trouxe uma série de atualizações para seu carro em Miami, incluindo uma nova asa traseira de baixo arrasto e um design revisado da placa final na asa dianteira. Enquanto Russell alertou que as novidades não seria a cura dos problemas da Mercedes, ele teve uma boa performance na sexta, sendo segundo no TL1 e marcando o melhor tempo do dia no TL2.

Leia também:

A volta de Russell, 01min29s938, o colocou um décimo à frente de Charles Leclerc, enquanto Lewis Hamilton, seu companheiro de Mercedes, ficou mais um décimo atrás, em quarto. Mas o britânico alertou que ainda é cedo demais para definir o ritmo da Mercedes, admitindo não saber porque foi tão rápido de cara.

"Eu realmente não entendo, para ser honesto, porque começamos tão bem", disse. "Sempre soubemos que as condições do fim de semana nos ajudariam, porque estamos sofrendo muito com aquecimento de pneus, mesmo no Bahrein".

"Mas essa é a primeira corrida realmente quente do ano. Então isso é um fator. O carro está trabalhando bem, mas ainda é apenas sexta-feira, não podemos nos empolgar".

George Russell, Mercedes W13 in Mercedes garage

George Russell, Mercedes W13 in Mercedes garage

Photo by: Steve Etherington / Motorsport Images

Russell acrescentou que "não tinha tanta certeza" se as atualizações teriam dado à Mercedes uma compreensão melhor sobre a direção que a equipe tem que seguir com o desenvolvimento do carro, mas reconheceu que foi um bom dia.

"Quando eu saí do TL1, fui direto para a sala dos comissários por causa do incidente no pitlane com Ocon. Então no TL2, comecei de cara a trabalhar com meus engenheiros para maximizar os ajustes".

"Definitivamente foi um dia muito produtivo para nós, possivelmente a sexta mais produtiva que tivemos até agora".

Questionado sobre qual seria sua mensagem aos fãs da Mercedes, Russell disse: "O que eu diria é que treinos livres não significam nada, e temos mais pela frente no sábado".

Hamilton também tentou não demonstrar muito otimismo com o ritmo da Mercedes, e enquanto afirma que seu carro "parece similar" com as atualizações, o feedback da equipe foi positivo.

"Parecemos rápidos aqui, e mais tarde eles nos disseram que definitivamente avançamos de algum modo. Não sei onde que isso aconteceu. Mas ainda temos as quicadas, elas não foram curadas, mas acho que aos poucos estamos melhorando o carro".

VÍDEO: Qual equipe é a favorita para o GP de Miami da F1?

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST - Russell surpreende e lidera em Miami; Verstappen com problemas e Sainz bate 

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Relógio pode causar multa milionária durante GPs
Artigo anterior

F1: Relógio pode causar multa milionária durante GPs

Próximo artigo

F1 AO VIVO: Acompanhe o terceiro treino para GP de Miami em Tempo Real

F1 AO VIVO: Acompanhe o terceiro treino para GP de Miami em Tempo Real