F1: Russell se diz pronto para sacrificar seu 2023 em prol do progresso da Mercedes

Britânico apoiou seu chefe, Toto Wolff, em relação a necessidade de mudança de conceito do carro para o restante da temporada

George Russell, Mercedes F1 W14

A Mercedes está procurando dar um grande passo com seu W14, que ao contrário do antecessor, não é mais prejudicado pelo porpoising, porém, a abertura da temporada 2023 da Fórmula 1 no Bahrein mostrou que a diferença para a Red Bull só aumentou. O que faz George Russell pensar a longo prazo.

Leia também:

E com a Aston Martin, que seguiu de perto a filosofia de design da Red Bull, também se mostrando mais rápida que a Mercedes, dúvidas foram levantadas sobre a decisão da equipe alemã de manter seu design exclusivo de carro. No sábado à noite, o chefe do esquadrão, Toto Wolff, admitiu que não achava que "este pacote seria competitivo eventualmente", indicando que poderia acontecer uma mudança radical no design.

Embora tal mudança possa levar muito tempo e comprometer os resultados da equipe em 2023, Russell disse que está pronto para sofrer este ano se isso significar que a Mercedes pode finalmente ser competitiva a longo prazo.

"Nós obviamente queremos otimizar cada resultado, mas se você me der uma escolha entre lutar e ter uma chance de ganhar corridas, quando quer que seja, versus progresso lento e nunca ter essa chance, você obviamente escolhe uma dessas vitórias.

"Então, se quisermos sacrificar algumas corridas ou parte de uma temporada para dar a nós mesmos uma chance de conseguir um carro que possa lutar, seja na segunda metade da temporada ou mesmo se estiver olhando para o próximo ano, talvez seja isso que teremos que fazer porque, claramente, estamos muito atrasados".

Ele acrescentou: "Ninguém se lembra de quem termina em segundo ou terceiro. O segundo não é suficientemente bom. E se precisarmos fazer algumas mudanças drásticas para dar a nós mesmos uma chance no segundo semestre, sempre que for possível, é o que faremos".

George Russell, Mercedes F1 W14

George Russell, Mercedes F1 W14

Photo by: Glenn Dunbar / Motorsport Images

Russell admitiu que o regresso da Mercedes foi um "grande golpe", justamente quando esperava que o aumento de piso de 15 mm obrigatório para 2023 permitisse que seu conceito de design mostrasse seu verdadeiro potencial.

"Não vamos fazer rodeios, é claro, é um grande golpe para todos nós", disse ele com franqueza. “Estamos muito atrás de onde queremos estar. Acho que o único aspecto positivo de tudo isso no momento é que não há nenhum problema fundamental com o carro além da falta de downforce."

"E por mais bobo que pareça, esse é provavelmente um dos problemas mais fáceis de resolver, se você comparar com esta época do ano passado. Passamos do carro que estava quicando mais para o carro que provavelmente está quicando menos. Talvez com a mudança de regulamento tenhamos dado um passo muito conservador nesse sentido e talvez precisemos voltar alguns para ganhar algum downforce".

No entanto, Russell não acredita que abandonar o design minimalista do sidepod da Mercedes pelo conceito da Red Bull mudará repentinamente a sorte da equipe, já que o assoalho é um contribuinte muito maior para o desempenho.

“A razão pela qual ainda temos esse conceito de sidepod fino é porque ainda acreditamos que é o melhor e, para ser honesto, ainda acredito que isso não vai transformar nosso desempenho, se viermos na próxima semana com um sideboard estilo Red Bull”, pensou ele. "Não acho que isso vá nos encontrar meio segundo de repente. Acho que a mágica é feita no assoalho e nas partes do carro que não podemos ver."

Drive To Survive: erros e acertos da 5ª temporada da série da F1. Cadê Interlagos e Vettel?

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast: Ferrari renovada, Mercedes melhor e Red Bull bem? Que F1 teremos em 2023?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Ações da Aston Martin valorizam mais do que esperado após pódio no Bahrein
Próximo artigo F1 - Cronologia do caos: como Ocon foi penalizado três vezes no GP do Bahrein

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil