F1: Sainz lamenta má fase, mas está confiante de que "bons momentos virão"
Carregar reprodutor de áudio

A única nota positiva para Carlos Sainz nas últimas duas semanas foi a renovação de seu contrato com a Ferrari na Fórmula 1 até o fim de 2024. De resto, o espanhol vive uma situação muito complicada.

Na última etapa em Melbourne, Carlos foi teve azar na classificação, quando uma bandeira vermelha apareceu pouco antes de terminar a volta, obrigando-o a largar da nona colocação.

Na corrida, então, as coisas pioraram quando errou e foi parar na caixa de brita, sendo forçado a abandonar. 

Leia também:

Sainz chegou a Ímola ansioso para se redimir, mas na sexta-feira tudo se complicou já na classificação, ficando apenas com a décima posição após uma batida nos minutos finais do Q2.

Largando da décima posição na corrida sprint, Sainz conseguiu uma boa recuperação, mas no GP da Emilia Romagna, no domingo, a sorte decidiu virar as costas para ele novamente. O espanhol foi atingido na traseira direita por Daniel Ricciardo, tendo que abandonar novamente.

Falando sobre o incidente com Ricciardo, Sainz insistiu que deixou "bastante espaço" para o australiano da McLaren.

"Vi que não consegui as melhores largadas para ser justo com Charles, precisamos analisar o que aconteceu lá na largada, mas é uma corrida longa. É preferível ter uma boa largada, mas mesmo assim conseguimos sair limpos na curva 2, e por algum motivo Daniel tocou na zebra, deixei bastante espaço para ele, mas acho que ele deve ter perdido a frente do carro e esbarrado em mim, uma infeliz situação que eu fiquei preso mais uma vez na caixa de brita", disse o espanhol.

Questionado se achava que a abertura do DRS deveria ter sido autorizada antes da volta 32, Sainz respondeu: "Acho que depois do que aconteceu no ano passado com o George nesta reta principal, eles tiveram um acidente bem grande, acho normal que a FIA esteja pegando leve com o DRS, porque foi um acidente enorme e a pista ainda está molhado. Então, você sabe, é seguro, uma recompensa de risco para a FIA, e é normal que eles estejam indo com calma."

Sainz lamentou o fato de ter abandonado logo no início da corrida em Ímola, mas se mostrou positivo: "bons momentos virão".

"É muito ruim, devo dizer que é definitivamente um momento difícil e obviamente eu queria fazer uma boa corrida aqui [em Ímola] na frente de nossos fãs. Ainda havia 63 voltas à frente, então ser eliminado da corrida na curva 2, é ruim, mas você sabe, sempre há esses momentos difíceis na vida de um esportista e é minha vez de passar por eles e enquanto eu continuar trabalhando duro, tenho certeza que os bons momentos virão”.

F1 AO VIVO: Max PASSEIA e Leclerc ERRA enquanto Hamilton DEFINHA e George brilha;Pérez/Lando vão bem

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast debate Sprint de Ímola, vencida por Verstappen após batalha com Leclerc

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Frustrado, Hamilton diz que todos na Mercedes estão sofrendo com início complicado, mas garante: ninguém desistiu ainda
Artigo anterior

F1: Frustrado, Hamilton diz que todos na Mercedes estão sofrendo com início complicado, mas garante: ninguém desistiu ainda

Próximo artigo

F1: Gasly diz que "não foi muito difícil" manter Hamilton atrás em Ímola

F1: Gasly diz que "não foi muito difícil" manter Hamilton atrás em Ímola