F1: Fora dos pontos, Sainz diz que "pneus desgastavam duas vezes mais que o resto do grid"

Ferrari teve problemas após a rodada de pit stops e saiu zerada do GP da França; Leclerc fala em uma das "corridas mais díficeis da carreira"

F1: Fora dos pontos, Sainz diz que "pneus desgastavam duas vezes mais que o resto do grid"

Carlos Sainz qualificou-se como o melhor piloto do meio do grid ao cravar o quinto melhor tempo na classificação para o GP da França de Fórmula 1, atrás apenas de Mercedes e Red Bull, e conseguiu se manter à frente nos momentos iniciais da prova. No entanto, a corrida complicou para ele a partir da primeira rodada de pit stops.

O espanhol foi ultrapassado pelo companheiro de equipe Charles Leclerc e Daniel Ricciardo, da McLaren, após sua parada e começou a ter dificuldade com os pneus duros, perdendo posições para Lando Norris, Pierre Gasly, Fernando Alonso, Sebastian Vettel e Lance Stroll no segundo stint.

Leia também:

O mau desempenho o fez chegar apenas na 11ª posição, com Leclerc a uma volta do líder em 16º, depois de mudar para uma estratégia de duas paradas.

“É claro e evidente que hoje devemos ter algo realmente errado para estarmos tão longe do ritmo ideal”, disse Sainz após a corrida. “É uma limitação que apareceu em algumas das corridas em que lutamos com os pneus dianteiros com granulação e degradação, duas vezes mais que nossos concorrentes."

“Alguns carros, que ontem fomos meio segundo mais rápidos, como as McLarens, nos colocavam dois segundos por volta. Então está claro que temos uma limitação com os pneus. É algo que devemos analisar e melhorar ao longo da temporada", completou o piloto.

Segundo ele, “algo não estava certo” no início da corrida e a equipe provavelmente não poderia ter feito muito diferente com a estratégia para remediar o problema: “O problema é que não há margem de estratégia com tem tanta degradação como tivemos hoje. Você não tem defesa."

"Não é que sejamos os mais rápidos nas retas também, mas hoje estávamos muito, muito longe do ritmo. Nós simplesmente gastamos os pneus duas vezes mais que os outros", acrescentou Sainz. "É algo que precisamos entender, porque definitivamente nos pegou de surpresa.”

Carlos Sainz, Ferrari SF21 , leads Pierre Gasly, AlphaTauri AT02, and Charles Leclerc, Ferrari SF21

Carlos Sainz, Ferrari SF21 , leads Pierre Gasly, AlphaTauri AT02, and Charles Leclerc, Ferrari SF21

Photo by: Drew Gibson / Motorsport Images

Leclerc: "Cinco ou seis voltas competitivas"

O companheiro do espanhol na Ferrari, Charles Leclerc, parou três voltas antes dele e foi inicialmente capaz de fazer o undercut, mas teve as mesmas dificuldades e perdeu posições.

“Foi uma das corridas mais difíceis da minha carreira na Fórmula 1”, disse o monegasco. "Acho que os dois carros estavam lutando muito. Tivemos umas cinco, seis voltas onde estávamos muito bons e competitivos, mas mesmo que tentássemos cuidar dos pneus, eles estavam se degradando muito."

“Do meu lado, tentamos uma segunda parada no final. Sabíamos que estaríamos sem pontos de qualquer maneira, então fomos para outra. Obviamente foi complicado, porque estávamos com bandeiras azuis e coisas assim. Foi uma corrida muito ruim para nós. Portanto, precisamos entender."

F1 2021: Verstappen SUPERA Hamilton e ABRE na LIDERANÇA; as ANÁLISES do GP da França | PÓDIO

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Qual é o tamanho do "drama" de Bottas e Mercedes em 2021?

 

compartilhar
comentários
F1: Bottas diz que se sentiu "presa fácil" no GP da França

Artigo anterior

F1: Bottas diz que se sentiu "presa fácil" no GP da França

Próximo artigo

F1 - Red Bull: Estratégia "ousada" com segunda parada foi vingança pelo GP da Espanha

F1 - Red Bull: Estratégia "ousada" com segunda parada foi vingança pelo GP da Espanha
Carregar comentários