F1: Steiner quebra silêncio após saída da Haas e abre o jogo sobre único arrependimento

"Se houver algo interessante e que me desafie, sim, mas procurar emprego apenas para permanecer na F1, talvez não seja o que eu quero", disse sobre o futuro

1019972183--20240113-GS-2MDH1497

O agora ex-chefe da Haas, Gunther Steiner, admite que foi "doloroso" não dar um adeus formal à equipe de Fórmula 1. O contrato do ítalo-americano como comandante da escuderia não foi renovado para a temporada 2024 pois ele e o proprietário do time, Gene Haas, divergiram em sua visão para o grupo dos Estados Unidos na F1 depois de a estrutura terminar em último lugar no campeonato de construtores no ano passado, com apenas 12 pontos. 

O editor recomenda:

Steiner, que se tornou uma figura popular na F1 ao longo de sua quase década na Haas, tendo construído a equipe do zero, achava que a escuderia precisava de investimento, enquanto Gene desejava manter o nível atual de gastos, mas aumentar a eficiência. 

Isso levou à promoção do diretor de engenharia de pista Ayao Komatsu como novo chefe de equipe da Haas para 2024 e anos seguintes. Falando na Autosport International 2024 no National Exhibition Centre em Birmingham, Steiner confirmou que recebeu a notícia entre o Natal e o Ano Novo, e sua saída abrupta significou que ele não teve uma despedida adequada da escuderia norte-americana. 

"Eu não tive a chance de agradecer a algumas pessoas quando deixei a Haas F1. Gostaria apenas de agradecer a todos os membros da equipe que não pude dar um adeus adequado quando saí. E quero dizer também a todos os fãs que nos apoiaram enquanto eu estava lá, é fantástico -- obrigado a todos pelo apoio que recebi e estou recebendo, por isso estou mega agradecido", afirmou. 

Guenther Steiner at Autosport International 2024

Foto de: Motorsport Images

Guenther Steiner no Autosport International 2024

"Sim, foi difícil [não poder me despedir], mas todos eles me conhecem e sabem que eu agradeço o que fizeram. É sempre melhor dizer isso a eles, seria bom dizer: 'Ei pessoal, obrigado pelo que fizeram pela equipe'." 

Steiner acrescentou que Gene lhe telefonou com a notícia de que seu contrato não seria prorrogado, o que ele admitiu tê-lo surpreendido. Gunther acrescentou que "não pode responder" se as condições da Haas permitirão que Komatsu faça de seu tempo no comando da equipe um sucesso, e foi tímido sobre seu próprio futuro na F1. Explicando que "não estava com pressa" para tomar uma decisão, Steiner revelou que não desejava permanecer na F1 apenas por interesse. 

"Se a F1 me quiser, eu não sei!" acrescentou Steiner. "Na minha situação, não tenho pressa, sabe?Sempre há pessoas que vão me ver por aí na F1; eu conheci muitas pessoas e fiz muitos amigos. Se houver algo interessante e que me desafie, sim, mas procurar um emprego apenas para permanecer na F1, talvez não seja o que eu quero", completou Steiner, que também trabalhou na Jaguar e na Red Bull na F1.

DRUGOVICH e BORTOLETO na mesma equipe de F1? Brasileiros falam sobre 2024 e ALÉM na ASTON e McLAREN

Podcast #264 – O que Gil de Ferran deixa para o automobilismo?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Be part of Motorsport community

Join the conversation
Artigo anterior F1: O decisivo ato de Horner com o "personagem" Steiner na Red Bull, nas palavras de Christian
Próximo artigo F1 | “A Fórmula E é a casa dele", diz Longo sobre 'Checo' Pérez

Top Comments

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Sign up for free

  • Get quick access to your favorite articles

  • Manage alerts on breaking news and favorite drivers

  • Make your voice heard with article commenting.

Motorsport prime

Discover premium content
Assinar

Edição

Brasil