F1: O decisivo ato de Horner com o "personagem" Steiner na Red Bull, nas palavras de Christian

Chefe taurino foi indiretamente responsável por maus e bons momentos de Gunther, cuja ida aos Estados Unidos fez com que ele conhecesse Gene Haas; entenda

O diretor esportivo Christian Horner e o diretor técnico Guenther Steiner

O diretor esportivo Christian Horner e o diretor técnico Guenther Steiner

Red Bull Racing

'Divorciado' da Haas nesta semana após comandar o projeto da equipe na Fórmula 1 por quase 10 anos, Gunther Steiner é muito conhecido pelos fãs por causa das 'trapalhadas' com o time dos Estados Unidos que ficaram famosas em Drive to Survive, série da Netflix sobre a F1. Entretanto, poucos lembram da jornada do engenheiro ítalo-americano na elite global do esporte a motor antes de ele comandar a escuderia norte-americana na categoria máxima do automobilismo.

O editor recomenda:

Steiner chegou ao Mundial no fim de 2001 cacifado pelo bom trabalho no Campeonato Mundial de Rally (WRC, na sigla em inglês) ao lado de pilotos como os lendários Carlos Sainz e Colin McRae na equipe da Ford. Esta, por sua vez, era dona da escuderia Jaguar na F1, com a estrutura comandada simplesmente por Niki Lauda, que pediu à montadora americana um bom nome para ser diretor esportivo do time verde na elite global do esporte a motor. Quem? Gunther!

Porém, um ano depois, no final de 2002, a Ford demitiu Lauda por causa dos resultados ruins da Jaguar, com Steiner também sendo dispensado. A mudança de gestão não surtiu efeito e o time seguiu mal, sendo vendido à Red Bull no fim de 2004, quando Gunther foi convidado a voltar à F1.

Guenther Steiner and Niki Lauda

Photo by: Jaguar Racing

Guenther Steiner and Niki Lauda

Então, sob a liderança do chefe de equipe recém-recrutado pela marca de energéticos, Christian Horner, Steiner voltou a ser o diretor de operações técnicas da fábrica de Milton Keynes no primeiro ano da Red Bull no grid, em 2005.

Horner e Steiner lideraram a 'RBR' a resultados decentes para uma escuderia estreante, mas as ambições eram maiores e isso acabou abreviando a permanência de Steiner na estrutura anglo-austríaca.

Adrian Newey e Horner no GP do Bahrein de 2006

Photo by: Michael Cooper / Motorsport Images

Adrian Newey e Horner no GP do Bahrein de 2006

Isso porque a empresa taurina conseguiu viabilizar a contratação de um tal Adrian Newey para liderar a parte técnica e os projetos do grupo na F1. Coube a Horner, então, 'desligar' Steiner da organização na Inglaterra: com isso, Gunther foi aos EUA liderar o Red Bull Team na NASCAR.

“Gunther era – e ainda é – um grande personagem, mas ficou claro que ele não era um líder técnico. Percebi que a equipe precisava urgentemente de liderança técnica e direção. Então, tentei Adrian logo no início da minha carreira como chefe”, lembrou Horner ao inews.uk em 2023.

DRUGOVICH e BORTOLETO na mesma equipe de F1? Brasileiros falam sobre 2024 e ALÉM na ASTON e McLAREN

Podcast #264 – O que Gil de Ferran deixa para o automobilismo?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Be part of Motorsport community

Join the conversation
Artigo anterior F1: Diretor técnico que deixou Haas define próximo passo, mas rumo é inesperado; saiba
Próximo artigo F1: Steiner quebra silêncio após saída da Haas e abre o jogo sobre único arrependimento

Top Comments

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Sign up for free

  • Get quick access to your favorite articles

  • Manage alerts on breaking news and favorite drivers

  • Make your voice heard with article commenting.

Motorsport prime

Discover premium content
Assinar

Edição

Brasil