F1: Toto Wolff é favorável a congelamento de motores a partir de 2022

compartilhar
comentários
F1: Toto Wolff é favorável a congelamento de motores a partir de 2022
Por:
, Editor
Co-autor: Adam Cooper

Medida está ligada com saída da Honda F1, que deixou a Red Bull sem fornecedora após 2021

A Mercedes se posicionou a favor do congelamento de motores na Fórmula 1 a partir de 2022. A medida é amplamente discutida na categoria desde que a Honda anunciou no início de outubro que deixaria a F1 após a temporada de 2021, o que deixou a Red Bull sem uma fornecedora de motores definida. A equipe de Milton Keynes considerou comprar o projeto e design dos motores da marca japonesa para os continuar usando, mas isso só seria possível com o congelamento.

O motivo é que a Red Bull não quer entrar em uma guerra de gastos com Mercedes, Renault e Ferrari, que já tem a fabricação do motor prevista em seus orçamentos e a capacidade para construção e desenho dos mesmos.

Leia também:

O chefe da Mercedes F1, Toto Wolff, confirmou neste sábado (24) que seria a favor de um congelamento para garantir que a Red Bull e sua equipe irmã, AlphaTauri, pudessem continuar usando os motores Honda após 2021.

"Acho que a Fórmula 1 está em bom estado com três fornecedores de motores", disse Wolff. “Eu entendo perfeitamente onde a Red Bull quer chegar. Eles não desejam voltar ao status de cliente.”

“Eles querem ser uma equipe de trabalho e têm a capacidade de ajustar o motor e, quem sabe, otimizá-lo. Talvez haja algumas coisas no projeto da Honda que estão dando a eles a confiança de que há mais desempenho no motor. Acho que devemos fazer de tudo para dar essa oportunidade à Red Bull.”

Se o congelamento do motor não for acordado, a RBR poderá voltar a comprar de sua ex-parceira Renault. A fabricante francesa disse que está aberta a um acordo, mas acha improvável que a Red Bull queira se resignar ao status de cliente.

Os regulamentos desportivos também significam que a Renault seria obrigada a fornecer motores à Red Bull para 2022, caso a equipa apresentasse um pedido à FIA.

Wolff entendeu o desejo da escuderia austríaca de manter seu status de trabalho sem assumir os custos consideráveis ​​envolvidos no desenvolvimento de unidades de energia.

"Eu entendo que eles não querem entrar em uma guerra de gastos com todos os outros no desenvolvimento de motores", disse Wolff quando questionado pela Autosport/Motorsport.com por que estava apoiando o plano.

“É uma proposta sensata, eu gostaria de apoiar isso. Acho que a Red Bull é uma marca tremendamente importante para a Fórmula 1 e devemos fazer de tudo para manter as duas equipes na categoria e ajudá-las com a opção de ter basicamente um status de trabalho.”

Questionado se ele estava preocupado com o fato de a Red Bull estar tentando forçar a F1 a congelar o motor, Wolff disse que isso é “parte do jogo” e que estava feliz com qualquer solução que mantivesse as equipes no grid.

“Acho que na Fórmula 1, todos estão tentando fazer o melhor negócio, financeiro e de desempenho. Esta é a posição atual e posso viver com qualquer uma delas. Posso viver com eles pegando um motor do cliente, ajudar a financiar o programa de desenvolvimento da Honda ou fazer isso por conta própria. Sou favorável a qualquer decisão.”

A possibilidade de um congelamento dos motores será discutida em uma reunião da Comissão da F1 no dia 26 de outubro.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Neste fim de semana, a F1 visita Portimão, para o GP de Portugal. E uma equipe que vem se destacando na temporada 2020 é a Renault, que vem mostrando muita consistência, com Daniel Ricciardo entre os seis primeiros nas últimas quatro provas. Pode ser uma boa aposta para o fim de semana hein? Quer saber mais? Confira o ThePlayer.com e não perca nada!

Q4: Assista ao debate sobre o treino classificatório para o GP de Portugal de F1, com Lucas Foresti

PODCAST: O mercado da F1 para 2021 e os 30 anos do bicampeonato de Senna

 

F1: Christian Horner diz que Red Bull pegará um piloto de fora caso substitua Albon

Artigo anterior

F1: Christian Horner diz que Red Bull pegará um piloto de fora caso substitua Albon

Próximo artigo

PÓDIO: Hamilton deixa Schumi para trás e chega à vitória 92; o debate sobre o agitado GP de Portugal

PÓDIO: Hamilton deixa Schumi para trás e chega à vitória 92; o debate sobre o agitado GP de Portugal
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Luke Smith