F1: Verstappen minimiza problemas de aderência no TL2 em Budapeste

Holandês diz que equipe estava testando ajustes feitos de um treino para outro e que dia de altas temperaturas não foi fácil

F1: Verstappen minimiza problemas de aderência no TL2 em Budapeste

Max Verstappen liderou o TL1 para o GP da Hungria de Fórmula 1 na manhã desta sexta-feira (30), mas não conseguiu repetir o desempenho na segunda sessão de treinos livres. O holandês da Red Bull terminou com o terceiro melhor tempo e viu a Mercedes fazer a dobradinha com Valtteri Bottas e Lewis Hamilton.

Perto da primeira metade do TL2, ele chegou a reclamar de saídas de frente de seu carro, em um dia de pouca aderência em Hungaroring devido ao forte calor de Budapeste.

Leia também:

No entanto, o piloto minimizou os problemas: "Foram apenas alguns ajustes que estávamos tentando de um treino para outro, precisamos olhar para quais coisas funcionaram e quais não. A pista também estava muito quente, então nunca é fácil assim, mas veremos."

"Não é nada grande demais para superar [diferença para as Mercedes]. Em geral, não é um dia fácil com temperaturas de pista como essa, então vamos analisar tudo."

Verstappen anotou 1:17.310 como seu melhor tempo, contra 1.17:039 de Hamilton e 1.17:012 de Bottas.

F1 AO VIVO - Verstappen X Hamilton NA PISTA e Bottas LÍDER: Treinos livres na Hungria | SEXTA-LIVRE

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: O "pós-guerra" na Hungria: tudo sobre o GP em Budapeste com Rico Penteado

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Hamilton critica aderência em Hungaroring, mas elogia sessão de treinos

Artigo anterior

F1: Hamilton critica aderência em Hungaroring, mas elogia sessão de treinos

Próximo artigo

ANÁLISE: Bottas deveria receber mais crédito pelo trabalho na Mercedes, por Mika Hakkinen

ANÁLISE: Bottas deveria receber mais crédito pelo trabalho na Mercedes, por Mika Hakkinen
Carregar comentários