F1- Wolff: Batida de Bottas não influenciará na escolha de pilotos de 2022

Apesar de batida desastrosa na primeira curva de Hungaroring, acidente de Bottas não pesará na escolha do segundo piloto da Mercedes para 2022

F1- Wolff: Batida de Bottas não influenciará na escolha de pilotos de 2022

Toto Wolff, chefe da Mercedes, disse que a batida de Valtteri Bottas no GP da Hungria não impactará a decisão da equipe sobre a segunda vaga de piloto para 2022. Com um assento já ocupado por Lewis Hamilton, a Mercedes está entre manter Bottas ou promover George Russell para o próximo ano.

Russell faz parte do programa de jovens pilotos da equipe desde 2017 e sua performance na F1 é elogiada desde a sua estreia na Williams, em 2019. Na última corrida, o inglês conquistou o melhor resultado da sua carreira, um oitavo lugar. Esse resultado veio após duas batidas na curva 1 de Hungaroring, uma delas causada por Bottas. Sete carros foram envolvidos nesses incidentes.

Leia também:

O piloto da Mercedes errou o ponto de frenagem e acertou a traseira da McLaren de Lando Norris, que na sequência foi empurrado para a Red Bull de Max Verstappen. Já o carro de Bottas foi em direção ao carro de Sergio Perez. Com exceção de Verstappen, todos os pilotos tiveram que abandonar a corrida devido aos danos dos carros.

O erro levou à críticas de Norris, que disse não esperar algo assim dos melhores pilotos da F1. Bottas se desculpou do ocorrido e aceitou toda a culpa sobre o acidente. Ele foi punido com cinco posições no grid de largada do GP da Bélgica. 

Entretanto, o seu chefe na Mercedes, Wolff, esclareceu que esse erro não impactaria a decisão da equipe sobre a vaga aberta para 2022. "Foi um erro infeliz com grandes consequências, disse patrão. "Ele foi sanduichado por dois carros na frente, perdeu todo o downforce e então já era tarde demais. Isso não influenciará a nossa decisão".

Bottas se sentiu desapontado após o terceiro abandono na temporada de 2021, tendo batido com Russell na pista molhada de Ímola e perdido um segundo lugar em Mônaco devido à porca da roda que ficou presa, impedindo a troca de pneu durante o pit stop.

O finlandês está em quarto no campeonato de pilotos, com 87 pontos atrás do colega de equipe Hamilton e ainda não venceu nenhuma corrida neste ano.

É esperado que a Mercedes tome a decisão entre Bottas e Russell durante as férias de verão, que será a primeira grande notícia para o mercado de pilotos no próximo ano. 

compartilhar
comentários
ANÁLISE: GP da Hungria insano coroa melhor início de temporada da F1 desde 2012

Artigo anterior

ANÁLISE: GP da Hungria insano coroa melhor início de temporada da F1 desde 2012

Próximo artigo

F1: Pai de Pérez lidera projeto pela realização de GP em Cancún para 2024

F1: Pai de Pérez lidera projeto pela realização de GP em Cancún para 2024
Carregar comentários