Fórmula 1
06 mai
Próximo evento em
63 dias
20 mai
Próximo evento em
77 dias
R
GP do Azerbaijão
03 jun
Próximo evento em
91 dias
10 jun
Próximo evento em
98 dias
24 jun
Próximo evento em
112 dias
R
GP da Áustria
01 jul
Próximo evento em
119 dias
R
GP da Grã-Bretanha
15 jul
Próximo evento em
133 dias
29 jul
Próximo evento em
147 dias
R
GP da Bélgica
26 ago
Próximo evento em
175 dias
02 set
Próximo evento em
182 dias
09 set
Próximo evento em
189 dias
23 set
Próximo evento em
203 dias
R
GP de Singapura
30 set
Próximo evento em
210 dias
07 out
Próximo evento em
217 dias
21 out
Próximo evento em
231 dias
28 out
Próximo evento em
238 dias
R
GP da Arábia Saudita
03 dez
Próximo evento em
274 dias
R
GP de Abu Dhabi
12 dez
Próximo evento em
283 dias

F1: Wolff diz que Hamilton tem sintomas leves da Covid-19: “ele não está ótimo”

Chefe da Mercedes disse que heptacampeão mundial está em boas mãos. Wolff também relatou conversas com George Russell e Stoffel Vandoorne sobre substituição em Sakhir

compartilhar
comentários
F1: Wolff diz que Hamilton tem sintomas leves da Covid-19: “ele não está ótimo”

Toto Wolff falou sobre o estado de saúde de Lewis Hamilton nesta sexta-feira (04) em Sakhir, palco do GP de F1 neste fim de semana.  O heptacampeão mundial testou positivo para Covid-19 e terá que se ausentar da corrida de domingo.

Sua presença também é incerta na despedida da temporada, em Abu Dhabi, já que segundo representantes da F1, são necessários quatro exames negativos para o coronavírus para se poder voltar ao ambiente da F1, informação dada pela jornalista Julianne Cerasoli, do UOL.

Leia também:

“Ele não está ótimo”, disse Wolff. “A Covid-19 é algo que não se deve enfrentar levianamente, e ele está em boas mãos, isso é o mais importante, mas são os primeiros dias que nem sempre são tão agradáveis.”

“Ele tem sintomas leves, e então, obviamente, como se pode imaginar, um piloto de corrida fora de seu carro, com Covid-19, é claro que ele prefere estar lá.”

O chefe da equipe da Mercedes, Wolff, não acredita que Hamilton passará muito tempo acompanhando a ação em pista no Bahrein neste fim de semana, dizendo que seu foco está na recuperação.

"Sua prioridade agora é ficar saudável. Não tenho certeza se ele vai seguir em detalhes o que está acontecendo na pista. Se você está na cama e não está se sentindo bem, a corrida se torna uma segunda prioridade."

Wolff disse que os primeiros dias após o teste positivo para COVID-19 foram "críticos", mas que seus sintomas eram "relativamente leves".

Acredita-se que Hamilton tenha contraído o vírus durante uma viagem a Dubai, antes da corrida do último fim de semana no Bahrein para passar um tempo com a família, todos com teste negativo.

Questionado se Hamilton tinha permissão para estar em Dubai e se sentia alguma frustração por não ter o piloto estrela da Mercedes correndo, Wolff disse que foi por falta de sorte, dadas as precauções que o piloto britânico vinha tomando.

"Lewis não precisa de nenhuma permissão", disse Wolff. “Ele pilota o que quer, vai ao avião que quer, porque ele sabe melhor o que é bom para ele. Ele é um homem adulto e isso nunca foi um problema.”

“Acho que pegar a Covid-19 é algo que nem todos temos certeza de onde você o conseguiu. Se você perguntar a Mario [Isola] onde ele pegou, ele provavelmente não saberá onde, e é uma pena.”

"Ele estava se protegendo muito, aí você vai para Dubai, usa máscara o tempo todo e volta com corona. Essas coisas acontecem."

Hamilton é obrigado a se isolar por 10 dias no Bahrein, tornando incerto se ele será capaz de correr no final da temporada de Abu Dhabi no próximo fim de semana.

Embora Wolff ache que é "perfeitamente viável" para Hamilton retornar a tempo para o fim de semana no circuito de Yas Marina, ele disse que não estava claro quando um resultado negativo de teste seria retornado.

"Seria um desenvolvimento muito positivo [para o retorno de Hamilton]", disse Wolff.

"No entanto, você precisa olhar para a situação de qualquer maneira, porque há muitos atletas nos esportes, pessoas que testaram positivo por um longo tempo após qualquer sintoma e depois de terem sido infectados de alguma forma.”

"Isso é algo que a FIA precisa examinar de qualquer maneira."

O diagnóstico positivo de Hamilton para Covid-19 veio em um momento em que ele planejava se sentar com Wolff para discutir os termos de um novo contrato com a Mercedes F1.

Questionado pelo Motorsport.com sobre como o teste positivo de Hamilton retardaria as negociações, Wolff disse que eles permaneceriam em espera até que ele estivesse totalmente apto.

"O cronograma está sendo adiado até que ele se recupere", disse Wolff. "Nós sabemos que precisamos fazer isso, muito bem conscientes de nós dois.”

"A prioridade agora é ele se levantar e voltar a ser negativo, e então nos encontraremos com o Zoom para colocar a caneta no papel."

Notícia do banheiro

Wolff admitiu que a chegada de George Russell para substituir Hamiton só foi possível pela liberação do piloto da Williams, mesmo ele fazendo parte do programa da Mercedes. A notícia da confirmação do britânico em sua 'nova' equipe veio do time atual.

“Acho que os primeiros a contar a ele foram os rapazes da Williams. Eu queria deixar isso para eles, eles o liberaram para este fim de semana. Sem eles, ele não estaria no carro. Aí eu liguei para ele, eu estava na Arábia Saudita, e então ele pegou o telefone e parecia que ele estava no banheiro.”

E relatou a reação do jovem piloto: “Ele lidou bem. Eu o vi esta manhã, batemos um papo e também ontem, ele parece muito natural, não há grande empolgação em estar no carro porque ele sabe que precisa entregar um trabalho sólido. Ele está usando o carro do maior campeão de todos os tempos e precisa chegar lá aos poucos. Este é um layout de pista totalmente diferente.

Ao mesmo tempo que Russell era prestigiado, Stoffel Vandoorne, piloto reserva da Mercedes acabou fora do fim de semana de Sakhir. Wolff também comentou sobre o que conversou com o belga.

“Foi uma decisão muito difícil porque Stoffel é da família Mercedes, faz um trabalho tremendo na Fórmula E, vence corridas e é nosso reserva. Ele faz todo o trabalho de chão, senta no simulador, viaja para todos os GPs, e então você precisa dizer a ele que George Russell está assumindo o volante."

"Mas estamos fazendo isso com uma perspectiva de longo prazo. Queremos ver como George atua sob pressão, retirado do ambiente. Ele vai voltar para Williams com muito aprendizado, e de uma forma que o futuro de George está na Fórmula 1, definitivamente, por isso acho que é um bom exercício.”

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

Russell vs Bottas, possível estreia de Schumi em 2020, comoção da ‘volta’ de Grosjean e Pietro no GP

PODCAST: O 'milagre' Grosjean e o que Pietro Fittipaldi pode fazer em estreia na F1

 

F1: Leclerc e Norris acreditam que Russell pode vencer com Mercedes no Bahrein

Artigo anterior

F1: Leclerc e Norris acreditam que Russell pode vencer com Mercedes no Bahrein

Próximo artigo

F1: Russell explica esforço logístico da Mercedes para deixá-lo pronto para estreia

F1: Russell explica esforço logístico da Mercedes para deixá-lo pronto para estreia
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Luke Smith