Fórmula 1
R
GP da Austrália
12 mar
-
15 mar
Próximo evento em
53 dias
19 mar
-
22 mar
Próximo evento em
60 dias
02 abr
-
05 abr
Próximo evento em
74 dias
16 abr
-
19 abr
Próximo evento em
88 dias
30 abr
-
03 mai
Próximo evento em
102 dias
07 mai
-
10 mai
Próximo evento em
109 dias
21 mai
-
24 mai
Próximo evento em
123 dias
R
GP do Azerbaijão
04 jun
-
07 jun
Próximo evento em
137 dias
11 jun
-
14 jun
Próximo evento em
144 dias
25 jun
-
28 jun
Próximo evento em
158 dias
R
GP da Áustria
02 jul
-
05 jul
Próximo evento em
165 dias
R
GP da Grã-Bretanha
16 jul
-
19 jul
Próximo evento em
179 dias
30 jul
-
02 ago
Próximo evento em
193 dias
R
GP da Bélgica
27 ago
-
30 ago
Próximo evento em
221 dias
03 set
-
06 set
Próximo evento em
228 dias
R
GP de Singapura
17 set
-
20 set
Próximo evento em
242 dias
24 set
-
27 set
Próximo evento em
249 dias
08 out
-
11 out
Próximo evento em
263 dias
R
GP dos Estados Unidos
22 out
-
25 out
Próximo evento em
277 dias
29 out
-
01 nov
Próximo evento em
284 dias
12 nov
-
15 nov
Próximo evento em
298 dias
R
GP de Abu Dhabi
26 nov
-
29 nov
Próximo evento em
312 dias

FIA explica demora na decisão sobre Verstappen/Leclerc na Áustria

compartilhar
comentários
FIA explica demora na decisão sobre Verstappen/Leclerc na Áustria
Por:
1 de jul de 2019 13:59

Diretor de provas do órgão que regulamenta o esporte a motor, Michael Masi ponderou vários fatores para o atraso no resultado

O sensacional GP da Áustria de Fórmula 1, decidido em favor de Max Verstappen após polêmica ultrapassagem do holandês sobre o monegasco Charles Leclerc, teve a divulgação de seu resultado final oficializada cerca de três horas após a prova.

O atraso se deveu à investigação do incidente entre os pilotos de Red Bull e Ferrari. Os comissários da Federação Internacional do Automobilismo (FIA) decidiram analisar o ‘lance’ e demoraram para livrar Verstappen de qualquer gancho.

Leia também:

Segundo o novo diretor de provas da FIA, Michael Masi, a demora se deveu a vários fatores. Um deles é o fato de que a disputa ocorreu a apenas três voltas da bandeira quadriculada, o que deu pouco tempo aos comissários para analisar com rapidez durante a prova.

"A parte principal foi que nós não começamos a audiência dos comissários imediatamente por causa dos vários compromissos de equipes e pilotos com a mídia", acrescentou Masi. “A audiência em si durou cerca de uma hora, ouvindo todas as partes envolvidas”.

“Os comissários deliberaram, analisaram outros casos, precedentes e conversaram entre si. O tempo voa muito mais quando você está do lado de fora. E eles estavam considerando absolutamente tudo”, ponderou Masi.

A decisão de livrar Verstappen de qualquer punição se segue a outros dois ganchos controversos. Primeiro, e mais importante, a penalização a Sebastian Vettel no GP do Canadá. O alemão da Ferrari teve 5 segundos adicionados ao tempo de prova em função de retorno perigoso à pista após escapada na chicane. Com isso, perdeu a vitória para Lewis Hamilton, da Mercedes.

Após a polêmica de Montreal gerou grande repercussão e foi seguida por outro caso discutível no GP da França. Em Paul Ricard, Daniel Ricciardo recebeu uma penalidade por voltar ao traçado de forma perigosa e atrapalhar a McLaren de Lando Norris, em briga por posição no final da corrida. No fim, o piloto da Renault tomou gancho e caiu de sétimo para 11º, ficando de fora da zona de pontuação.

O caso de Verstappen foi comparado aos dois incidentes anteriores, mas o diretor de provas da FIA negou que existam similaridades entre os três lances. Segundo Masi, é como comparar “maçãs e laranjas”.

A decisão de punir Vettel no Canadá foi tomada durante a corrida e, portanto, embora o alemão tenha cruzado a linha de chegada em primeiro, Lewis Hamilton herdou a vitória imediatamente e o resultado ficou claro.

Questionado sobre o procedimento do último fim de semana, em que houve demora na definição do resultado, o dirigente ponderou: "Você quer a decisão certa, considerando todas as circunstâncias e todos os fatores, com toda a informação disponível".

O australiano também disse que não é correto traçar paralelos com a velocidade de decisões em outros esportes. “Não podemos apitar nem parar tudo, para então tomar uma decisão e continuar jogando”, comparou Masi, fazendo referência ao árbitro de vídeo (VAR) do futebol.

“Tentamos, sempre que possível, ter o resultado pronto para pódio, mas quando são as últimas duas ou três voltas da corrida, dificulta bastante. Se fosse algo que acontecesse na terceira volta, eles teriam tomado uma decisão muito antes", completou o diretor de provas.

Próximo artigo
F1: Ricciardo diz que forma atual da Renault "não é consistente"

Artigo anterior

F1: Ricciardo diz que forma atual da Renault "não é consistente"

Próximo artigo

Bottas diz que erro de cálculo levou a problemas no GP da Áustria

Bottas diz que erro de cálculo levou a problemas no GP da Áustria
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da Áustria
Sub-evento Corrida
Autor Scott Mitchell