Hamilton revela visita a Lauda antes de morte e que relê mensagens de texto entre os dois

Hexacampeão mundial de Fórmula 1 diz que sente falta do apoio de Niki Lauda e que ainda revisita mensagens antigas entre os dois

Hamilton revela visita a Lauda antes de morte e que relê mensagens de texto entre os dois
Carregar reprodutor de áudio

Niki Lauda morreu na semana do GP de Mônaco, com a Mercedes o homenageando com uma estrela vermelha na tampa do motor e o halo vermelho no W10, além de Lewis Hamilton também usar um capacete especial.

Hamilton já havia admitido ter lutado contra "demônios" mentais durante a temporada de 2019 por causa da morte de Lauda e do acidente fatal do piloto de Fórmula 2, Anthoine Hubert, durante o fim de semana do GP da Bélgica.

Leia também:

Hamilton disse a um grupo seleto de jornalistas, incluindo o Motorsport.com, que tem saudade das conversas com Lauda.

"Sinto falta de receber suas mensagens de texto. Sinto falta de compartilhar os vídeos de corridas, e ainda tenho muitas de nossas conversas e, de vez em quando, as releio.”

"Mas, novamente, sem o apoio dele, eu provavelmente não teria chegado a esse time. Sem o apoio dele, eu ainda não estaria aqui. Não acho que esse time teria tido sucesso sem seu apoio."

"Indo para a luta, acelerando e quebrando tudo. Era nisso que ele era o melhor. Mas também sendo real comigo. Tínhamos um verdadeiro campeão que entendia a dificuldade de entregar resultados em um final de semana e quando você cometer um erro.”

"É aí que ele foi um pilar tão grande para mim. Sinto muita falta dele.”

Hamilton se lembrou inicialmente de Lauda "dizendo certas coisas sobre mim na TV e realmente não tendo uma ótima opinião" antes das discussões sobre uma mudança para Mercedes.

"De repente, eu estava nessa posição em que eu tinha que tomar uma grande decisão na minha vida e Niki estava ao telefone comigo", disse Hamilton. "Pensei: 'Uau, estou falando com um tricampeão do mundo', e eu realmente não o conhecia, então não podia dizer que confio nesse cara ao telefone.”

"Mas então me sento com Ross [Brawn] e sento com Niki em um quarto de hotel, e seguimos nossa jornada. Gostaria de pensar que crescemos em nos amar como amigos.”

Hamilton também disse que foi ver Lauda pouco antes de ele morrer.

"Foi realmente difícil vê-lo", continuou Hamilton. "Estávamos enviando vídeos um para o outro, e eu o tinha visto em seu maior desafio, ele voltou e estava em uma cadeira de rodas e eu estava realmente esperançoso."

"E então ele teve outra queda e começou a piorar. E foi quando fui vê-lo. Ainda era um choque ver seu companheiro em uma cama, conectado a aparelhos. E eu já tinha visto essa situação antes, minha tia morreu de câncer.”

"Mas é sempre um choque. E você podia ver o espírito dele, esse espírito brilhante dele ainda brilhando, mas estava começando a escurecer um pouco, sabia?”

"E o espírito de luta dele estava começando a escurecer, o que é natural quando você está passando por uma batalha tão longa. Então isso me atingiu."

Relembre todos os carros que Niki Lauda correu na F1

1971, March 711
1971, March 711
1/31
Foi com esse carro que Lauda estreou na Fórmula 1 no GP de seu país em 1971

Foto de: Divulgacao

1971, March 711
1971, March 711
2/31
Lauda disputou apenas a corrida da Áustria em 1971

Foto de: Divulgacao

1972, March 721
1972, March 721
3/31
Na temporada seguinte, Lauda (à frente) fez sua primeira temporada completa a bordo do March 721

Foto de: LAT Images

1973, BRM P160
1973, BRM P160
4/31
Em sua segunda temporada completa na Fórmula 1, Lauda correu pela BRM e impressionou a ponto de chamar a atenção de Enzo Ferrari

Foto de: LAT Images

1974, Ferrari 312B3
1974, Ferrari 312B3
5/31
Tanto que, em 1974, o austríaco foi contratado pelo time de Maranello

Foto de: Rainer W. Schlegelmilch

1974, Ferrari 312B3
1974, Ferrari 312B3
6/31
Em seu primeiro ano em uma equipe de ponta, Lauda teve o suiço Clay Regazzoni como companheiro

Foto de: LAT Images

1974, Ferrari 312B3
1974, Ferrari 312B3
7/31
Aquele ano marcou a primeira vitória do austríaco, no GP da Espanha

Foto de: LAT Images

1974, Ferrari 312B3
1974, Ferrari 312B3
8/31
Lauda terminou a temporada em quarto. O brasileiro Emerson Fittipaldi foi o campeão, conquistando, com a McLaren, seu segundo título

Foto de: LAT Images

1975, Ferrari 312T
1975, Ferrari 312T
9/31
Em 1975, porém, Lauda "destronaria" Fittipaldi. A bordo do novo carro da Ferrari, o austríaco brilhou

Foto de: LAT Images

1975, Ferrari 312T
1975, Ferrari 312T
10/31
Com mais um ano de muita consistência e velocidade, Lauda voou para conquistar o primeiro de seus três títulos mundiais

Foto de: Rainer W. Schlegelmilch

1975, Ferrari 312T
1975, Ferrari 312T
11/31
Lauda foi campeão com 64,5 pontos. Fittipaldi foi vice com 45

Foto de: LAT Images

1976, Ferrari 312 T2
1976, Ferrari 312 T2
12/31
Depois de conquistar seu primeiro título, o austríaco chegou à temporada seguinte com vontade de defender sua posição

Foto de: Rainer W. Schlegelmilch

1976, Ferrari 312 T2
1976, Ferrari 312 T2
13/31
O ano de 1976 começou bem, com grande confiabilidade do carro da Ferrari, melhor que a concorrente McLaren

Foto de: LAT Images

1976, Ferrari 312 T2
1976, Ferrari 312 T2
14/31
Ao longo da temporada, porém, o carro da equipe britânica melhorou e James Hunt se colocou como rival de Lauda na busca pelo título

Foto de: Rainer W. Schlegelmilch

Niki Lauda, Ferrari, e James Hunt, McLaren
Niki Lauda, Ferrari, e James Hunt, McLaren
15/31
Os dois construíram uma grande rivalidade, mas eram amigos. A relação de ambos é retratada no filme "Rush"

Foto de: Sutton Motorsport Images

Niki Lauda, Ferrari, e James Hunt, McLaren
Niki Lauda, Ferrari, e James Hunt, McLaren
16/31
No fim das contas, Hunt aproveitou a ausência de Lauda em algumas etapas por conta do acidente do austríaco em Nurburgring para somar pontos importantes e chegar à etapa final, em Fuji, com condições de vencer. Lauda acabou desistindo da corrida chuvosa em função das condições perigosas e Hunt chegou em terceiro para faturar seu primeiro e único título

Foto de: Sutton Motorsport Images

1977, Ferrari 312T2
1977, Ferrari 312T2
17/31
Na temporada seguinte, Lauda veio com fome para retomar o título

Foto de: Rainer W. Schlegelmilch

Niki Lauda, Ferrari 312T2
Niki Lauda, Ferrari 312T2
18/31
Dito e feito: o austríaco retomou a coroa em sua segunda, superando de vez as sequelas psicológicas do grave acidente do ano anterior

Foto de: LAT Images

1978, Brabham BT45C
1978, Brabham BT45C
19/31
Em 1978, Lauda foi para a Brabham

Foto de: Sutton Motorsport Images

1978, Brabham BT46
1978, Brabham BT46
20/31
A equipe era comandada por Bernie Ecclestone

Foto de: Rainer W. Schlegelmilch

1978, Brabham BT46B Alfa Romeo
1978, Brabham BT46B Alfa Romeo
21/31
O motivo da saída para a Ferrari foi a procura da equipe italiana pelo argentino Carlos Reutemann após o acidente de Lauda em 1976

Foto de: LAT Images

1978, Brabham BT46B
1978, Brabham BT46B
22/31
Um dos carros da Brabham em 78 chamava a atenção por sua traseira

Foto de: Sutton Motorsport Images

1979, Brabahm BT48
1979, Brabahm BT48
23/31
No ano seguinte, a equipe seguiu sem condições de levar Lauda à disputa pelo título

Foto de: Sutton Motorsport Images

1979, Brabham BT48
1979, Brabham BT48
24/31
Foi nessa época que o austríaco começou a intensificar seus empreendimentos em sua companhia aérea

Foto de: Sutton Motorsport Images

1979, Brabham BT48 Alfa Romeo
1979, Brabham BT48 Alfa Romeo
25/31
No fim daquela temporada, Lauda deixaria a F1 para tocar seus negócios

Foto de: LAT Images

1982, McLaren MP4
1982, McLaren MP4
26/31
Após dois anos afastado da categoria, Lauda foi persuadido por Ron Dennis a retornar, desta vez pela McLaren. Lauda foi quinto em sua primeira temporada após o retorno à F1

Foto de: Jean-Philippe Legrand

1983, McLaren MP4B
1983, McLaren MP4B
27/31
O terceiro título acabou não vindo no ano seguinte, em 1983, mas estava próximo

Foto de: Sutton Motorsport Images

1984, McLaren MP4\2
1984, McLaren MP4\2
28/31
Na temporada 1984, Lauda finalmente conquistou seu terceiro e último título mundial

Foto de: LAT Images

1984, McLaren MP4/2
1984, McLaren MP4/2
29/31
Em batalha com o novo companheiro Alain Prost, o veterano de 35 anos levou a melhor por apenas meio ponto: 72 a 71,5

Foto de: LAT Images

1985, McLaren MP4/2B
1985, McLaren MP4/2B
30/31
1985 começou com uma série de abandonos de Lauda, o que complicou a temporada do tricampeão - e a relação com Ron Dennis

Foto de: LAT Images

Alain Prost e Niki Lauda, McLaren MP4/2B
Alain Prost e Niki Lauda, McLaren MP4/2B
31/31
O austríaco ainda conquistou sua 25ª e última vitória na F1, no GP da Holanda, em Zandvoort. Prost (à frente) chegaria ao primeiro de seus quatro títulos naquele ano

Foto de: LAT Images

compartilhar
comentários
Confira quais foram os pilotos mais indisciplinados da F1 em 2019
Artigo anterior

Confira quais foram os pilotos mais indisciplinados da F1 em 2019

Próximo artigo

Montezemolo vê Leclerc como futuro campeão da Ferrari mas reitera papel de pilotos em servir equipe

Montezemolo vê Leclerc como futuro campeão da Ferrari mas reitera papel de pilotos em servir equipe