Hulkenberg sobre saga em retorno: “Últimas 24 horas foram especiais, loucas e selvagens”

compartilhar
comentários
Hulkenberg sobre saga em retorno: “Últimas 24 horas foram especiais, loucas e selvagens”
Por:
, Editor

Piloto alemão substitui Sergio Pérez na Racing Point e faz sua primeira aparição na F1 desde o final da temporada de 2019

Nico Hulkenberg está de volta à Fórmula 1, mas desta vez apenas substituindo o piloto titular da Racing Point, Sergio Pérez. Após o mexicano receber o diagnóstico positivo para a Covid-19, o que o forçou a ficar em quarentena, a Racing Point abordou o ex-piloto da Renault para correr no GP da Grã-Bretanha deste final de semana.

Na noite desta quinta-feira (30), Hulkenberg abandonou os planos para um teste com um carro de GT em Nurburgring para voar para ao Reino Unido, ajustar o assento e finalizar as negociações do contrato.

Leia também:

O piloto alemão, inclusive, só entrou no paddock menos de 10 minutos antes do início do primeiro treino livre, quando seu resultado no teste para a Covid-19 foi confirmado como negativo, mas ele conseguiu ir para a pista logo depois: "As últimas 24 horas foram especiais, loucas e selvagens", explicou Hulkenberg.

“Às 16h30 de ontem recebi a ligação, peguei o avião para cá, ajustei o assento até 2h da manhã, 8h da manhã já estava no simulador por uma hora, um pouco de preparação. Foi uma noite curta, mas valeu a pena”.

“Foi um grande esforço da equipe, quero agradecer ao pessoal do turno da noite fez um ótimo trabalho para me encaixar no carro e até com bastante conforto, e à FIA por conseguir tão rapidamente a super licença. Tem sido muito especial".

Foi a primeira vez de Hulkenberg em um carro de Fórmula 1 desde sua última aparição pela Renault no final da temporada de 2019, quando a equipe francesa o liberou, e seguiu com Esteban Ocon em 2020.

O piloto alemão admitiu que seu corpo já está sentindo os efeitos das altas forças G de guiar um carro de F1 novamente, especialmente em Silverstone, uma das pistas mais rápidas do calendário.

"A força G é difícil treinar porque é única e especial", disse Hulkenberg. “E mesmo que eu esteja em forma, esse tipo de força G, especialmente aqui, um dos circuitos mais rápidos, com 35 graus”.

“Eu também escolhi um dos dias mais quentes do ano no Reino Unido. Eu tenho o melhor de tudo”, brincou o piloto alemão.

Hulkenberg terminou o TL1 na nona colocação e foi o sétimo no segundo treino livre, apenas seis décimos atrás de seu companheiro de equipe, Lance Stroll, que foi o mais rápido do dia.

“Você consegue ver o enorme potencial, o carro é muito rápido”, disse Hulkenberg. “Eu não explorei os pneus macios tão bem, acho que tenho um pouco mais na mochila e preciso usá-los melhor”.

“Mas é nisso que iremos trabalhar obviamente ao longo da noite e tentaremos obter o melhor resultado possível neste final de semana”, completou.

Racing Point e Red Bull lideram, Hulkenberg vive saga para voltar à F1 e Drugovich é pole na F2

PODCAST: Bastidores do futuro de GP do Brasil e os ambientes de F1 favoritos de Reginaldo Leme

 

Conheça epopeia de Hulkenberg para conseguir correr no GP da Grã-Bretanha de F1

Artigo anterior

Conheça epopeia de Hulkenberg para conseguir correr no GP da Grã-Bretanha de F1

Próximo artigo

Pr1meiro Stint: Assista ao guia para o GP da Grã-Bretanha de F1

Pr1meiro Stint: Assista ao guia para o GP da Grã-Bretanha de F1
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da Grã-Bretanha
Pilotos Nico Hulkenberg
Autor Luke Smith