McLaren nunca esteve tão mal na história, afirma chefe

Acionista da equipe, Mansour Ojjeh diz que time na Fórmula 1 atravessa o pior momento em todos os tempos

McLaren nunca esteve tão mal na história, afirma chefe
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32
Zak Brown, McLaren Executive Director with Mansour Ojjeh, McLaren shareholder
Fernando Alonso, McLaren MCL32
Mansour Ojjeh, TAG, Zak Brown, McLaren Executive Director, Stoffel Vandoorne, McLaren and Eric Boullier, McLaren Racing Director
Zak Brown, Executive Director, McLaren Technology Group, talks to Mansour Ojjeh and Fernando Alonso, McLaren
Stoffel Vandoorne, McLaren
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32 front car detail
Mansour Ojjeh, TAG, Zak Brown, McLaren Executive Director and Eric Boullier, McLaren Racing Director
Fernando Alonso, McLaren with Mansour Ojjeh, McLaren shareholder
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32 front car detail
Carregar reprodutor de áudio

Única equipe a não marcar pontos na temporada de 2017, a McLaren ligou a luz de alerta após vários problemas mecânicos, incluindo o motor estourado por Fernando Alonso nesta sexta em Baku. Para o acionista da equipe, Mansour Ojjeh, o momento é o pior em toda a rica história do time na Fórmula 1.

"Este é um território realmente novo para nós", disse ele ao Motorsport.com. "Nós nunca fomos tão pouco competitivos na F1.”

"Tivemos um ano terrível com a Peugeot, mas desta vez a Honda subestimou completamente o trabalho."

Mesmo durante sua parceria de curta duração com a Peugeot em 1994, a McLaren conseguiu oito pódios e ficou em quarto lugar no campeonato de construtores.

Esta agora é a maior seca de vitórias na história da equipe. O último triunfo conquistado pelo time foi com Jenson Button no GP do Brasil de 2012, superando o período entre as vitórias de James Hunt no GP de Japão de 1977 a de John Watson no GP da Grã-Bretanha de 1981.

Ojjeh admitiu que manter a moral e manter os funcionários está ficando cada vez mais difícil.

"Estamos trabalhando o mais duro possível, mas o que é difícil de fazer na empresa é manter as pessoas motivadas", disse ele.

"Quando você está ganhando, isso é muito mais fácil - como foi em 1988, quando ganhamos 16 das 17 corridas. Na verdade, já é difícil manter as pessoas motivadas quando você ganha regularmente, mas mantê-las motivadas quando você está mal é realmente difícil.”

"Isso se resume à gestão, mas felizmente a maioria das pessoas que trabalham para nós têm orgulho de trabalhar para a McLaren."

Ele teme que os outros negócios da McLaren possam em breve ser manchados por sua fraca performance em F1.

"Nós somos o único concorrente que você pode comparar com a Ferrari, na medida em que fazemos carros de rua e carros de Fórmula 1", disse Ojjeh. "Mas isso significa que precisamos de sucesso na Fórmula 1 para manter a história.”

"Nós não podemos ser ruins em um e bons em outro. A empresa de automóveis de rua está indo fantasticamente bem. Infelizmente agora temos um problema de motor da F1 que temos que resolver. Todo o resto está ótimo: ótimos pilotos, ótima equipe."

compartilhar
comentários
Verstappen surpreende e domina sexta em Baku; Massa é 11º
Artigo anterior

Verstappen surpreende e domina sexta em Baku; Massa é 11º

Próximo artigo

GP da Grã-Bretanha terá quatro dias de atividade em pista

GP da Grã-Bretanha terá quatro dias de atividade em pista